Artigo: Aprenda a ser feliz e ter disposição para os desafios da vida

*Por Eunice Brito

Vivemos numa era em que muitas pessoas se relacionam de forma virtual ou se isolam, com medo de se entregar ou fazer a troca humana com os outros. Esse modelo “fast” nos afasta de nossa essência e da possibilidade de nos conhecer melhor.

Temos pressa para alcançar nossos objetivos, metas e resultados, incluindo a imagem do ser humano perfeito, que gera autocobrança e exigência nos relacionamentos. Então, pergunto: a que preço nos lançamos na corrida do sucesso, considerando apenas os valores materiais? Como ficamos na relação conosco mesmo e com o outro? Que planeta estamos alimentando para as futuras gerações?

Este artigo é fruto de pesquisas que pensam o ser humano na sua integridade, considerando os aspectos material, espiritual e relacional. Quando falo em espiritual não destaco nenhuma seita ou religião, apenas a dimensão espiritual presente em todos os seres vivos.

Os aprendizados da vida fazem com que nos dividamos para atender as necessidades, os papéis e as funções em que nos colocamos. Estas partes, às vezes, se encontram e conversam entre si, mas em outras convivem dialogando em oposição. Estas dinâmicas nos afastam de quem somos em essência.

O desafio aqui é reunir ou estabelecer o diálogo consciente com todas as partes que coexistem dentro de nós, buscando sentir a paz interior. E, assim trabalhar pela paz nas relações e no todo.

A paz pressupõe a aceitação de todas as sensações, pensamentos e sentimentos pessoais. Tomar consciência de nós mesmos nos leva ao caminho de fazer as escolhas da vida de forma mais consciente, buscando o contato com a integridade e a harmonia interna. Desta forma, somos nossos próprios tomadores de decisões, ao invés de decisões baseadas em padrões aprendidos.

Os padrões aprendidos podem ser interessantes se realmente estiverem alinhados com a nossa integridade e harmonia enquanto pessoas. A integridade e a harmonia de nosso ser têm como ponto de partida a autoestima, a percepção e a consciência que temos de nosso Eu, da essência que mora dentro de nós e que, mesmo com todas as experiências, continua integro em nós.

Algumas teorias denominam esta parte de Self, centro interior, etc. O importante é saber que existe esta Luz que nos impulsiona à vida e nos diz que somos a manifestação da força Universal e, portanto, merecemos Amor.

Quando conseguimos nos conectar com a expressão desta força, sentimos alegria e disposição para enfrentar os desafios da vida. Conseguimos, ainda, responder aos eventos e circunstâncias de forma consciente, ao invés de nos tornar reativos aos fatos e situações. Enfim, tornamo-nos autorresponsáveis por tudo que chega ou acontece na nossa trajetória.

*Eunice Brito é Psicóloga, Consultora, Coach, fundadora da Semilla Treinamento Empresarial e uma das organizadoras da Formação no Modelo de Validação Humana Virginia Satir (www.virginiasatir.com.br) no Brasil. Site: www.semilla.com.br

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fone: (11) 5051-8142

Artigo – 2017: O que se passa na cabeça dos CEOs brasileiros?

O mais respeitado Fórum Econômico do mundo acontece anualmente na linda e fria Davos, na Suíça. E, como já é de praxe, é lá que a gigante global de auditoria e consultoria PwC lança a tão esperada e crível “Pesquisa Global com CEOs” ou “Global CEO Survey”. O levantamento sempre nos brinda com informações e dados estatísticos muito interessantes sobre os principais desafios, oportunidades, percepções, expectativas e anseios dos maiores líderes empresariais do mundo.

Como de costume, a 20ª edição da pesquisa traz dados que merecem a especial atenção de empresários, empreendedores e gestores, que têm a responsabilidade de liderar pessoas e promover as tão necessárias mudanças que propiciem a construção de negócios mais sustentáveis. Isso principalmente por estarmos em um mundo cada vez mais desafiador, imprevisível, incerto e igualmente repleto de boas oportunidades às empresas e profissionais bem preparados.

Selecionei alguns dados muito relevantes envolvendo nosso mercado:

Otimismo: Os executivos brasileiros figuram entre os mais otimistas do mundo. Impressionantes 57% dos executivos entrevistados se disseram “muito confiantes no crescimento de sua empresa nos próximos 12 meses”, sendo que, na média global, apenas 38% dos presidentes de grandes empresas demonstram a mesma confiança.

