Linguagem corporal

Atente-se à linguagem corporal durante uma negociação

Certamente você já deve ter escutado a frase “o corpo fala”. Isso vale em qualquer situação, até mesmo numa negociação. A linguagem corporal é algo que pode ser aprendido, tanto como a expressão como a interpretação dos sinais do corpo. Para isto, porém, é necessário estar atento aos movimentos, na sua própria postura e na de seu interlocutor.

A linguagem corporal pode ajudar em situações nas quais se lida com decisões ou se está sob pressão, com a interpretação em pequenas nuances. Baseado no livro “A linguagem corporal no trabalho”, de Allan e Barbara Pease (Editora Sextante), vamos demonstrar algumas dicas principais para auxiliar a comunicação corporal numa negociação.

– Cabeça: Incline a cabeça ao escutar. Este gesto irá inspirar confiança em seu interlocutor; assentir com a cabeça certificará o outro que você está interessado e ouvindo. Mas não faça isso de forma rápida, pois o gesto pode ser interpretado como impaciência. Faça-o levemente, balançando a cabeça três vezes, para que a pessoa se sinta tranquila.

– Pernas: estes membros podem revelar o sentimento do outro em relação à conversa. Se estiverem cruzadas, seu interlocutor pode estar inseguro, mas caso estejam abertas e relaxadas, a pessoa tende a aceitar o negócio ou pretende dominar a situação.

– Cotovelos: ao se sentar para uma negociação, mantenha os cotovelos inclinados sobre os apoios da cadeira. Essa postura denota imponência e ao mesmo tempo integridade. Por outro lado, quem fica com os braços caídos pode demonstrar insegurança e fragilidade.

– Ofereça um café: ao fazer isto, observe como o outro se comporta. Quando ele der o primeiro gole, caso tenha insegurança, segurará a xícara frente ao corpo formando uma barreira com o braço. Se estiver segura, a pessoa tende a deixar o copo sobre um apoio.

– Imite o outro: imite a linguagem corporal do seu interlocutor para que se crie uma afinidade. Faça isso sutilmente, imitando o tom de voz e expressões faciais.

(Com informações da Exame.com)

0 comentários

Faça seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *