Artigo: 5 pilares para se relacionar bem com chefes e colegas de trabalho

Falar de relacionamento interpessoal inclui tanto a vida pessoal quanto a profissional. Neste segundo âmbito, a situação se torna mais complicada, porque não escolhemos as pessoas com quem vamos trabalhar, seja um chefe, um parceiro, um cliente e até mesmo aqueles que são liderados.

E mesmo que haja uma afinidade com as pessoas do ambiente profissional, é preciso que todos estejam alinhados para um bom trabalho em equipe. Para a Master Coach Silvia Bez, esta relação em particular pode se tornar ainda mais delicada.

“A convivência entre os colaboradores, às vezes, não é tão simples, devido à existência de diversas opiniões, crenças, valores e culturas com as quais precisamos lidar”, afirma a especialista.

E para que este relacionamento se torne mais leve e viável, Silvia apresenta cinco pilares essenciais para manter a paz no convívio profissional:

Autoconhecimento: esse pilar é um dos principais diferenciais nas relações, pois conhecer a si é o primeiro passo para lidar com questões emocionais que comprometem os relacionamentos interpessoais.

“O autoconhecimento nos permite analisar o impacto que causamos nos outros, além de termos claro quais são as características que nos incomodam e, assim, possibilitar nos preparamos para lidar com elas”, afirma a Master Coach.

O autoconhecimento permite mediar com maior assertividade os possíveis conflitos de personalidades nos relacionamentos com os membros da equipe.

Empatia: é a arte de analisar determinada situação pelo mesmo ângulo de outra pessoa que também esteja envolvida.

Mais do que a preocupação ou a conscientização da necessidade de se identificar com o outro, está relacionada com a comunicação assertiva e a compreensão das motivações dos outros.

“A pessoa empática está conectada com quem ela se comunica. Ela capta informações que vão muito além do que é falado e identifica emoções e expressões corporais significativas em seu interlocutor”, explica Silvia.

Ser empático é, antes de tudo, ser um bom ouvinte, excelente observador e ter um interesse legítimo em ajudar o outro.

Assertividade: assertividade é a habilidade de uma comunicação clara, franca e respeitosa.

“Com ela é possível construir relacionamentos saudáveis, mas é preciso ouvir, falar, expressar vontades, opiniões e dificuldades de maneira que não seja agressiva com o próximo.”

Ética: é o conjunto de princípios e valores morais que conduzem o comportamento humano dentro da sociedade.

Empresas seguem os padrões éticos sociais, aplicando-os em suas regras internas, visando o bom andamento dos processos de trabalho, o alcance de metas, objetivos e para criar bons relacionamentos interpessoais.

Um bom profissional deve seguir tanto os padrões éticos da sociedade quanto as normas e regimentos internos da organização em que trabalha.

A ética profissional proporciona ao indivíduo um exercício diário e produtivo de honestidade, comprometimento, confiabilidade, entre tantos outros valores, que balizam o seu comportamento e as tomadas de decisões em suas atividades.

“A grande recompensa por se ético é ser reconhecido, não só pelo seu trabalho, mas também por sua conduta”, completa Silvia.

Pode-se ter muito autoconhecimento, ser altamente empático, assertivo e cordial.  Mas, se não há ética, não é possível manter relacionamentos equilibrados.

Cordialidade: ser gentil, simpático e solicito é ser cordial com as pessoas. É demonstrar consideração pelo próximo, pela equipe e com quem se relaciona.

“Cordialidade é aquele ‘bom dia’ entusiasmado e sincero de quando chegamos ao trabalho, é abrir uma porta para um colega com as mãos ocupadas, é dizer ‘obrigado’ olhando nos olhos das pessoas. São as pequenas gentilezas do dia a dia que farão a nossa companhia pessoal ser desejada e tornarão a nossa presença agradável para os que nos cercam”, finaliza a Master Coach.

A cordialidade desinteressada, que se oferece por iniciativa própria, sem esperar nada em troca, é um facilitador do bom relacionamento no ambiente de trabalho.

Estes cinco pilares no dia a dia trazem melhorias nos relacionamentos, não apenas profissionais, mas em todos os âmbitos da vida. Passe a praticá-los e veja a diferença que fará nos ambientes que frequenta. Estes são elementos fundamentais para criar relações valiosas.

Sobre Silvia Bez

É palestrante motivacional, especialista em vendas e marketing pessoal, além de Master Coach. Em seu trabalho, sempre foca o lado humanista. Com um portfólio de palestras com mais de 30 mil pessoas, também oferece serviços de treinamentos, seminários, workshops e coaching pessoal e profissional.