Prudência e realismo: Muito embora os executivos brasileiros se mostrem bastante confiantes, quase todos eles (90%) falaram de crescimento orgânico (sem aquisições) e apenas 36% compartilharam o desejo de ampliarem seus quadros de profissionais.

Não à passividade: 2017 será um ano tão ou até mais desafiador que 2016, especialmente para nós, brasileiros. Diante disso, empresas e seus respectivos líderes não podem ser passivos e precisam ter a coragem necessária para empreender os melhores e mais inteligentes esforços que os permitam construir negócios cada vez mais sustentáveis. Isso, em um mundo incrivelmente comoditizado (com produtos, serviços e soluções cada vez mais similares), passa necessariamente pela maior capacitação do seu pessoal e pela tão fundamental inovação que permita identificar áreas de melhoria nos mais diversos mercados.

Capacitação e treinamento: Uma expressiva parte dos executivos brasileiros entrevistados (69%) apontou a disponibilidade de mão de obra qualificada com as competências chave requeridas pelas suas empresas como um dos seus maiores desafios. Diante disso, tenho absoluta convicção emergir uma vez mais a importância de as empresas investirem de forma cada vez mais estruturada e inteligente no incremento das habilidades, competências e conhecimentos chave que tenham ligação umbilical com os objetivos estratégicos, desafios e oportunidades que cada empresa busca em sua respectiva área de atuação.

2017 tem tudo para ser um grande ano! Já temos uma série de indicadores que corroboram com esta visão otimista e realista:

• Queda na inflação, que tem impacto direto na redução das taxas de juros e que, por consequência, reflete diretamente na redução das taxas de crédito, tão essencial para um país que busca a retomada econômica.

• Aumento da confiança do empresariado brasileiro atestado pela Pesquisa da PwC e por outras pesquisas de fontes bastante confiáveis.

• Aumento do fluxo de capitais estrangeiros ao País, que traz consigo maior liquidez e a tão fundamental retomada dos investimentos que podem acelerar a retomada econômica.

Novo cenário

Diante de tudo isso, tenho convicção que estamos diante de um novo cenário. Um novo horizonte que será marcado de um lado por clientes extremamente exigentes, bem informados e repletos de boas opções à sua frente. E, por outro, por concorrentes cada vez melhores, mais agressivos e com produtos, serviços e soluções muito similares – quando não absolutamente iguais – aos que comercializamos em nossas empresas.

Destaque-se novamente o elemento mais crucial para o crescimento do País e que já ocupa um lugar de relevância nas mentes e ações dos principais líderes empresariais brasileiros: a educação de qualidade. Muito embora tenha sido tão negligenciada ao longo das últimas décadas, ela será certamente o fator cada vez mais preponderante de diferenciação competitiva em um “mercado de iguais”.

Assim, irão brilhar os profissionais e empresas que têm paixão pelo que fazem, expertise em seus mercados e crença inabalável de que a educação é dos elementos essenciais para a busca do sucesso e de resultados de vendas cada vez melhores e sustentáveis.

Aliás, pego aqui emprestada uma análise realmente incrível do Fundador e Presidente do Fórum Econômico de Davos, Klaus Schwab, que cunhou o termo “Talentismo”, que tão bem condensa esta ideia de que o maior e mais importante diferencial competitivo das empresas estará em suas pessoas:
“Não serão os grandes peixes que irão ‘papar’ os peixes pequenos, e sim os peixes mais rápidos que irão engolir rapidamente os peixes mais lentos.”

O Brasil, enfim, viverá o momento de retomada da economia e de crescimento das vendas nos mais diversos setores.

Será que você e seus profissionais estão prontos para surfar nesta nova, incrível e igualmente traiçoeira onda?

* José Ricardo Noronha é vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Owen Graduate School of Management e é Professor dos MBAs da FIA. É autor dos livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”. www.paixaoporvendas.com.br

Sobre José Ricardo Noronha

É vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Tem como sonho e missão transformar a carreira e a vida de milhares de profissionais e os resultados de vendas de empresas através do compartilhamento de lições, experiências, dicas e da sua própria história de superação pessoal.

Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Vanderbilt University (Owen Graduate School of Management) e atua como professor dos Programas de MBA da FIA e também do Programa de Educação Continuada do Corretor de Imóveis do CRECI/SP.

Escreveu os livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”, que contam com a participação especial de experts como Gustavo Cerbasi, Robert Wong, Eugenio Mussak, Raul e James Hunter, entre outros. É considerado um dos 5 maiores palestrantes e professores de vendas do Brasil.

Site: www.paixaoporvendas.com.br | Blog: www.josericardonoronha.com.br

Atendimento à imprensa:

Almir Rizzatto – RZT Comunicação
almir@rztcomunicacao.com.br
www.rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 | 99628-1733

video-marketing-digital

Como usar vídeos na estratégia de Marketing Digital

Entre as diversas práticas do Marketing Digital, a produção de vídeos é uma das que mais se destaca no mercado. Diversificar a publicação do conteúdo deixa o blog e as páginas das redes sociais mais dinâmicas e interessantes para o público alvo e, às vezes, o tema explicado por uma pessoa falando pode ser mais didático para o consumidor.

Um dado relevante a esse respeito mostra que 85% das pessoas que assistem a um vídeo explicativo sobre um produto ou serviço está mais propenso a comprá-lo. E como uma das finalidades do Marketing Digital é aumentar as vendas das empresas, esta é uma ferramenta que não pode faltar no seu planejamento.

Mas, se produzir um vídeo ainda parece uma coisa muito complexa para você, mostramos algumas dicas para começar a gravá-los:

1- Faça um bom planejamento

Faça um panorama geral sobre o que já é realizado em marketing digital na empresa e veja quais são os pontos mais efetivos. Foque no interesse e linguagem de seu público e analise quais informações vão suprir as necessidades dele naquele momento. Temas que exigem uma explicação mais prática serão materiais perfeitos para gravar e ajudarão seus seguidores a compreenderem melhor sobre o produto ou serviço.

2- Insira os vídeos no site

Muitas pessoas ainda acham que os vídeos no site da empresa se limitam apenas aos assuntos institucionais. Entretanto, esta estratégia está muito ultrapassada nas práticas do Marketing Digital.

Publicar um vídeo de interesse do público deixará o site da empresa mais interessante. Muitas pessoas clicam para assistir ao conteúdo sem nem mesmo ler o que o texto fala sobre ele, sem contar que estes materiais aumentam o tempo que o usuário passa em uma página.

Ou seja, além de passar mais informação sobre a empresa, os vídeos vão motivar as pessoas a explorarem mais conteúdos do site. Assim, elas acabam conhecendo o diferencial e se aproximam do seu negócio.

3- Insira os vídeos nas redes sociais

Mais comum que nos próprios sites, as marcas que já trabalham com a produção de conteúdo em vídeo disponibilizam estes materiais em suas páginas das redes sociais. O Facebook é a plataforma em que este tipo de postagem ganha mais destaque e a capacidade de impactar as pessoas é maior.

Outra estratégia interessante é aliar vídeos com links ou botões de “call to action” para levar o usuário ao site, blog ou outra página que seja relevante para a empresa.

Assim como os conteúdos escritos, também é possível fazer vídeos patrocinados. Você alcançará um número maior de pessoas e não precisará gastar muito para isso.

4- Agregue valor aos seus vídeos

Além dos conteúdos abertos, vale utilizar os vídeos em formatos de conteúdos ricos, como webinars, para fazer com que as pessoas tenham que deixar seu contato em troca do privilégio de assisti-los.

Por conteúdos realmente interessantes as pessoas não se importam em preencher alguns dados antes de assistir aos vídeos. E este tipo de estratégia é muito inteligente, pois, enquanto você fornece informações valiosas para o público sobre o seu negócio, captura os contatos e consegue trabalhar o material de forma mais focada nos interesses de cada um.

5- Relacione-se com o público

Como já falamos, as pessoas estão mais propensas a assistir um conteúdo em vídeo do que ler um artigo escrito. Um email com o assunto “vídeo” despertará muito mais a atenção do usuário, aumentado a chance dele abrir a mensagem, assistir ao conteúdo e preencher eventuais dados que empresa esteja solicitando.

Por chamar mais atenção, os vídeos são uma ótima maneira para se relacionar com o público, seja no site, nas redes sociais ou por email. Invista neste formato e tenha um contato muito maior com seus consumidores.

6- Acelerar suas vendas

Já deu para entender o poder de convencimento e credibilidade que os vídeos têm. Então use isso a seu favor para aumentar seus lucros.

Se precisar de um impulso no processo de venda com seu cliente, tente, por exemplo, enviar um vídeo a ele com depoimentos de outros clientes falando sobre a ótima experiência que tiveram com seu produto ou serviço. Isso ajudará no encantamento do consumidor em potencial, que provavelmente fechará negócio com você.

Portanto, se o seu negócio ainda não trabalha com vídeos como estratégia para capturar clientes, está na hora de incluir esta prática nos planejamentos de comunicação. Isso traz um diferencial capaz de gerar inúmeros benefícios, além de aproximar o relacionamento com seu público.

