transmissoes ao vivo

Veja como usar as transmissões ao vivo no Marketing Digital

As transmissões ao vivo estão cada vez mais em expansão. O recurso ganhou evidência com a popularização das redes sociais e com a melhoria dos serviços de internet no Brasil. As mídias sociais mais relevantes, como Facebook, Instagram, YouTube e Twitter já oferecem essa possibilidade aos usuários.

As lives, como também são conhecidas, estimulam uma interação maior com os consumidores. Estima-se que esse tipo de transmissão consegue engajar dez vezes mais do que vídeos que são gravados.

As transmissões ao vivo fazem parte da estratégia de Live Marketing, que tem o objetivo de atingir o público de forma direta e ao vivo.

Reter a atenção das pessoas e conseguir interações é um dos principais desafios das marcas. Por isso, é importante investir nesse recurso.

Confira a seguir algumas dicas de como utilizar esse formato em seu negócio.

Descubra como usar as transmissões ao vivo em sua estratégia de Marketing Digital

1) Crie live contents: produza transmissões ao vivo que forneçam algum tipo de conteúdo enriquecedor ao seu público. Você pode criar lives com bate-papos, fazer webinars e até mesmo cursos rápidos. Uma ideia é inserir a sensação de urgência nos seus seguidores e informar que o live streaming ficará disponível somente até determinado horário.

2) Transmita eventos: se sua marca realiza ou participa de eventos, é interessante divulgá-los para seu público por meio de lives. Dessa forma, você amplia as possibilidades de divulgação e disseminação do seu conteúdo, mesmo após o término do evento.

3) Faça Live Shopping: você pode mostrar os produtos disponíveis em sua empresa, para vendê-los em tempo real. Divulgue cada detalhe dos itens, como embalagens, cores, particularidades, de uma forma mais autêntica e próxima do seu público. Coloque nas transmissões ou no chat os links das ofertas. Sua marca pode, ainda, aproveitar para criar ofertas-relâmpago e gerar um senso de urgência nos espectadores.

Agora que você viu como usar as transmissões ao vivo, aproveite e coloque essas dicas em prática para beneficiar ainda mais sua estratégia de Marketing Digital.

*Fontes: Orgânica Digital; Sambatech

*Imagem: divulgação

backlinks

Entenda por que backlinks são importantes e saiba como consegui-los

Os backlinks ajudam de forma significativa no ranqueamento de qualquer página. O recurso consiste na inserção de links nos posts do seu site ou blog, com recomendações de conteúdos. Eles redirecionam para endereços externos ou para seu próprio website.

Quando são bem encaixados nos conteúdos, ajudam muito com o SEO (Search Engine Optimization). Eles podem, ainda, incentivar os usuários a permanecer por mais tempo no site, diminuindo a taxa de rejeição.

Confira a seguir como conseguir aproveitar essa técnica no seu negócio.

Veja como conquistar backlinks em sua estratégia de Marketing Digital

1) Produza conteúdos relevantes para o seu público: fique atento nos temas que interessam aos seus clientes e leads. Crie conteúdos que agradem a eles e, dessa forma, seu site começará a ser recomendado por outros websites. Esse processo ajudará, ainda, sua marca a se tornar referência.

2)Estabeleça parcerias:busque parceiros que ajudem a criar conteúdo para seu site. Essa estratégia, chamada de Guest Post, vai ajudar sua empresa a criar autoridade no assunto e ter um melhor ranqueamento. Da mesma forma, você pode escrever posts para outros blogs, divulgando os links da sua página nestes canais.

3) Faça promoções e ofereça brindes: essas ações despertam a atenção do público. Você pode criar promoções que incentivem o compartilhamento de um link para o seu site, por exemplo. Além disso, ao realizar esse tipo de oferta, outros sites podem se interessar e fazer parcerias com sua empresa, ajudando ainda mais na divulgação e na conquista de backlinks.