Possui mais de 30 anos de experiência em cargos de liderança em empresas como Banco Bradesco, Ponto Frio, Ambev, Lopes Consultoria, entre outras.

Formada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e pela IAC (International Association of Coaching), é autora dos livros “7 Passos para se apaixonar pelo que faz”, “5 Passos para Fortalecer sua Memória” e “Paixão em Vender – 5 Segredos do Vencedor”.

Site: www.silviabez.com.br

Atendimento à imprensa:

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142

internet

Faça da internet uma aliada de seu negócio e não uma inimiga de sua imagem

Da mesma forma que a tecnologia e o ritmo acelerado de divulgação das informações geram um avanço na área da comunicação empresarial, a internet pode se transformar em um desafio para as empresas frente ao público e mercado. E o fato de qualquer pessoa com acesso à internet poder ser uma formadora de opinião, traz benefícios, mas também, riscos para a imagem das marcas.

O amplo alcance de pessoas pelas redes sociais, faz com que qualquer mal-entendido ou boato nas redes sociais sobre a sua empresa se espalhe rapidamente e tome proporções drásticas. Por isso, investir em uma boa comunicação empresarial se tornou essencial para qualquer marca que se preze.

E, mesmo que fatores pareçam colocar a comunicação fora de controle, não há motivo para as empresas ficarem tão assustadas. Na medida do possível, a marca pode evitar muitos equívocos, monitorando constantemente os comentários de suas páginas nas redes sociais e atendendo a todas às dúvidas e reclamações. A pior atitude é evitar se posicionar diante deste tipo de postagem dos consumidores, pois eles ficam revoltados, o que pode levá-los a prejudicar a empresa nas mesmas mídias.

Nota-se que a falta de um bom suporte na área digital pode causar uma série de prejuízos, tanto financeiros, quanto de imagem e reputação. E, cada vez mais, é necessário dar uma atenção especial para esta área.

Mas, nem por isso a sua empresa precisa ser refém das mídias digitais. Use a internet a seu favor, com publicações de conteúdos sobre seus produtos que possam até tirar dúvidas de seus consumidores antes mesmo deles perguntarem.

O investimento na comunicação empresarial vem se tornando cada vez mais indispensável para as empresas. E, além de atender a mídia, público interno e externo, como vem atuando há muito tempo, a presença constante nas redes sociais se tornou fundamental. Por isso, é importante a contratação de uma equipe qualificada e exclusiva para cuidar particularmente desta área.

Devido ao alcance incalculável de pessoas, a internet já se tornou uma grande dor de cabeça para muitas empresas. Entretanto, isso não precisa ser uma regra. Com a devida atenção com o que se deixa divulgar nas mídias sociais, elas podem se tornar grandes aliadas de seu negócio, melhorando sua imagem e aumentando o número de clientes.

Com informações do site Sambatech

marketing-de-conteudo

9 motivos para investir no Marketing de Conteúdo

Investir em Marketing Digital é essencial para qualquer empresa que queira se destacar no mercado. E para as marcas que já trabalham na área, o Marketing de Conteúdo tem se tornado uma das tarefas mais importantes.

Esta é uma estratégia feita para engajar o público-alvo nas redes sociais das marcas e aumentar o número de clientes por meio de conteúdos relevantes e que agreguem valor aos leitores.  As vantagens desta ferramenta são a possibilidade dos empreendedores em construir uma boa imagem e se aproximar dos consumidores com um investimento menor.

Além destes benefícios, veja outros motivos que fazem este investimento valer a pena:

1- O empreendedor pode ser encontrado por seus clientes

É importante que os empreendedores sejam encontrados nas buscas feitas por seus clientes, principalmente nas mídias sociais.

Com a produção de conteúdo fica muito mais fácil para a marca ser encontrada nas pesquisas, o que a deixa melhor posicionada em seu mercado. E isso traz maior chance de sucesso no empreendimento.

2- Melhora no relacionamento

Ao contrário das campanhas de marketing mais tradicionais, o conteúdo é menos invasivo, já que o usuário o encontra apenas quando busca e não o interrompe com propagandas em momentos em que não é solicitado.

Isso faz com que o consumidor entre em contato com a marca mais frequentemente, aumenta o relacionamento e deixa a marca em vantagem diante de seus concorrentes.

3- Aumenta o compartilhamento das mensagens do empreendedor

Devido à exposição nas redes sociais, o Marketing de Conteúdo pode ser compartilhado por diversas pessoas que o procuraram para entender melhor sobre o assunto de sua marca ou tirar dúvidas. Isso permite que o material produzido alcance um grande número do público, sem altos investimentos em publicidade.

4- Reduz os custos de divulgação

Para ter destaque na mídia tradicional, o empreendedor deve investir uma alta quantia para levar suas campanhas ao ar e, se ele parar de investir, a mensagem também para de ser transmitida.

O Marketing de Conteúdo permite que a campanha seja divulgada nas redes por tempo indeterminado, mesmo que a publicação tenha um ritmo reduzido.

5- Permite acompanhar os resultados das ações

No marketing tradicional fica mais difícil, já que a mensuração de resultados depende de pesquisas. Já no Marketing de Conteúdo é possível coletar estas informações por meio de ferramentas das redes sociais. Elas apresentam gráficos que mostram os posts que geraram mais engajamento, quantas curtidas ganhou ou perdeu, número de visitação na página, etc.

Essa forma otimizada de mensuração permite que o empreendedor corrija os erros e invista no que realmente dá certo para sua página.

6- Aumenta a visibilidade da marca

Esta ferramenta é uma ótima escolha para aumentar a visibilidade no mercado digital. Se o empreendedor não mantiver o investimento na imagem da marca, o concorrente pode se destacar e adquirir seus clientes. Por isso, é muito importante deixar sites, blogs e redes sociais sempre atualizados e em destaque nas buscas.

7- Cria defensores da marca

Um público fidelizado se torna defensor e consumidor frequente de sua marca. Além disso, vão sempre recomendar seus produtos e serviços e ajudar a fortalecer sua empresa no mercado.

A produção de artigos e outros materiais ajuda a responder às dúvidas do público e a orientá-lo melhor sobre os produtos e serviços do mercado, fazendo de uma marca uma referência.

8- Mostra as melhores práticas para o mercado

O Marketing de Conteúdo é um dos melhores meios de apresentar ao mercado produtos e serviços inovadores, porém, pouco explorados. Ensina ao público-alvo a importância daquele novo item e como usá-lo no dia a dia.

9- Relacionamento no pós-venda

O pós-venda é muito importante para a fidelização de clientes e esse processo precisa ser acompanhado. O Marketing de Conteúdo ajuda muito o empreendedor neste sentido, já que pode tirar dúvidas dos clientes por meio de artigos e publicações compartilhadas nas redes sociais.

Independentemente do segmento, o Marketing de Conteúdo é um recurso que vale muito a pena, principalmente pelo baixo custo que tem comparado às campanhas tradicionais. Ao produzir conteúdo frequentemente, a marca aproxima seus clientes e atrai novos consumidores, fazendo com que o empreendedor aumente cada vez mais as suas vendas.

Com informações do site Resultados Digitais

Artigo: 5 razões para acreditar que 2017 será o ano da retomada

*Por José Ricardo Noronha

Nos treinamentos, palestras e aulas de MBA que tenho ministrado no Brasil, sempre me questionam se a tão esperada retomada da economia está mesmo por vir. Seria infame de minha parte garantir que sim, algo que nem os mais brilhantes e renomados economistas se aventuram em fazer.

No entanto, vejo claramente os primeiros sinais de retomada, o que me faz vislumbrar um cenário muito mais promissor para este final de ano e, principalmente, para 2017. Abaixo, listo 5 razões que fortalecem esta minha convicção.

1) Cenário macro: temos hoje, no mundo todo, uma situação de bastante liquidez, o que se traduz em um bom e intenso fluxo de investimentos estrangeiros no Brasil. Isso acontece devido aos ativos terem se desvalorizado e depreciado, de forma substancial, ao longo dos últimos trimestres, especialmente por causa da recessão econômica que nos assola.

Além disso, o Brasil continua extremamente atraente para empresas multinacionais dos mais variados setores (imobiliário, farmacêutico, educação, energia, bancos e finanças, etc.), o que justifica o crescente movimento de consolidação e de fusões e aquisições nestes mercados.

2) Cenário político nacional: o presidente Michel Temer (a despeito de quaisquer preferências político-partidárias) teve um bom início de governo com a aprovação da PEC dos gastos públicos, o que dá a ele fôlego para seguir adiante com outras reformas urgentes, com absoluto destaque para a tão crucial reforma da previdência. Além disso, o seu conhecido traquejo político cria boas condições de lidar com um Congresso hostil e pouco afeito às questões republicanas, o que dá a todos nós uma perspectiva de médio e longo prazo muito mais promissora.

3) Queda dos juros: todos os pontos acima dão embasamento à tendência de queda de juros (Taxa Selic), que deve se consolidar ao longo dos próximos meses. Juros mais baixos tendem a dar maior fluidez na economia, em virtude do barateamento do tão necessário crédito para empresas e indivíduos, e também deve servir de importante estímulo à retomada da atividade econômica. Tudo isso impacta diretamente no ânimo e nas ações de empresas e consumidores.