Com informações do blog Sambatech

engajamento-empresas

Engajamento online é fundamental para a imagem das empresas

As plataformas digitais revolucionaram o relacionamento entre as pessoas e as marcas. Além de facilitar o contato com as empresas, é muito fácil acessar informações e opiniões alheias sobre um produto, o que faz com que os clientes fiquem cada vez mais exigentes.

O crescimento de usuários das redes sociais exige que as empresas participem e tenham interação com seus seguidores. É por meio do engajamento online que os conteúdos são viralizados e as opiniões disseminadas, agregando valor para a marca.

Mas afinal, o que é engajamento? Nada mais é do que o envolvimento e interação nas mídias sociais. O conceito vai além do número de seguidores ou curtidas em redes sociais e cria um relacionamento.

Este engajamento online é fundamental para a imagem e reputação das empresas, pois estabelece uma lealdade com o consumidor. Uma pesquisa aponta que 50% dos consumidores engajados realizam compras pela internet diversas vezes na semana. Ou seja, investir em uma estratégia para aumentar o envolvimento dos clientes nas mídias é muito importante para o crescimento das vendas.

Como criar e melhorar o engajamento online

Interagir, monitorar e gerenciar as páginas das redes sociais é o primeiro passo para manter um bom engajamento. Para isso, mantenha os conteúdos sempre atualizados, com discursos alinhados ao posicionamento da marca e da linguagem que usa para se comunicar com seu público.

Para a gestão de engajamento das redes sociais, utilize ferramentas que trazem indicadores e diretrizes que mostram exatamente quantos usuários foram impactados, quais os conteúdos tiveram mais interação e se foram eficazes ou não para obter bons resultados.

Como já falamos outras vezes aqui no blog, conteúdo é fundamental para sustentar os sites e redes sociais das empresas. Somente com um bom engajamento você terá interação do público e interesse de outros usuários, que poderão se tornar futuros consumidores.

Com informações do portal Comunique-se

Encantar e surpreender clientes são as práticas ensinadas por Erik Penna em seu novo livro

O consultor e especialista, Erik Penna, lança seu novo livro “Atendimento Mágico – Como Encantar e Surpreender Clientes”. Voltado para vendedores que desejam aprimorar o atendimento aos seus clientes, a obra divide-se em três partes: a primeira é centrada em como atender melhor, a segunda focada em motivação de pessoas e a terceira é sobre como vender mais.

Composto por reflexões e dezesseis dos melhores textos escritos por Erik Penna, o livro apresenta diversas práticas para desenvolver a cultura do encantamento ao cliente. Além disso, conta como toda equipe pode, não apenas atender pessoas, mas sim, surpreendê-las através de um trabalho realmente diferenciado e mágico, que conquista e fideliza o consumidor.

Para explicar da forma mais didática possível as técnicas de atendimento para o leitor, o livro apresenta os seguintes tópicos:

– Onde começa a excelência?

– Qual é o tripé básico de um atendimento mágico?

– Um atendimento encantador pode mesmo fidelizar clientes?

– Quais são os passos para implementar e manter um atendimento de alto nível da equipe?

– Como fazer do atendimento uma vantagem competitiva?

– Quais são as atitudes que podem transformar sonhos em realidade?

– Por que um bom vendedor atua como um ótimo médico?

– Quais são os 10 mandamentos dos campeões?

Seja para treinar a equipe de vendas ou melhorar as próprias práticas profissionais, “Atendimento Mágico – Como Encantar e Surpreender Clientes” é uma leitura fundamental para aprimorar os conhecimentos e conquistar de vez os consumidores.

Ficha técnica:

Livro: Atendimento Mágico – Como Encantar e Surpreender Clientes
Autor: Erik Penna
Editora: Gráfica e Editora Santuário
Formato: 14 x 20,5 cm
ISBN: 978-85-920497-1-3
Número de páginas: 112
Valor: R$ 30,00 + frete
Onde comprar: www.erikpenna.com.br

Atendimento à imprensa

Patrícia Arantes – RZT Comunicação
patricia@rztcomunicacao.com.br
www.rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 | 99873-6008

 

facebook

Facebook lança ferramenta para legendas automáticas nos vídeos

Em fevereiro passado, o Facebook introduziu uma nova ferramenta para criar legendas automaticamente para anúncios em vídeo. Agora, a plataforma está estendendo o recurso a todos os vídeos publicados pela fanpages.

