Artigo: quer largar o emprego e montar seu negócio? Descubra antes o que fazer!

*Por Maurício Sampaio

Cada vez mais o brasileiro vem desenvolvendo o espírito empreendedor. Nesta época de virada de ano, esse sentimento parece vir ainda mais à tona. Muitos querem largar o emprego para, no novo ano, terem o próprio negócio. Mas, antes de tomar a decisão, é muito importante pensar em alguns detalhes.

Qual o real motivo de largar seu emprego e ter um próprio negócio?

A primeira coisa que você deve pensar é o motivo pelo qual você esta fazendo essa mudança. É por que não aguenta mais seu chefe? Isso acontece muito. Como coach, já vi muitas pessoas mudarem de emprego ou montarem um negócio porque acreditavam que estavam descontentes com a profissão ou sua ocupação, mas, na verdade, estavam descontentes com o chefe. Aí, acabavam voltando atrás porque viram que tomaram uma decisão completamente errada.

Também é comum o desejo de mudar porque está cansado da profissão que escolheu. Neste caso, entra outra questão: você não precisa trabalhar naquela empresa da profissão que escolheu, por exemplo. Hoje, 85% dos CEOS das empresas são engenheiros de formação. Esse é seu caso? Esses são alguns pontos que você tem que definir. Qual o real motivo que você esta tomando essa decisão?

Existem outros pontos que você deve tomar muito cuidado, tudo é questão planejamento. Primeiro ponto é a questão financeira. Eu não aconselho fazer algo do dia pra noite sem estar calçado financeiramente. Você precisa de dinheiro para promover essa mudança ou até mesmo contratar um orientador financeiro pra te ajudar.

Planejamento para mudança é tudo!

Outra questão é o planejamento das suas ações. Você deve planejar em quanto tempo deve promover essa mudança. Em seis meses? Um ano? Enfim, qual o tempo que você precisa?  Coloque sempre data e horário.

Pesquisar é indispensável para quem deseja mudar!

Terceiro e último ponto: pesquise muito sobre esse novo negócio. Hoje, por exemplo, temos sistemas de micro-franquias, que são franquias com valores mais baixos. É um sistema legal para quem tem um caixa razoavelmente bom entre R$ 10 mil e R$ 50 mil, não esquecendo de ver os detalhes de rotina, ocupação, mercado, conversar com outros micro-franqueados…

Se não for franquia, vai começar um negócio seu em determinado nicho? Pesquise a rotina, horários, retornos, como se trabalha. Tente tirar todos os elementos possíveis para poder tomar uma decisão tranquila. Tente não cair nos indicadores do SEBRAE, por exemplo, que diz que 80% das pessoas, a cada quatro anos, acabam desistindo do seu negócio.

Empreender, ter o seu próprio negócio é muito bom, mas tem o outro lado da moeda. Você passa a viver esse negócio durante 24 horas por dia, sete dias por semana. Tenha sempre essa percepção com você.

Boa sorte e sucesso!

* Maurício Sampaio é coach de carreira, palestrante, escritor e fundador do InstitutoMS de Coaching de Carreira. Já publicou os livros “Escolha Certa”, “Influência Positiva – Pais & Filhos: construindo um futuro de sucesso” e “Coaching de Carreira”.

www.mauriciosampaio.com.br e www.imscoachingdecarreira.com.br

Sobre Maurício Sampaio

É coach de carreira, palestrante, escritor e fundador do InstitutoMS de Coaching de Carreira.

Já publicou os livros “Escolha Certa”, “Influência Positiva – Pais & Filhos: construindo um futuro de sucesso” e “Coaching de Carreira”.

www.mauriciosampaio.com.br e www.imscoachingdecarreira.com.br

Assessoria de imprensa:

Almir Rizzatto – RZT Comunicação
almir@rztcomunicacao.com.br
www.rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 | 99628-1733

Congresso de Acessibilidade comemora os excelentes resultados da 2º edição

O II Congresso de Acessibilidade, realizado entre os dias 06 e 12 de dezembro, reuniu 27 especialistas de diversas áreas para falar sobre temas ligados à autonomia da pessoa com deficiência, acessibilidade e inclusão. Dentre os principais temas abordados, podemos destacar: acessibilidade de uma forma geral, inclusão no mercado de trabalho, tecnologias de apoio e assistiva, aplicativos, turismo acessível, acessibilidade cultural, e-learning inclusivo, direitos da pessoa com deficiência, Lei Brasileira da Inclusão, Lei de cotas, esporte adaptado, empreendedorismo, independência financeira, educação inclusiva, e muito mais!

Idealizado por Dolores Afonso, que também possui deficiência visual, o Congresso contou com um formato totalmente online, gratuito e, o mais importante, acessível, permitindo desse modo um grande alcance geral. Os vídeos foram exibidos com legenda, Libras e audiodescrição, além de poderem ser acessados de qualquer dispositivo, computadores, notebooks, tablets e celulares.

“Foram mais de 200 mil participantes em mais de 20 países. Tivemos mais expectadores no Brasil, claro, mas também uma grande quantidade de internautas nos assistindo em Portugal, Espanha, Argentina, Chile, Angola e África do Sul. Infelizmente, ainda não temos todas as estatísticas, pois o YouTube demora para liberar as visualizações. Mas pelas inscrições, comentários, e-mails etc. já deu para saber que foi um grande sucesso!”, conta Dolores Affonso.

A audiência foi composta não somente por pessoas com algum tipo de deficiência ou necessidade especial, mas também amigos, parentes, profissionais da área de saúde, cultura e esporte, educadores, instituições de ensino e de apoio e empresas, no mais, todos os interessados em estimular o potencial das pessoas com deficiência e em aumentar sua participação na sociedade. “Diversas instituições no Brasil e em outros países veicularam o evento. Com isso, acreditamos ter havido um número ainda maior de pessoas nos assistindo”, comemora Dolores.

Este ano teve novidades! Além das palestras e entrevistas, formatos já conhecidos do público, o II Congresso de Acessibilidade trouxe curtas-metragens infantis, documentários e oficinas. Além de ter sido realizado pelo YouTube. “Esse novo formato, facilitou demais o acesso, pois as pessoas já conhecem a plataforma e costumam assistir vídeos no YouTube no seu dia a dia, além de não ser preciso se cadastrar ou realizar qualquer configuração no dispositivo, tendo em vista ser possível assistir no navegador e nos aplicativos do YouTube.

Empresas, instituições de ensino e de apoio, órgãos governamentais, diversas divisões de Secretarias de Estado e Município, instituições do sistema S (Senac, Sebrae, Senai, Sesi e Sesc), a OAB-RJ e tantos outros parceiros apoiaram o evento online, assistindo, veiculando para seus colaboradores, alunos e associados, participando, interagindo e divulgando. “Foi uma comoção nacional e internacional, tendo em vista que em Portugal, na Espanha e em outros países, instituições apoiaram e veicularam o evento em telões para grandes grupos de pessoas”, ressalta Dolores.

A realização do II Congresso de Acessibilidade consolidou o formato no Brasil e abriu portas para novos eventos do tipo. A organização afirma ter recebido muitos contatos de empresas interessadas em divulgar seus produtos e serviços para este público; apoiar e até patrocinar as próximas edições do evento. Além disso, proporcionou, de modo efetivo, a percepção de que a inclusão precisa ser repensada e praticada.

Uma das entrevistas mais assistidas e elogiadas foi a do Prof. José Antonio Borges da UFRJ, criador de diversas tecnologias de apoio à pessoa com deficiência no Centro de referência em Tecnologia Assistiva do Rio de Janeiro, Tércio Pacitti, na UFRJ. Para o Prof. Dr. Ilan Chamovitz, uma contribuição inestimável: “Excelente entrevista. Parabéns Dolores pela sua liderança, por trazer a experiência do Prof. Antonio Borges neste canal. Em minha opinião, Antonio Borges é um dos grandes educadores presentes no Brasil. Obrigado Dolores e Antonio!”

Outra apresentação muito esperada, inclusive será reprisada ao longo desta semana, pela quantidade de solicitações, foi a da Marinalva Cruz, Coordenadora do PADEF (Programa de Apoio à Pessoa com Deficiência) da Secretaria do Trabalho e Emprego do estado de São Paulo. “Extremamente esclarecedora a palestra. A lei das cotas exige atualização constante e informações coerentes. Os mitos devem ser esclarecidos e a realidade melhor divulgada. A sensibilidade e os dados apresentados pela Marinalva conseguiram me proporcionar um “novo olhar” sobre o tema”, diz a internauta Ana Paz.

Com o intuito de transformar vidas e quebrar paradigmas e preconceitos, o II Congresso de Acessibilidade mostrou que cumpriu com seus objetivos, acredita Dolores Afonso: “Educadores dizendo como estão conseguindo mudar a vida e o aprendizado de seus alunos com adaptações simples; pais que conseguiram tornar a vida de seus filhos melhor e também as suas próprias; pessoas com deficiência que afirmam entender melhor seus direitos e como buscar sua inclusão na sociedade de forma digna e com autonomia; empresas que se tornaram mais capazes de incluir e de ter uma equipe realmente inclusiva, que usa a diversidade como ferramenta de melhoria e não como base para preconceitos e barreiras; entre outros”, enumera, diante de tantos feedbacks positivos recebidos após o término do Congresso.

“Isso sim é Acessibilidade! Parabéns a todos que contribuíram para que esse congresso acontecesse. Meu muito obrigado para Dolores e os palestrantes. Conhecimento é o primeiro acesso!”, finaliza a internauta Eneudes Ferreira de Sousa.

Serviço

Evento: Congresso de Acessibilidade

Local: Online

Preço: Gratuito

Mais informações: www.congressodeacessibilidade.com e contato@congressodeacessibilidade.com

Atendimento à imprensa

Patrícia Arantes – Assessora de Imprensa

RZT Comunicação

www.rztcomunicacao.com.br / patricia@rztcomunicacao.com.br

Fones: (11) 5051-8142 e (11) 99873-6008