4) Retomada da confiança: pesquisas das mais variadas e sólidas fontes têm trazido dados positivos referentes à tão crucial retomada da confiança do empresariado nacional, internacional e também dos consumidores. Se levarmos em consideração que a pior crise que um País pode mergulhar é a da confiança, tão logo tenhamos melhores índices desta questão, deveremos ver uma série de empresas retomando o rito normal de seus investimentos e também dos consumidores, que tendem a voltar a consumir e a reaquecer a economia.

5) O Brasil e todos nós precisamos: com mais de 12 milhões de desempregados (se considerarmos apenas os números oficiais que não levam em conta os milhões de profissionais que migraram para a chamada “economia informal”), o Brasil e todos nós precisamos seguir em frente. E este sentimento que ganha cada vez mais corpo de que “o pior já ficou para trás” é bastante positivo, pois fomenta a tão necessária esperança de que todos somos responsáveis, direta e indiretamente, pela reconstrução do nosso país e da nossa economia.

Enfim, temos motivos bastante vigorosos para acreditar que o “fundo do poço” já começa a ficar para trás e que a luz no fim do túnel começa a ganhar brilho cada vez mais intenso. E, diante disso tudo, tenho outra certeza bastante clara: a de que somente as empresas e profissionais bem preparados terão melhores condições e capacidades para brilharem neste “novo cenário de negócios”.

Um novo cenário que será marcado de um lado por clientes extremamente exigentes, bem informados e repletos de boas opções à sua frente. E, por outro, por concorrentes cada vez melhores, mais agressivos e com produtos, serviços e soluções muito similares – quando não absolutamente iguais – aos que comercializamos em nossas empresas.

E, diante disso, surge o elemento mais crucial para o crescimento do País: a educação de qualidade, que, muito embora tenha sido tão negligenciada ao longo das últimas décadas, será certamente o fator cada vez mais preponderante de diferenciação competitiva em um “mercado de iguais”.

Assim, irão brilhar os profissionais e empresas que têm paixão pelo que fazem, expertise em seus mercados e crença inabalável de que a educação é dos elementos essenciais para a busca do sucesso e resultados de vendas cada vez melhores e sustentáveis.

O Brasil, enfim, viverá o momento de retomada da economia e de crescimento das vendas nos mais diversos setores.

Será que você e seus profissionais estão prontos para surfar nesta nova, incrível e igualmente traiçoeira onda?

* José Ricardo Noronha é vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Owen Graduate School of Management e é Professor dos MBAs da FIA. É autor dos livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”, além de idealizador da Universidade das Vendas. www.paixaoporvendas.com.br e www.universidadedasvendas.com.br 

Sobre José Ricardo Noronha

É vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Tem como sonho e missão transformar a carreira e a vida de milhares de profissionais e os resultados de vendas de empresas através do compartilhamento de lições, experiências, dicas e da sua própria história de superação pessoal.

Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Vanderbilt University (Owen Graduate School of Management) e atua como professor dos Programas de MBA da FIA e também do Programa de Educação Continuada do Corretor de Imóveis do CRECI/SP.

Escreveu os livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”, que contam com a participação especial de experts como Gustavo Cerbasi, Robert Wong, Eugenio Mussak, Raul e James Hunter, entre outros. É considerado um dos 5 maiores palestrantes e professores de vendas do Brasil.

Site: www.paixaoporvendas.com.br | Blog: www.josericardonoronha.com.br

Atendimento à imprensa:

Almir Rizzatto – RZT Comunicação
almir@rztcomunicacao.com.br
www.rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 | 99628-1733

oratoria

5 exercícios para desenvolver e aprimorar a oratória

Nossa vida em sociedade depende da comunicação e, por isso mesmo, precisamos desempenhá-la da melhor maneira possível para transmitir as mensagens corretamente. Saber falar bem é fundamental para o sucesso pessoal e profissional.

Aqui em nosso blog já listamos diversas atitudes sobre o que se deve ou não fazer durante a oratória. Agora, apresentamos alguns exercícios que aliam técnicas com relaxamento e articulação e farão seus discursos ficarem bem mais confiantes. Confira:

1- Relaxe a voz

Com uma voz relaxada é possível fazer um discurso claro e articulado, para que a mensagem seja transmitida com mais credibilidade. Um exercício eficaz é a nasalização.

Como fazer: apoie o polegar e o indicador sobre o nariz, sem pressionar as narinas com força, e faça um zumbido com a boca fechada por um minuto. Repita três vezes com pausas de trinta segundos. A vibração que se dá entre o nariz e a boca é a responsável pelo efeito relaxante.

2- Movimentos faciais

Exercícios em que se exagera nos movimentos da fala também trabalham a articulação dos músculos bucais, fazendo com que a pronúncia fique mais clara.

Como fazer: separe um tempo do seu dia para fazer leituras em voz alta, articulando os músculos do rosto com força. Nos próximos discursos você perceberá que consegue movimentar a boca com mais facilidade e terá uma comunicação mais fluente.

3- Respiração

De nada adianta tanto treino facial se a respiração estiver errada durante a apresentação. No momento da fala, o ar passa pelas cordas vocais e o ritmo do respiro influencia no desempenho.

Como fazer: para que a respiração esteja alinhada com a dicção, realize estes exercícios pelo controle do diafragma:

– Deite-se com os pés levemente afastados, uma das mãos sobre o peito e a outra no umbigo. Certifique-se que a mão do umbigo se eleva mais do que a mão de cima durante a respiração.

– Quando estiver em pé, inspire fundo expandindo ao máximo o diafragma e, de forma lenta e constante, expire o ar emitindo a letra “F”.

– Repita o mesmo exercício, porém, desta vez expire emitindo o som da letra “S” e de forma mais rápida e repetidamente. Faça 3 pausas até soltar todo o ar, sentindo o diafragma dar pequenas travadas.

4- Dicção

A dicção é um fator importantíssimo para que o público entenda claramente a sua mensagem. Exercícios diários com leitura em voz alta são os mais eficientes para melhorar este desempenho.

Como fazer: faça leituras em voz alta com uma rolha entre os dentes. Para melhorar a prática, alie este exercício aos movimentos faciais. Trava línguas é uma forma divertida de melhorar o desempenho de sua dicção.

5- Nervosismo

Para grande parte das pessoas que temem falar em público, o nervosismo é o principal fator que as atrapalham. E isso não é algo que desaparece de uma hora para outra. O melhor exercício para este problema? A prática!

O nervosismo só vai desaparecer mesmo com o tempo e prática. Quanto mais discursos você fizer, menos nervoso ficará, até chegar ao ponto de encarar uma apresentação com muita naturalidade.

Com informações do site Widoox

blog-19-10

O que a geração Y gosta de ver nas redes sociais

Observando o feed do Facebook percebemos que a maioria dos conteúdos é compartilhada e produzida pela geração Y ou “millennials”, como são chamados os jovens nascidos entre as décadas de 1980 e começo de 1990. Eles são o público principal de muitas empresas. Por ser a geração mais antenada no mundo digital, ela dita o modo como a internet é usada.

Não é novidade que a maior parte do tempo destes jovens é gasto nas redes sociais. E por estarem sempre conectados e a par de diversos assuntos, muitos conteúdos divulgados nas plataformas digitais não são mais interessantes para esse grupo.

Por isso, as marcas devem ser muito criativas para entreter e conquistar a fidelidade desta geração. Aqui apresentamos alguns critérios para fazer um conteúdo que seja realmente interessante para a geração Y:

1- Originalidade e criatividade

A geração Y usa uma variedade de fontes para se informar. E se todas elas compartilham o mesmo conteúdo, ela perde o interesse pela página. Portanto, não pense que postar imagens que estouraram na internet será um grande atrativo, porque logo os “millennials” se cansam e procuram por algo novo.

Usar a criatividade no conteúdo aumenta a qualidade da página nas redes sociais e atrai este público, que fica estimulado e engajado com a plataforma.

Uma dica para atrair os “millennials” é mandar sua mensagem pelo canal mais efetivo. Conheça seu público alvo e descubra qual a rede social mais utilizada por ele que combina com a sua marca.

2- Diversidade de redes

A geração Y usa diversas redes sociais ao mesmo tempo, mas em cada uma procura uma interação diferente. Para informações, por exemplo, o Facebook é a mídia mais usada; Youtube é mais solicitado para demonstração e o Instagram é o favorito para quem procura novidades do mundo da moda.

3- Proximidade

As redes sociais se tornaram, principalmente, uma ferramenta que aproxima a marca do público e é isso o que ele espera. Facilitar a comunicação com os usuários e mostrar-se próximo deles deixa a página muito mais interessante. Faça postagens nas quais seja possível uma interação e que tenha espaço para sugestões, reclamações, pedidos e etc.

4- Compreensão com o público

Não é porque a sua marca atende a um público que todas as pessoas serão parecidas. Às vezes um tipo de conteúdo pode não ser interessante para um determinado grupo de usuários, mas agrada a outra parte. Por isso, mesmo dentro de seu tema é preciso variar as postagens e não tratar a todos como um só.

Com informações do site AdNews

Artigo: Como fidelizar clientes através do atendimento mágico?