Pesquisas apontam que, quando o som começa a tocar inesperadamente, 80% dos usuários do Facebook reagem negativamente e rolam a página para outra postagem. Esta é a principal razão pela qual os vídeos silenciosos tendem melhor desempenho na rede social.

Você deve imaginar que um vídeo sem som não faz muito sentido. E é difícil para os profissionais de marketing e comunicação transmitirem suas mensagens em silêncio. Por isso, as legendas se tornaram muito importantes.

Você pode importar um arquivo SRT e colocar legenda em seus vídeos, mas desde outubro passado, o Facebook disponibiliza a ferramenta de “auto-caption” para todas as páginas. Hoje, a maioria delas pode usar este recurso.

A ferramenta é alimentada pelo software de reconhecimento de voz do Facebook. Na maioria das páginas ele está localizado no canto direito. E, claro, é possível revisar e editar as legendas geradas automaticamente antes de publicar seu vídeo. Observe que também é possível adicionar legendas automáticas aos vídeos que você já publicou.

Para adicionar legendas de forma automática, vá à sua biblioteca, selecione o vídeo que deseja editar e clique em “legendas”. Se sua página já tem este recurso ativado, o botão “gerar” já deve estar disponibilizado.

Com informações do site Sniply

conteudo-blog

7 ideias de conteúdo para publicar em seu blog

Manter um blog é uma das principais ações do Marketing de Conteúdo. Publicar frequentemente neste espaço atrai visitantes e torna o site da empresa uma referência na área em que atua.

Entretanto, postar artigos interessantes pode ser uma tarefa muito difícil para as empresas. Muitas vezes, o responsável por essa função se pergunta “que tipo de post posso produzir?” ou “qual o formato mais indicado para este tema?”.

Por isso, mostramos 7 tipos de conteúdo que você pode fazer para nutrir o seu blog. Veja quais são eles:

1- Posts educativos

Nestes artigos o principal motivo é educar os leitores sobre a área em que a empresa atua. No entanto, fique atento ao modo de como escreve, pois o intuito desta publicação é ensinar e não vender o produto ou serviço. Isto mostrará que a marca conhece o mercado e se tornará referência no assunto.

2- Notícias

Falar sobre as novidades do mercado também é um tema muito interessante. Para este caso, aproveite para postar enquanto o assunto é muito comentado, do contrário, se torna uma notícia ultrapassada.

3- Vídeos

A produção de vídeos, que já foi um tipo de conteúdo esporádico, hoje é uma prática fundamental para as publicações na internet e a eficácia dos resultados é comprovada.

Muitas pessoas preferem o conteúdo neste formato, então vai agradar ao público que prefere assistir vídeos a ler textos. Entretanto, também é interessante transcrevê-lo, porque uma parte dos usuários gosta de artigos por escrito. Ou seja, diversifique o modo da publicação que alcançará um número maior de visitantes e seguidores.

4- Entrevistas

Pessoas de diversos setores e até de fora da empresa podem ter boas dicas para compartilhar para o conteúdo do blog. Desse modo, é muito interessante fazer uma entrevista quando a pauta é relacionada com a especialidade de cada um.

Entrevistar pessoas que são referência no mercado cria um conteúdo de bastante qualidade para o blog, além de ser um grande aprendizado para o entrevistador.

5- Listas

Listas são ótimas maneiras de organização. Por isso mesmo, conteúdos com listas são muito atrativos e didáticos, sendo uma ótima opção para diversificar o seu blog. Para fazê-lo, pense em como dividir o tema em tópicos: ordem cronológica, do maior para o menor, sequencial, entre outros.

Esse tipo de post alcança resultados muito bons, pois são mais fáceis de ler, atiçam a curiosidade e simplificam a explicação do tema.

6- Pesquisas

Dados sobre o mercado em que a empresa atua são ótimas referências para dar credibilidade ao blog. Apresentar números é a forma mais concreta de falar sobre o cenário de atuação da organização, o que está em alta e quais serão as próximas tendências.

Caso não consiga fazer um estudo próprio, use como referência pesquisa de empresas parceiras ou institutos.

7- Experiências

Falar sobre o que faz no dia a dia é uma forma muito interessante de produzir conteúdo para os leitores. Organize e explique tudo sobre uma tarefa ou projeto e conte no blog.

Para muitas empresas, compartilhar os aprendizados pode ser algo prejudicial para o próprio negócio. Entretanto, para o Inbound Marketing, contar sobre o “know-how” fortalece muito mais a imagem da marca.