4) Tenha interações com outros sites: procure interagir com outros sites. Isso mostra para o público e empresas que o seu conteúdo é bom. Essa prática pode aumentar as chances de sua marca se tornar referência e realizar backlinks para o seu site.

Agora que você aprendeu como conseguir mais backlinks, coloque esses ensinamentos em prática e consiga ainda mais audiência para o seu site.

*Fontes: Profite; Mundo do Marketing

*Imagem: divulgação

spotify

Como usar o Spotify em sua estratégia de Marketing Digital

O Spotify é uma das plataformas de streaming de música mais conhecidas do mundo. Em maio de 2019, o serviço alcançou a marca de 217 milhões de usuários, se tornando o líder mundial nesse segmento.

Com essa quantidade significativa de audiência, é interessante investir na plataforma para beneficiar sua estratégia de Marketing Digital.

O Spotify permite que os usuários encontrem suas músicas prediletas no aplicativo, por meio do serviço de buscas da plataforma. As pessoas podem montar suas próprias playlists, assim como buscar amigos e conferir o que outros estão ouvindo. O serviço possibilita, ainda, que sejam criadas suas próprias estações de rádio.

Confira a seguir algumas dicas de como usar o serviço de streaming para conquistar ainda mais sucesso para o seu negócio.

Veja como utilizar o Spotify para alavancar sua estratégia de Marketing Digital

1) Faça uma playlist específica para seu público: crie uma seleção exclusiva de músicas para os seus clientes. Com base em seu banco de dados ou de informações coletadas por meio de redes sociais, monte a lista, compartilhe com os usuários do Spotify e divulgue na internet.

Por exemplo: se sua empresa trabalha com alimentos saudáveis, você pode criar uma lista musical com a classificação “músicas para ouvir durante o treino”, direcionadas para quem faz atividade física.

2) Promova anúncios na plataforma: faça uma publicidade que atraia os usuários, que seja agradável e compatível com o serviço de streaming. Você pode introduzir vinhetas entre a programação da playlist ou banners em vídeo.

3) Crie podcasts: o formato é um dos gêneros que mais faz sucesso na internet atualmente. Aproveite a tendência e crie conteúdos em áudio para disponibilizar no Spotify. Podem ser podcasts com notícias da empresa, informações sobre os projetos em andamento, antecipações de lançamentos, entre outros.

Agora que você aprendeu a usar o Spotify em sua estratégia de Marketing Digital, coloque essas dicas em prática e conquiste ainda mais o seu público.

*Fontes: On Flag; Cento e Vinte

*Imagem: divulgação

suporte online

Saiba como criar um suporte online que vai beneficiar sua estratégia de Marketing Digital

Investir em um suporte online de qualidade é essencial para fidelizar clientes. Quando o público sente que, além do problema ter sido solucionado, houve rapidez, eficiência e gentileza no atendimento, tem vontade de permanecer na empresa e, em muitos casos, indicá-la para colegas.

Garantir um bom suporte online para seus clientes pode trazer resultados positivos na fidelização e proporcionar um aumento nas vendas dos produtos e serviços, beneficiando ainda mais sua estratégia de Marketing Digital.

Veja a seguir como desenvolver um suporte que deixe o público satisfeito.

Confira como ter um suporte online que beneficia sua estratégia de Marketing Digital

1) Agir com empatia: a equipe de suporte online precisa demonstrar verdadeira empatia com o cliente, mostrar que se preocupa em solucionar o problema. Além disso, é interessante utilizar frases de gentileza e cordialidade. Esse tipo de atitude pode garantir uma maior satisfação no público.

2) Tentar resolver o problema no primeiro contato: o cliente sempre sente a necessidade de solucionar seu problema com rapidez, por isso, é importante que o suporte consiga oferecer a solução logo no primeiro atendimento. Para isso, é essencial ter uma base de dados ao alcance, com todas as informações disponíveis do seu público.

3) Oferecer prazos: caso o problema do cliente não possa ser solucionado no primeiro contato, a equipe de suporte deve informar, de forma clara e objetiva, para qual setor ele deverá ser direcionado, assim como uma previsão do tempo que levará para concluir o caso. É importante fornecer essas informações, para transmitir confiança no público.