“Eu gosto do impossível porque lá a concorrência é menor.” (Walt Disney)

Com um mercado competitivo e uma concorrência cada vez mais acirrada, não adianta mais apenas atender o cliente, é preciso encantar e surpreender. Mas o que é surpreender? É fazer algo que o cliente não espera e exceder sua expectativa com eficiência, assertividade e agilidade.

Como palestrante motivacional de vendas e atendimento sempre digo isso em minhas apresentações, mas às vezes, aparece alguém para dizer que isso é muito difícil ou caro. Será mesmo que é tão difícil e oneroso?

Realizei um curso junto ao Instituto Disney de Orlando-EUA, e lá escutei uma história inesquecível sobre como um atendimento pode realmente encantar e surpreender positivamente as pessoas.

Num dia ensolarado na Flórida, um garoto e seus pais foram visitar o Magic Kingdon, principal parque da Disney na cidade de Orlando-EUA. Aguardavam ansiosos na fila do Pluto para viver uma experiência marcante, pois o garoto queria ver o personagem de perto e, principalmente, levar para casa o autógrafo do cachorro amarelo mais famoso do planeta.

Eles deixaram para ir nesta atração no final do dia, justamente para encerrar com chave de ouro a viagem e o dia no parque. Mas o inesperado aconteceu. Por algum imprevisto, bem naquele dia a fila demorou mais do que o normal e, quando chegou a vez do menino, um membro do elenco (é como são chamados os funcionários na Disney), se apresentou. Ele disse que a atração faria uma pausa de 20 minutos para o personagem realizar uma breve refeição e, na sequência, direcionou o Pluto para o lanche. Neste instante, os pais olharam o relógio e informaram ao filho que não poderiam mais esperar, pois já era tarde e eles precisavam sair correndo para arrumar as malas no hotel e pegar o voo. A alegria do garoto, então, se transformou numa grande frustração e ele começou a chorar, até tentou argumentar para que pudessem esperar, mas os pais continuaram em direção à saída do parque.

Repare: não estamos livres que aconteça algum problema, pois isso ocorre em qualquer lugar, até na Disney ou na nossa empresa. A questão é como cada integrante da nossa equipe é treinado para solucionar e surpreender os clientes!

Voltando à história acima, ocorreu o seguinte: Um membro do elenco que passava pelo local presenciou a cena, percebeu o desapontamento e o choro do menino e agiu rapidamente. Ele foi ao encontro dos pais, perguntou o que estava acontecendo e, após a explicação deles, o funcionário pediu desculpas e perguntou se eles estavam hospedados em algum hotel da Disney. A mãe confirmou que sim e, após ser solicitada, informou o número do quarto em que estavam hospedados. O colaborador lamentou e disse que iria tentar fazer algo. E, de fato fez: a diferença. Ele comunicou pelo rádio o ocorrido para o responsável do parque, que ligou para aquele hotel e juntos providenciaram a surpresa. Os pais e o garoto entraram no quarto e encontraram em cima da cama do menino um bilhete com os dizeres: “Me desculpe pelo ocorrido. Está aqui o que você tanto queria”. E, logo abaixo, o autógrafo do Pluto.

Uau! Realmente algo mágico, encantador, surpreendente. E, monetariamente, pare para pensar, quanto custou isso?

Fica claro nesta história a importância, a força do engajamento e o compromisso de cada colaborador com a missão da organização, em atender com excelência e aproveitar cada oportunidade para criar os momentos mágicos.

Atendimento nada mais é do que tratamento, ou seja, a forma de tratar as pessoas e, isso, pode significar mais do que resolver um problema, ou seja, reverter uma situação transformando uma frustração numa grande experiência. O menino levou para casa o autógrafo como se fosse um troféu, um momento que ficará guardado por muito tempo naquele papel e na memória também.

* Erik Penna é palestrante motivacional, especialista em vendas com qualificação internacional, consultor e autor dos livros “A Divertida Arte de Vender”, “Motivação Nota 10” e “21 soluções para potencializar seu negócio”. Saiba mais sobre motivação e vendas em: www.erikpenna.com.br

Sobre o palestrante motivacional Erik Penna

É palestrante motivacional, especialista em vendas com qualificação internacional e consultor. Possui MBA em Gestão de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas, pós-graduação em Administração e Marketing pela Universidade Paulista e graduação em Economia pela Universidade de Taubaté.

Aborda nas palestras ensinamentos baseados nas experiências vivenciadas por ele durante a sua carreira como executivo de vendas, professor, escritor, motivador de equipes e gestor corporativo. É autor dos livros “A Divertida Arte de Vender”, “Motivação Nota 10”, “21 soluções para potencializar seu negócio” e coautor dos livros “Gigantes das Vendas” e “Gigantes da Motivação”.