Estas são algumas ideias para que você consiga nutrir o blog da empresa com mais facilidade. Entretanto, todas têm uma peculiaridade que com certeza deve ser interessante para o público-alvo. Use isso a seu favor e faça sua página virar uma referência na área.

Com informações do site Resultados Digitais

Artigo: Você tem expectativas ou intenções para 2017?

*Por Eunice Brito

No início de um novo ciclo da vida, como um novo ano, é comum as pessoas fazerem muitos planos, traçarem metas e planejarem mudanças, baseadas muitas vezes em expectativas.

Em geral, no final do ano, muitas se deparam com uma sensação de frustração, como se o planejado não tivesse tido força e não passasse de um sonho não realizado, atribuindo a responsabilidade do não ocorrido às condições ou a pessoas.

Analisando os fatores de insucesso e sucesso do planejamento de um novo ciclo, me deparo com duas forças presentes: as expectativas e a intenção.

O dicionário traz as seguintes definições:

1- Expectativa: substantivo feminino

Situação de quem espera a ocorrência de algo, ou sua probabilidade de ocorrência em determinado momento.

Estado da pessoa que espera ou aguarda pela ocorrência de algo provável ou viável; esperança que se baseia em pressupostos ou possibilidades; perspectiva, probabilidade ou possibilidade.

Sinônimos: espera, esperança, perspectiva, possibilidade, probabilidade e promessa

2- Intenção: substantivo feminino

Aquilo que se pretende fazer; propósito, plano, ideia. Aquilo que se procura alcançar, conscientemente ou não; desejo, intento.

Resultado da vontade depois de admitir uma ideia como projeto.

O que está planejado ou se pretende alcançar.

Sinônimos: desígnio, finalidade, intento, propósito,  vontade, alvo, destino, determinação, disposição,  intuito, meta, objetivo, plano, projeto

Pode-se perceber as diferenças dos planos, metas e sonhos que não trazem em si a força da intenção. Enquanto expectativa refere-se a algo dependente do externo, a intenção traz em si o in de interno e ação de movimento.

As expectativas são baseadas em espera de que algo possa acontecer e trazem consigo idealizações e fantasias ancoradas em relações de dependência de condições, pessoas, empresa, governo, onde projeta-se as condições para que tal coisa se realize.

Na expectativa, esperamos que algo aconteça de uma determinada forma e, quando o novo se apresenta no horizonte, algumas pessoas não o reconhece como oportunidade, simplesmente pelo fato de que não é da forma como idealizou no seu pensamento. Esta forma idealizada pode estar ligada a velhos aprendizados, programações e crenças que não foram renovadas dentro de si mesmo.

A expectativa é como uma promessa idealizada que fazemos a nós mesmos, sem o compromisso com o resultado e por isso acarreta frustrações e sensações de menos valia que resvala na nossa autoestima. Exemplo: “No próximo ano eu espero conseguir uma nova posição no trabalho ou neste ano eu espero me casar”.

Se não houver o movimento interno necessário na direção do que queremos, os sonhos não se tornam realidade. É preciso vontade, empenho, dedicação e acreditar que somos capazes de conquistar o que desejamos, porque temos um propósito, uma finalidade evolutiva de crescimento e isso requer determinação e superação de obstáculos. Para Carl Gustav Jung, psicólogo criador da Psicologia Analítica, é como um desígnio, uma força de atração que nos diferencia das massas, nos coloca ao encontro de nossa essência, nos fazendo seres únicos e ao mesmo tempo semelhantes.

A intenção é uma força conectada com o nosso propósito de vida, onde colocamos a energia da vontade a serviço do nosso projeto, seja pessoal ou profissional. Os recursos independem de condições. Imprimimos a energia necessária para sua realização. Existe o compromisso com o resultado e com os valores que guiam a existência humana.

Eu entro em contato com a minha capacidade de realização e, mesmo nas condições adversas, consigo a força necessária para que meu sonho entre em ação. Se as coisas não se apresentam como o traçado imaginado, posso redirecionar a minha ação, sem perder o compromisso com a intenção.

Muitas vezes a manifestação da intenção não é exatamente como imaginamos, mas por sabermos da finalidade e do compromisso evolutivo de vida, podemos reconhecer a oportunidade de mais um passo em direção as nossas reais potencialidades.

Intenção pressupõe desafios, porém, descortina novos elementos a respeito da nossa própria realidade. A própria palavra contém em si ação, movimento que pode transformar obstáculos em oportunidades e, assim, nos impulsionar à criação de novas realidades mais apropriadas, coerentes e sustentáveis à nossa essência.

A intenção é a portadora da boa nova onde o movimento evolutivo acontece. Alguns quando olham para isso o chamam de sorte, mas, para quem se reconhece como uma manifestação da Força Universal, confia no movimento e faz a travessia na linha do tempo confiante do futuro.

*Eunice Brito é Psicóloga, Consultora, Coach, fundadora da Semilla Treinamento Empresarial e uma das organizadoras da Formação no Modelo de Validação Humana Virginia Satir (www.virginiasatir.com.br) no Brasil. Site: www.semilla.com.br

Sobre Eunice F. O. Hilsdorf Brito

É psicóloga, coach e consultora de empresas, com atuação há 30 anos no segmento de desenvolvimento humano. Possui diversas formações nacionais e internacionais, entre elas em Psicologia Analítica Junguiana, Antroposofia, Consultoria Sistêmica, Constelação Familiar e Organizacional, Modelo de Validação Humana da Virginia Satir, Coaching com PNL, Coaching Generativo, Coaching Sistêmico, Coaching Integrativo e Coaching Estrutural.

Coordenou a primeira Formação em Constelação Sistêmica em Florianópolis e a primeira Formação no Brasil no Modelo de Validação Humana – Modelo Virginia Satir. Realiza grupos de Constelações Sistêmicas familiar e organizacional.

Atua em consultório com atendimentos individuais em psicoterapia, coaching e orientação profissional e vocacional. Em empresas desenvolve projetos de team building, desenvolvimento de liderança, sucessão e processos de mudança.

Seu propósito é trabalhar pela ampliação de consciência de pessoas, grupos e organizações.

Site: www.semilla.com.br

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142

 

integracao-comunicacao-marketing

Os benefícios da integração entre o marketing e a comunicação

As áreas de marketing e comunicação são muito semelhantes, o que leva aos profissionais destes dois segmentos a trabalharem em conjunto. Resumidamente, o marketing é responsável pela parte das vendas do produto, enquanto a comunicação define o modo como irá divulgá-lo para o público-alvo.

A comunicação, antes vista como um setor complementar, hoje é fundamental para a estratégia das empresas. Suas atividades compreendem um conjunto de atividades, ações, estratégias, produtos e processos desenvolvidos para reforçar a imagem da organização para a mídia e seu público-alvo.

O profissional de comunicação é responsável por transmitir a informação para os consumidores e formadores de opinião da forma mais adequada para cada meio. Assim, ele promove os produtos de modo que o consumidor tenha interesse e seja interessante para a divulgação pela mídia.

Enquanto a comunicação foca no trabalho de imagem e transmissão de informações, o marketing é voltado aos negócios, vendas e mercado consumidor. Realiza estudos sobre o produto, a concorrência e os consumidores.

Cabe à equipe de marketing perceber os desejos e necessidades dos clientes para guiar as próximas estratégias. Também avalia os produtos e serviços que devem ser ofertados, baseados no perfil dos consumidores, para garantir os melhores resultados.

Mesmo pertencendo a segmentos diferentes, as práticas de comunicação e marketing se completam e fazem parte de um mesmo propósito dentro das empresas, cada uma atuando do modo mais efetivo.

O alinhamento entre as duas áreas é pensado de forma diferente para cada empresa. E é extremamente vantajoso manter estas duas equipes trabalhando unidas nas organizações. Confira alguns destes benefícios:

– Alinhamento de discurso e objetivo: a falta de alinhamento entre os departamentos é um grande problema e pode causar prejuízos na imagem e posicionamento das organizações. O trabalho em conjunto de comunicação e marketing resulta no esforço coletivo que pode trazer resultados muito positivos.

– Redução de custos: quando as áreas semelhantes trabalham em conjunto, os resultados ficam prontos mais rapidamente, diminuindo o retrabalho e os custos para a realização dos projetos.

– Menos erros e mais resultados: conhecimentos complementares e processos verificados de forma mais abrangente reduzem as chances de erros. A comunicação passa a entender melhor o mercado no qual a empresa atua e o marketing compreende o discurso transmitido.

– Comunicação pensada de forma rentável: o marketing associado à comunicação apresenta uma abordagem mais interessante para o mercado, já que esta estimula o cliente, baseando-se em suas necessidades.

Com os conhecimentos de marketing, a comunicação passa a ser mais assertiva e alinhada com o mercado, enquanto o marketing aborda os clientes de forma mais pessoal e atrativa.

