posts de blog

Posts de blog: conheça 9 maneiras de reciclar seu conteúdo em vários formatos

Para conquistar mais audiência, muitas empresas estão investindo em posts de blog, atualizando constantemente seu conteúdo. Entretanto, manter essa frequência de produção pode não atingir a qualidade esperada.

O que fazer nesses casos? Uma maneira de aproveitar seu material e não perder público, é reciclar os textos. Ao elaborar um post, tente usufruir dele o máximo possível, convertendo-o em formatos variados, para atrair a atenção de grupos distintos. Dessa forma, o alcance será maior e há grandes chances de aumentar o número de leads para seu negócio.

Dicas para transformar seus posts de blog em outros formatos

Com conhecimento dos vários tipos de conteúdo e criatividade, é possível usar o mesmo material de um post de blog e aplicá-lo em outros meios. Veja 9 dicas de como fazer esse processo e onde você pode reciclar seus textos:

Crie informativos por e-mail: canais tradicionais em qualquer empresa, os e-mails são uma ótima forma para enviar informativos aos seus clientes mais fiéis. Mande mensagens com o conteúdo do seu post, adequando ao formato, e convide o leitor a ler mais sobre o assunto no seu blog, inserindo o link do texto.

Uma boa dica é criar sempre conteúdo atemporal em seu site, porque mesmo que tenham passado meses da publicação, o assunto ainda é relevante e poderá ser reutilizado, sem a necessidade de elaborar outros textos.

– Use as mídias sociais: compartilhe nas redes sociais trechos do seu post no blog. Você pode até fazer uma arte com uma frase retirada dele. Publique-a junto com o link que direciona para o texto original.

Citações e perguntas que façam referência ao conteúdo também podem ser mais atrativas e compartilháveis para o público que navega nessas plataformas.

Algumas ferramentas podem te auxiliar nesta reciclagem de conteúdo nas redes sociais, entre elas, se destacam: Social Inbox; Buffer; ClickToTweet e o Revive Old Post, do WordPress.

– Utilize outros blogs: você pode estabelecer parcerias com sites que tenham um tráfego maior e divulgar o conteúdo do seu post, após a publicação dele na sua página. É interessante que o autor deste portal inclua uma tag com seu artigo, para que o Google reconheça a postagem do seu endereço eletrônico como a original.

Procure por blogs confiáveis, pois o Google condena material duplicado e websites convidados que buscam por backlinks.

Transforme o conteúdo para o SlideShare: coloque as informações do seu post como apresentações no SlideShare. Esse canal é bem parecido com o PowerPoint e é muito utilizado, podendo alcançar diferentes públicos.

Ao postar o material nele, você pode incorporá-lo até mesmo em seus posts, assim como acontece com vídeos, favorecendo o compartilhamento.

Produza vídeos: é um dos formatos prediletos das pessoas atualmente e dão visibilidade à empresa. Com eles, você pode transformar os posts de entrevistas com especialistas e textos instrutivos, por exemplo, em um vídeo.

Além disso, criar conteúdo audiovisual não é mais tão caro. Com câmeras de celular, como as do iPhone, você consegue elaborar materiais de qualidade, sem precisar gastar muito.

– Converta os posts em e-books: são um tipo de material muito aguardado pelos leads, que querem acessar informações gratuitamente, em que o único custo seja fornecer alguns dados ao site.

Eles são uma forma de aumentar sua lista de contatos e ajudam a conquistar clientes. Reúna os posts que abordam o mesmo assunto, escreva uma introdução, conclusão e junte tudo em um e-book, que você pode criar no PowerPoint.

– Faça arquivos de checklists: se você desenvolve posts com conselhos sobre determinado tema, uma ideia interessante é transformá-los em checklists para seus leitores.

Desenvolva modelos de PDF com estas listas, que possam incentivar o seu público a tomar atitudes. São uma maneira de ampliar sua lista de e-mails também, assim como os e-books.

Elabore podcasts: você pode usar alguns tópicos do seu blog e acrescentar informações adicionais deles em podcasts. Uma das ferramentas que ajudam nesse processo de criação é o Odiongo, que faz a conversão dos seus posts em material de áudio.

– Planeje webinars: um formato que reúne pessoas em um determinado período e que atrai novos clientes. Se você cita diversas pessoas em seus posts de blog, uma sugestão é chamá-las para uma transmissão ao vivo, em que elas possam discorrer sobre aquele mesmo tema, mas de uma forma mais dinâmica.