4) Cuidado com a linguagem: as mensagens não precisam ser extremamente formais, mas, é importante que o texto seja escrito de maneira correta, com frases curtas e objetivas, para que o cliente entenda bem o conteúdo.

5) Manter um pós-atendimento: quando o problema do cliente for solucionado, a equipe precisa manter a cortesia, sempre demonstrando satisfação em atendê-lo. O suporte precisa certificar-se, ainda, se há mais algo para ajudar e se todas as dúvidas foram esclarecidas, para que o público tenha uma experiência realmente satisfatória.

Agora que você viu como ter um suporte online de qualidade, implante essas ações em sua empresa e veja como vai melhorar sua estratégia de Marketing Digital.

*Fontes: Hotmart; Desk Manager

*Imagem: divulgação

Marketing Digital

Jornalista deve ser multi para atuar no Marketing Digital

A atuação do jornalista no Marketing Digital pode (e deve) ir muito além da produção de conteúdo para sites, blogs e redes sociais. Hoje em dia, o mercado exige conhecimentos que vão muito além do que aprendemos na faculdade. Portanto, para aproveitarmos o boom do setor, a primeira coisa a ser feita é mudarmos nossa mentalidade.

“Eu sou jornalista e só escrevo. Não vou criar anúncios no Facebook” ou “Ah, não! Fazer a arte de e-book não é coisa de jornalista. Eu até escrevo, mas diagramar, não”. Se você ainda pensa assim, como se estivesse nos tempos da máquina de datilografar, acredite: vai precisar deixar o orgulho de lado e se adaptar a esta nova era.

Marketing Digital: profissionais devem angariar diversas habilidades da comunicação

Nós, jornalistas, já perdemos muito espaço no Marketing Digital. Profissionais de outras áreas, inclusive, vêm fazendo tarefas que deveriam caber a nós, jornalistas, como produção de textos. Fomos engolidos justamente porque não nos preparamos para atender as demandas de um novo mercado, que, hoje, exige uma atuação 360.

Não podemos mais ser vistos como “apenas” produtores de conteúdo. Somos profissionais de comunicação. E acredito que sejamos os mais capacitados para ter uma atuação multi. Se um cliente pedir um e-book, você vai precisar entregar o livro eletrônico completo, pronto, com texto e diagramação. E, de preferência, até já disponibilizar o infoproduto numa plataforma.

Produzir textos para sites e blogs hoje exige técnicas de SEO. O cliente não quer apenas um post bem escrito, ele deseja ser encontrado pelo Google, melhorar seu posicionamento nos buscadores, para que a procura por seus produtos e serviços aumente. Veja como agora estamos umbilicalmente ligados às vendas, o que antes era inimaginável para nós, jornalistas.

Nas redes sociais, saber criar conteúdo relevante, que proporcione engajamento, é o mínimo. Também é preciso criar artes, monitorar, atender usuários e, especialmente em tempos de alcance orgânico cada vez menor, saber elaborar anúncios. E você ainda deve saber analisar métricas para apresentar os resultados aos clientes.

Montar um curso online, publicar vídeos no YouTube, criar landing pages, elaborar sequências de e-mails… Pode se acostumar com a ideia de fazer esses jobs, uma realidade para muitos jornalistas que já atuam com Marketing Digital. Se você vê tudo isso como desvalorização da nossa classe, eu prefiro encarar como reinvenção. Ou, até mesmo, salvação.

Almir Rizzatto é jornalista e pós-graduado em Comunicação Empresarial, Relações Públicas e Marketing. É fundador da agência RZT Comunicação e da Escola Digitalista. É palestrante, instrutor, consultor e especialista em Marketing Digital. Através da RZT, oferece soluções para profissionais liberais e empresas de todos os portes, além de cursos como os de Marketing Digital e SEO.

Contatos:

Site: http://www.rztcomunicacao.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/RZTComunicacao
Youtube: https://www.youtube.com/RZTComunicacao
E-mail: almir@rztcomunicacao.com.br
Telefones: (11) 5051-8142 e 99628-1733

google meu negocio

Veja como ter avaliações positivas no Google Meu Negócio

O Google Meu Negócio é um recurso disponibilizado pelo Google para que as empresas possam se destacar nos resultados do buscador e conseguir clientes.

O Google utiliza alguns fatores para exibir as empresas nas buscas, como distância (ele indica os estabelecimentos mais próximos do usuário), relevância (a marca que estiver com mais dados preenchidos também é bem recomendada), além da proeminência, que indica a popularidade do negócio, ou seja, quanto mais avaliações positivas ele possuir na plataforma, maior é a chance do Google mostrá-lo às pessoas.

Por isso, é importante estar atento nesse indicador e buscar ser bem avaliado no maior site de buscas do mundo.

Confira a seguir algumas dicas para conseguir boas pontuações nesse recurso.

Descubra como ter avaliações positivas no Google Meu Negócio

1) Verifique a qualidade do serviço: para receber avaliações positivas, é preciso oferecer um serviço e atendimento que agrade os clientes. Coloque-se no lugar do seu público; averigue se eles estão contentes com o trabalho prestado; pesquise se as opções de pagamento estão satisfazendo a todos, entre outros.

2) Incentive o público a avaliar: você pode estimular que os clientes avaliem sua empresa no Google Meu Negócio. Uma das formas é compartilhar o link para que os usuários façam comentários. Caso possua um estabelecimento físico, você também pode pedir ao público para fazer uma avaliação antes de deixar o local.

3) Use as redes sociais: busque pelas avaliações positivas por meio das mídias sociais. Você pode compartilhar o link dos comentários em grupos no Facebook ou adicioná-lo na bio da conta da empresa no Instagram e avisar que a URL está disponível pelos stories.

4) Interaja com os clientes: é importante responder as avaliações da plataforma. Agradeça pelo comentário do cliente, mostre que sua empresa está atenta nas sugestões dadas e que a opinião do público é valorizada.

5) Publique fotos:
exibir fotos da empresa, mostrando como é o interior do local ou apenas apresentando a fachada, também é uma forma de melhorar sua avaliação.

Agora que você aprendeu como ter mais avaliações positivas no Google Meu Negócio, coloque os ensinamentos em prática e conquiste seu público.

*Fontes: Programador VBA; O Melhor do Marketing

*Imagem: divulgação

jornalista

Jornalista só pode fazer jornalismo?

Recentemente, duas pessoas me chamaram, angustiadas, para tratar de assuntos parecidos envolvendo a atuação como jornalista.

A primeira foi durante o intervalo da turma 9 do meu curso de Marketing Digital para jornalistas. Em meio a tantas novidades e possibilidades de trabalho que eu tinha acabado de apresentar, ainda no início da primeira aula, a aluna me chamou num canto.

– Almir, me tira uma dúvida, que pode até ser boba: o que você está mostrando para nós é jornalismo?

– De grosso modo, não. Bom, né?

A expressão tensa dela deu lugar a um semblante sereno, seguido de um sorriso aliviado. Talvez por ela ter acabado de descobrir que, como jornalista, poderia fazer muito além do jornalismo tradicional. E muito mais do que ela imaginava para sua carreira.

Sim, porque somos condicionados a, como jornalistas, fazer apenas jornalismo. Entende-se por isso fazer jornal, revista, site, rádio ou TV. E “talvez” assessoria de imprensa. Ou seja, atuar com algo que seja diferente do que aprendemos na faculdade soa como prostituição, desabono à categoria.

É um enorme erro imaginar que todo jornalista quer atuar na imprensa. Admiro os que seguem até hoje numa redação e não se veem trabalhando de outra forma, mas nem todos têm esse perfil. E felizmente, pois, se fosse o contrário, as oportunidades de trabalho seriam ainda mais escassas, já que a cada dia temos menos veículos e menos vagas.

Jornalista x publicitário

O segundo contato recente foi feito por uma participante da minha lista de transmissão sobre Marketing Digital para jornalistas, no WhatsApp. Ela disse que assistiu a algumas palestras da Social Media Week e me questionou se este novo mercado para os jornalistas não conflita com os publicitários.

Sim, conflita. Assim como a atuação dos publicitários conflita cada vez mais com a nossa, especialmente quando eles fazem produção de conteúdo. Hoje, as áreas se convergem.

O mercado vem exigindo profissionais multi. Se você não tem na sua equipe alguém que possa fazer artes para redes sociais ou anúncios no Facebook, por exemplo, você, como jornalista, terá que fazer. Caso isso não te agrade, é melhor mesmo fazer jornalismo.

Almir Rizzatto é jornalista e pós-graduado em Comunicação Empresarial, Relações Públicas e Marketing. É fundador da agência RZT Comunicação e da Escola Digitalista. É palestrante, instrutor, consultor e especialista em Marketing Digital. Através da RZT, oferece soluções para profissionais liberais e empresas de todos os portes, além de cursos como os de Marketing Digital e SEO.

Contatos:

Site: http://www.rztcomunicacao.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/RZTComunicacao
Youtube: https://www.youtube.com/RZTComunicacao
E-mail: almir@rztcomunicacao.com.br
Telefones: (11) 5051-8142 e 99628-1733

como fazer videos

Como fazer vídeos: veja dicas para produzir este conteúdo tão importante

Como fazer vídeos é uma das dores mais comuns de quem já atua com Marketing Digital ou pretende entrar nesta área. Neste artigo, compartilho com você alguns insights para você produzir este tipo de conteúdo tão relevante nos dias de hoje.

As maiores dificuldades estão relacionadas a como ter um texto direto, como possuir engajamento, como ter qualidade, noções de roteiro, locução… E, acima de tudo, como fazer um conteúdo que seja interessante e chame atenção.

Como fazer vídeos: definição do público-alvo e interação

Qual é o seu público? Como esse público funciona? As respostas destas perguntas são fundamentais para definir como essa interação deve ser feita, se será uma linguagem mais direta ou coloquial, que seja interessante de assistir.

Com o avanço da tecnologia, hoje usamos as redes sociais em tudo no dia a dia. A gente agregou cada vez mais valor a esse tipo de conteúdo.

O vídeo une a imagem e o som, e, para as pessoas, isso é algo importante, elas buscam isso. Assim como, acima de tudo, procuram qualidade, engajamento.

Como fazer vídeos e a relação com a oratória

Responda: como eu posso ser um bom orador? Como vou prender a atenção desse público? Como ser persuasivo de forma sutil? Como causar impacto nesse público?

Uma das coisas que você deve refletir sempre é como vai desenvolver esse texto. Quando falamos em oratória, nos referimos a um discurso agradável. Se o meu discurso é agradável, é óbvio que o público vai gostar do seu material.

Você precisa sempre ter o envolvimento desse público e possuir um conteúdo informativo. Se houver isso, as pessoas vão se interessar pelo seu vídeo e querer ver seu material.

As lições de Cícero para ser um bom orador

Marco Túlio Cícero foi um importante filósofo na Roma Antiga. Ele viveu entre 106-43 a.C e tinha algo importante a dizer sobre a oratória. Inclusive, ele escreveu um livro sobre o assunto, “De Oratore” (em português, “Sobre o orador”).

Na obra, Cícero diz: “Instruir é seu dever, deleitar é honroso, comover é necessário.” Vamos agora falar sobre esses três aspectos.

Instruir

É como você pode ser informativo e direto. Fazendo essa análise dentro do que Cícero disse, avalie como você pode ser informativo e direto no conteúdo que produz. Antes de qualquer coisa, você tem que transmitir conhecimento. É isso que as pessoas buscam e esperam ao assistir a um vídeo. Quando você passa informação, você instrui.

Você tem que ser um especialista no assunto que abordará. Não precisa fazer pós-graduação na área, mas entender do tema é importante.