Com informações do portal Comunique-se

Artigo: 5 dicas para turbinar a motivação de seus profissionais em 2017

*Por José Ricardo Noronha

Pare e pense: quem são os líderes que mais lhe têm inspirado, seja no campo pessoal, político ou profissional? Você deve ter encontrado bastante dificuldade neste exercício, não é mesmo? Especialmente na área profissional, nunca estivemos tão carentes de pessoas inspiradoras, que se preocupam em construir bons resultados da forma mais ética possível.

E esta construção de resultados passa pela valorização e entendimento pleno dos pontos fortes, talentos e até mesmo os pontos de melhoria dos profissionais. E isso só é possível com a proximidade dos líderes com seus liderados. Entretanto, na maioria das vezes se percebe que o líder está distante e pouco conhece os sonhos, as aspirações e os desejos dos colaboradores. Muitos, ainda, preferem liderar ao modo de pressão extrema e com pouco contato.

Disso tudo, deriva, entre outros efeitos, os baixíssimos níveis de engajamento e motivação, que são percebidos em organizações do mundo inteiro. Nos Estados Unidos, por exemplo, a conceituada consultoria Gallup estima que apenas 1/3 dos profissionais estejam realmente engajados em seus trabalhos. E a mesma pesquisa ainda aponta que a falta de motivação tem um custo anual de aproximadamente US$ 350 bilhões. Inacreditável, não é?

E para ajudar você, que é líder da sua organização, a incrementar os níveis de engajamento e motivação de seus profissionais, eu compartilho cinco dicas espetaculares para fomentar uma equipe que privilegie a criação de um ambiente de automotivação. Vamos lá:

1) Dê maior autonomia aos seus profissionais: as pessoas valorizam cada vez mais a autonomia. Com menor autonomia, menor é a motivação e o engajamento. Por outro lado, quanto mais empoderamento para seus profissionais, maior o engajamento e motivação por parte deles.

2) Estabeleça um vínculo com seus profissionais: isso só é possível quando você conhece os valores, sonhos e propósitos de seus liderados. Implante uma cultura que privilegie um feedback mais frequente e genuíno possível. Mostre que você se importa com eles.

3) Crie metas SMART: que sejam, de fato, específicas, mensuráveis, atingíveis e relevantes no tempo estabelecido. Um exemplo prático: ao invés de colocar pressão extrema em cima do que precisa ser feito pelos vendedores de sua empresa para atingirem suas metas, crie em conjunto com eles metas que tenham estes cinco componentes: específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e com tempo estabelecido.

4) Fomente uma cultura de aprendizagem contínua: celebre os grandes aprendizados, pois são eles os responsáveis pelo desempenho, eficácia e produtividade de vendas da sua empresa. Foque na educação de alta performance.

5) Foque no propósito e nos valores: fuja do modelo tradicional de gestão de vendas apenas baseado em métricas e indicadores de alta performance. Tenha um alinhamento no propósito de existência e dos valores da empresa e dos seus profissionais. Isso faz com que eles se sintam motivados e que o trabalho tem um valor grandioso, que vai além dos lucros. Lembre-se que um dos maiores motivos que levam as pessoas a se desligarem de sua empresa é a sensação de falta de motivação, que se explica, em muitos casos, do distanciamento dos líderes.

Portanto, busque colocar estas cinco dicas em prática: autonomia, maior vínculo com os liderados, metas SMART, cultura de educação e propósito de valores. Assim, você vai ver o engajamento e a motivação de seus profissionais crescerem de forma exponencial.

Sucesso!

* José Ricardo Noronha é vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Owen Graduate School of Management e é Professor dos MBAs da FIA. É autor dos livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”, além de idealizador da Universidade das Vendas.www.paixaoporvendas.com.br e www.universidadedasvendas.com.br 

Sobre José Ricardo Noronha

É vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Tem como sonho e missão transformar a carreira e a vida de milhares de profissionais e os resultados de vendas de empresas através do compartilhamento de lições, experiências, dicas e da sua própria história de superação pessoal.

Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Vanderbilt University (Owen Graduate School of Management) e atua como professor dos Programas de MBA da FIA e também do Programa de Educação Continuada do Corretor de Imóveis do CRECI/SP.

Escreveu os livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”, que contam com a participação especial de experts como Gustavo Cerbasi, Robert Wong, Eugenio Mussak, Raul e James Hunter, entre outros. É considerado um dos 5 maiores palestrantes e professores de vendas do Brasil.

Site: www.paixaoporvendas.com.br | Blog: www.josericardonoronha.com.br

Atendimento à imprensa:

Almir Rizzatto – RZT Comunicação
almir@rztcomunicacao.com.br
www.rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 | 99628-1733