Site: www.erikpenna.com.br

Atendimento à imprensa

Patrícia Arantes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
patricia@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 / 99873-6008

Artigo: Para ter sucesso, é preciso se aventurar no desconhecido

*Por Silvia Bez

Ao longo da vida nos acomodamos e criamos nosso próprio refúgio. Ficamos acostumados com a rotina e conformados com o estilo de vida e sempre os mesmos resultados, seja no ambiente familiar, social ou profissional. Isto é o que chamamos de “zona de conforto”.

A maioria das pessoas deseja cuidar melhor da alimentação, fazer exercício físico, deixar para trás o que não faz bem ou melhorar o que traz benefícios. Iniciar algo novo e trabalhar nas mudanças necessárias para transformar suas vidas.

Entretanto, atitudes tão simples se mostram difíceis de fazer e falhamos na hora de executá-las. Por que isso acontece? A resposta é simples: qualquer mudança nos tira da zona de conforto.

A vida moderna é extremamente dinâmica e precisamos nos adaptar às frequentes mudanças. Isso é desconfortável e nos causa insegurança e ansiedade, mas é necessário. Precisamos estar dispostos e nos preparar para os desafios que aparecem todos os dias.

É claro que estas rápidas mudanças nos causam insegurança. As relações sociais, profissionais e comerciais vivem em constante instabilidade e novidades surgem o tempo todo. E para aprender a lidar com esta situação, precisamos nos aventurar no desconhecido.

Encarar o desconhecido nos comporta o risco de perder o controle da situação e, ao sair da nossa zona de conforto, entraremos em um terreno que não dominamos. Por isso, a tendência natural é a de continuarmos na mesmice do dia a dia, mergulhados em uma situação que controlamos.

Nossa mente e desenvolvimento pessoal estão diretamente relacionados com o poder de abandonarmos o conhecido, habitual a automático. Precisamos ter confiança, arrojo e determinação para crescer e aproveitar ao máximo as oportunidades que a vida nos oferece.

Enquanto estiver dentro de sua zona de conforto, não estará crescendo nem aprendendo coisas novas. Fará as mesmas coisas de sempre, e, desse modo, irá conseguir somente o que sempre teve.

Portanto, para obter o crescimento pessoal você precisa ter atitudes que não está habituado, mas que são fundamentais para a mudança que deseja. Reflita sobre suas conquistas e perceba que resultados diferentes e significativos só aconteceram quando você fez algo novo. O novo assusta, mas é o que te levará ao sucesso.

Lembre-se sempre desta frase, de Steve Blank, escritor e empreendedor de grande sucesso: “Grandes empreendedores estão confortáveis em estarem desconfortáveis”. Por isso você precisa abandonar a sua “zona de conforto” se quiser crescer de verdade.

*Silvia Bez é palestrante motivacional, especialista em vendas e marketing pessoal, além de Master Coach. Em seu trabalho, sempre foca o lado humanista. Formada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e pela IAC (International Association of Coaching), é autora dos livros “Paixão em Vender – 5 Segredos do Vencedor”, “7 passos para se apaixonar pelo que faz” e “5 Passos para fortalecer sua Memória”. Site: www.silviabez.com.br

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142

blog-14-10

Comprar listas de emails: grande erro que algumas empresas cometem

Muitas empresas que estão começando no marketing digital acreditam que a compra de listas de emails é uma das melhores formas de iniciar o processo. No entanto, elas cometem um grande erro com esta prática.

O fato de ser uma das formas menos trabalhosas pode ser o motivo da continuidade desta prática. Outras justificativas como “se todo mundo faz, eu também posso” ou “com tanta gente nestas listas, não é possível que alguém não se interesse pelo negócio”, também estão entre as principais para que a área de comunicação da empresa faça isso.

E para mostrar o tamanho da cilada que é comprar listas de emails, indicamos abaixo alguns motivos para sua empresa não fazer isso:

1- As pessoas não se inscreveram para receber suas informações

Os contatos que estão nas listas compradas não imaginam como sua empresa conseguiu o email deles e isso passa uma má impressão.

Como há alguns anos não tínhamos tantas informações, receber uma grande quantidade de emails não impactava tão negativamente. Mas o fato das pessoas conseguirem encontrar informações pelos diversos canais de comunicação, faz com que qualquer mensagem não autorizada se torne um incômodo.

2- Ferramentas de envio podem considerar sua mensagem como SPAM

Outro fator que pode prejudicar bastante o envio de seus emails são as ferramentas de inteligência. Elas podem entender suas mensagens como SPAM e não mandá-las diretamente para a caixa de entrada. Isso afeta tanto a imagem da empresa, quanto pessoas que gostariam de receber suas informações.

3– A qualidade das listas nem sempre é boa

Nestas listas estão emails de todos os perfis possíveis, e, muitas vezes, as pessoas que recebem seus conteúdos nem fazem parte do seu público alvo. Outro problema muito comum é que vários destes emails já podem estar desativados e, ao fazer o envio de suas mensagens, os serviços de disparos interpretam que a lista não é atual. Desse modo, sua empresa vai para grupos com o rótulo de baixa reputação.

4- Bons serviços de email marketing podem barrar o envio

Pelo fato de muitas listas apresentarem taxas de marcação de SPAM e erros de entrega muito altos, elas podem prejudicar a reputação do servidor de envio. E para não terem a imagem queimada por mandarem mensagens sem autorização dos usuários, estas ferramentas proíbem a importação de listas compradas.

Portanto, ou o servidor proíbe o envio para estas listas ou, se ele permitir, a ferramenta não é bem qualificada.

5- Crie listas de contatos para sua empresa

Ainda que seja trabalhoso, criar as suas próprias listas de emails vale muito a pena. Para atrair contatos, crie conteúdos que sejam interessantes para os perfis que sua empresa procura. Isto traz diversos benefícios, como:

– Lista qualificada

As pessoas que estão nas suas listas conhecem sua empresa e permitiram receber seus conteúdos. Dessa forma, o índice de aberturas e cliques será muito mais alto.

– Vantagem competitiva

Quer dizer, mesmo que um concorrente copie seus produtos e serviços, vai demorar muito tempo para ele ter uma lista tão boa e um relacionamento próximo com tantos clientes quanto a sua empresa tem.

– Independência e economia

Sua empresa terá mais consistência e não vai depender da compra de listas para obter os resultados de marketing.

Com informações do site Resultados Digitais

Artigo: 2017 só será “novo” ano para negócios que se prepararem

*Por José Ricardo Noronha

Por mais incrível que possa parecer, um novo ano já se aproxima. Um 2017 que todos torcemos para que seja, de fato, “novo” em vários aspectos.

Novo no que diz respeito à tão fundamental retomada da confiança do empresariado e da população em geral.

Novo também no que se refere à tão esperada e necessária retomada da economia.

E novo também diante das incríveis oportunidades que todos nós temos à nossa frente para construir negócios e empresas ainda mais vigorosos e bem sucedidos, com elementos essenciais como alta performance e elevada produtividade de vendas ganhando ainda mais destaque.

Quando falamos em alta performance e em produtividade, falamos necessariamente da cada vez mais crucial melhoria do repertório de técnicas, habilidades, conhecimentos, comportamentos e atitudes de vendas dos nossos profissionais e líderes de vendas.

Sim, treinar e capacitar com foco 100% orientado ao incremento desses elementos nunca foi tão essencial quanto agora, neste mercado de aceleradas mudanças que vivemos.

Os clientes mudaram! As necessidades, problemas e exigências dos nossos clientes mudaram! Os nossos concorrentes mudaram! As condições econômicas mudaram! O mercado mudou!

Por isso, avalie e veja se você e sua empresa estão prontos para prosperar neste novo cenário. Construa desde já o 2017 para que ele seja, de fato, novo e espetacular!

* José Ricardo Noronha é vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Owen Graduate School of Management e é Professor dos MBAs da FIA. É autor dos livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”, além de idealizador da Universidade das Vendas. www.paixaoporvendas.com.br e www.universidadedasvendas.com.br 

Sobre José Ricardo Noronha

É vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Tem como sonho e missão transformar a carreira e a vida de milhares de profissionais e os resultados de vendas de empresas através do compartilhamento de lições, experiências, dicas e da sua própria história de superação pessoal.

Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Vanderbilt University (Owen Graduate School of Management) e atua como professor dos Programas de MBA da FIA e também do Programa de Educação Continuada do Corretor de Imóveis do CRECI/SP.

Escreveu os livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”, que contam com a participação especial de experts como Gustavo Cerbasi, Robert Wong, Eugenio Mussak, Raul e James Hunter, entre outros. É considerado um dos 5 maiores palestrantes e professores de vendas do Brasil.

É também idealizador da Universidade das Vendas, plataforma com dezenas de horas de conteúdo online sobre vendas, atendimento, negociação, liderança e outros.

www.paixaoporvendas.com.br
www.universidadedasvendas.com.br
www.josericardonoronha.com.br

Atendimento à imprensa:

Almir Rizzatto – RZT Comunicação
almir@rztcomunicacao.com.br
www.rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 | 99628-1733