Discurso agradável

Você precisa agradar com seu conteúdo. As pessoas têm que parar para ver e ouvir o que você fala. Obviamente não precisa falar como se estivesse em uma aula de fonoaudiologia, mas a dicção é importante, assim como a voz. Você precisa ser natural em como fala.

Quando falo em honra, deleite, devo pensar que preciso ler e estudar bastante. Então, quando gosto do assunto, para me tornar um especialista, é óbvio que eu preciso ler e estudar o tempo todo.

A leitura faz a diferença nesse momento. Ler em voz alta os textos também é muito importante na hora de seguir essa lição do Cícero.

Comover

É preciso criar conexões afetivas com as pessoas. Não estou dizendo que você precisa levar seu público a lágrimas. Mas é necessário envolver o conteúdo com quem está assistindo ao vídeo.

Como fazer vídeos e ter uma boa performance

Listo abaixo algumas dicas práticas para você fazer antes e na hora da gravação de um vídeo.

1) Roteiro: ele sempre será seu guia. Ter um bom roteiro, um texto direto, ajudará muito. Organize previamente tudo aquilo que vai ser abordado no vídeo.

2) Ensaio: partimos do princípio que você entende do assunto que abordará. Então, ensaiar o texto facilitará na hora de gravar.

3) Exercícios vocais: se necessário, procure a ajuda de algum fonoaudiólogo. Se você sabe alguns exercícios, faça-os antes da gravação.

4) Linguagem corporal: evite gestos e movimentos muito bruscos, amplos. Seja mais comedido. E mantenha uma boa postura.

5) Edição: seguindo esses passos, editar o vídeo se tornará uma tarefa muito mais fácil.

Sobre o autor:

Elfrides Júnior é jornalista, professor universitário e editor de textos na Record News. Tem experiência de 17 anos em produção, reportagem, edição, apresentação, locução, produção de conteúdo para redes sociais, Marketing Digital, Media Training e coordenação de projetos jornalísticos.

Já realizou trabalhos em diversas áreas do Jornalismo: TV, rádio, assessoria de imprensa e de comunicação, veículos online e impressos.

tags

Saiba como usar as tags para ganhar mais visualizações no YouTube

As tags, palavras-chave usadas para indicar o assunto do conteúdo, contribuem de forma significativa para o aumento de visualizações do seu vídeo, auxiliando em sua estratégia de Marketing Digital.

É essencial usá-las para que o material seja ainda melhor localizado no YouTube, que é o maior site de compartilhamento de produções audiovisuais na internet, com mais de 1 bilhão de usuários.

Esses termos possibilitam que os algoritmos do YouTube e do Google identifiquem do que se trata o vídeo, indicando o conteúdo para os usuários da plataforma, na aba de ‘Recomendados’.

Por isso, é importante que você conheça bem sua persona e saiba quais são os assuntos que ela se interessa, para usar as tags mais adequadas para o seu nicho de mercado.

Confira a seguir como utilizar esse recurso em sues vídeos para obter ainda mais views no site.

Veja como usar as tags em seus vídeos no YouTube

1) Defina como primeira tag a palavra-chave principal do vídeo: os algoritmos consideram as primeiras tags como as mais importantes do vídeo, sobretudo a que aparece em primeiro lugar. Então, é recomendável que você coloque nessas posições o termo que mais deseja ranquear.

2) Use tags gerais e específicas: é importante usar tags gerais, chamadas de head tail, que definem termos mais genéricos, assim como as long tail, que são mais específicas, geralmente compostas por mais de uma palavra. Por apresentarem menos buscas, estas são menos concorrentes e oferecem mais chances do seu vídeo ser bem visualizado.

3) Use poucas tags: se você utilizar muitas tags, os algoritmos podem se confundir e isso prejudicará o ranqueamento do conteúdo. Quanto mais termos forem usados, mais difícil fica para o YouTube identificar do que se trata aquele material, evitando que ele recomende o vídeo para os usuários da plataforma.

4) Não insira tags na descrição: não é recomendável inserir esses termos na descrição do vídeo. Nessa parte, o ideal é escrever apenas um texto coeso. Coloque-os no espaço destinado a eles.

Agora que você aprendeu algumas dicas de como usar as tags, coloque os ensinamentos em prática e veja como seus vídeos vão ganhar ainda mais visualizações na plataforma.

*Fontes: Quickly Social; Influu


*Imagem: divulgação

empreender como jornalista

Empreender como jornalista: experimente a sensação de liberdade!

Há 11 anos, resolvi empreender como jornalista. Joguei para o alto um cargo cobiçado de editor numa multinacional, com salário atrativo e benefícios que hoje talvez nem existam mais. Por quê? Eu não estava mais feliz e queria realizar o sonho de ter meu negócio próprio.

A maioria me achou louco. Um ou outro, corajoso. Para mim, sinceramente, não importava. Até porque eu estava cercado de colegas jornalistas e a nossa classe não é incentivada a empreender. Tanto é verdade que, nos meus cursos, muitos alunos saem com uma nova visão profissional, uma perspectiva até então inimaginável.

CURSOS: conheça todos os treinamentos da Escola Digitalista
AGENDA: veja as datas das próximas turmas presenciais
CURSOS ONLINE: confira nossos treinamentos em formato EAD
GRÁTIS: cadastre-se para receber dicas, artigos, e-books e outros materiais

Na faculdade, aprendi que eu poderia trabalhar basicamente em duas frentes: num veículo de comunicação ou numa agência. Sempre trabalhar para alguém, enriquecer alguém, me garantir na CLT. Não tive aulas sobre empreendedorismo, por exemplo. Pelo que percebo, é assim até hoje. E essa visão tacanha, subalterna, sempre me incomodou.

Ali, em 2006, com 27 anos, depois de atuar 7 anos em redação e ter aprendido muito, eu estava decidido a mudar. E, então, na sala do meu apartamento, montei a RZT Comunicação. Éramos em cinco: eu, um computador, uma impressora, uma linha telefônica e vontade de vencer.

Verdade que não sou um bom exemplo de como fazer essa transição de empregado a empresário. Comecei a pensar mais seriamente na minha empresa só no mês de aviso prévio. Pedi demissão sem ter nenhum cliente e com recursos financeiros que me bancariam durante poucos meses, caso o início fosse trágico. Uma insanidade que eu não enxergava, talvez pela certeza que eu tinha, no meu íntimo, que daria tudo certo.

Empreender como jornalista: independência e liberdade

Conquistei meu espaço, consegui clientes, errei, aprendi, enfim, a caminhada tem (e sempre terá) altos e baixos. Faz parte do jogo. Mas a independência e a liberdade que empreender proporciona me encantaram desde o início.

Hoje, me dou ao luxo de selecionar as empresas que eu quero que a RZT Comunicação atenda. Já cheguei ao ponto de “demitir” clientes com os quais não havia mais sentido nem tesão de trabalhar. E abrimos mão de quem tem ideais com os quais não compactuamos. Isso é ter liberdade de escolha!

O que construí nesses mais de 10 anos não foi para uma empresa que pode, a qualquer momento, me incluir num passaralho, mesmo com anos de boa contribuição. O que venho construindo é para o MEU negócio, e isso ninguém vai tirar de mim.

Ter um negócio próprio no Brasil e mantê-lo saudável, ano a ano, é difícil, mas ser empregado também não é fácil. A vantagem ao empreender é que o sucesso dessa caminhada só dependerá de uma pessoa: você.

E eu recomendo essa experiência a todos os colegas jornalistas. Pode ser, como foi para mim, um bom caminho sem volta.

CURSOS: conheça todos os treinamentos da Escola Digitalista
AGENDA: veja as datas das próximas turmas presenciais
CURSOS ONLINE: confira nossos treinamentos em formato EAD
GRÁTIS: cadastre-se para receber dicas, artigos, e-books e outros materiais