Você não precisa converter seus posts de blog em todos os formatos citados, dê prioridade aos que mais domina. Agora, é só reutilizar seu conteúdo de forma criativa e conquistar variados públicos.

Com informações da Hubspot

webinars

Webinars: veja dicas sobre como conquistar audiência

Os seminários online, ou webinars, como são mais conhecidos, são palestras transmitidas ao vivo pela internet, que abordam algum tema em específico, assim como suas versões físicas.

Nos últimos anos, eles provaram que são um formato eficaz para estimular o engajamento com o público-alvo, tornam sua companhia uma referência no mercado e ainda são uma oportunidade de gerar leads. Quando o Facebook, o Instagram e o YouTube implantaram esse recurso em suas plataformas – as lives, transmissões ao vivo das redes sociais , o gênero cresceu ainda mais.

Existem algumas maneiras para angariar mais audiência para os webinars, que vão proporcionar à empresa mais clientes e pessoas interessadas em seus serviços.

Dicas para conquistar audiência em seus webinars

Se você quer saber como atrair views para seus webinars, confira os conselhos a seguir, que vão auxiliar a usar esse recurso tão eficaz no marketing de conteúdo:

– Você deve conhecer seu público-alvo: para desenvolver o conteúdo que será transmitido e definir os horários e as datas de transmissão, é necessário que você conheça bem sua persona. Ao saber quais são os interesses e a frequência dela nas redes sociais ou na internet, você consegue estabelecer os temas do webinar e quando ele acontecerá.

– Faça um planejamento: você deve realizar um estudo antes de divulgar o webinar. Verifique uma data e um horário que não sejam bons apenas para você, mas também para seu público-alvo. Cheque se haverá feriados, se acontecerão eventos na data almejada para a transmissão, entre outros fatores.

Além disso, você também precisa definir quais são seus objetivos com o seminário online. Você só quer gerar leads ou deseja vender seus produtos e serviços? Dependendo da finalidade, o conteúdo precisa ser mais aprofundado ou mais genérico.

Se sua intenção é conquistar clientes, então o assunto deve ser tratado de uma forma mais generalista e explicativa, sem muitos detalhes. Agora, se o propósito da transmissão for realizar vendas, então, o tema deve ser abordado mais profundamente, com demonstrações do seu produto ou serviço, para que o público se sinta atraído em realizar a compra.

– Divulgue pelas redes sociais: o Brasil é um dos países que mais usa as mídias sociais, por isso, é importante divulgar seu webinar por meio destas plataformas. Anuncie com algumas semanas de antecedência e tenha regularidade nos posts.

Explore diversas formas de divulgação pelas redes, como em grupos ou fóruns e, caso sua empresa utilize o Instagram, o Stories pode ser um ótimo recurso.

Utilize e-mails: o e-mail marketing ainda é um canal muito acessado por diversos públicos. Para não ser marcado como spam, não mande para listas de contato que você acha que não se interessarão pelo evento.

Envie e-mails diferentes e com regularidade sobre o seminário online, com enfoques diversos, para atrair a atenção das pessoas. Se você tem funcionários em sua empresa, comunique-os por e-mail sobre o webinar, para que eles se sintam estimulados em ajudar na divulgação e também tenham interesse em assistir.

– Anuncie o webinar em seu site e blog: se sua empresa possui um site ou blog, faça a divulgação do webinar neles também. No texto, informe dados como o perfil do palestrante e detalhes do tema da transmissão. Deixe sempre atualizado e com informações completas, para que, se houver parceiros interessados em divulgar o evento, eles tenham o conteúdo completo.

– Use o Adwords: para atingir mais pessoas, é interessante criar anúncios no Adwords. Dessa forma, você alcançará um público maior do que sua divulgação orgânica.

– Envie lembretes aos seus clientes: é importante avisar os seus clientes sobre o webinar. Assim, você vai conseguir mais audiência e fidelizar o público que já tem. Além disso, é essencial mandar e-mails para aqueles que se inscreveram no evento, lembrando da data e hora da transmissão.

– Disponibilize conteúdo: uma das formas de deixar o público curioso para assistir ao webinar, é fornecer materiais mais aprofundados sobre o tema, antes da realização do evento. Seja em forma de ebooks, blog posts ou e-mails marketing, esse tipo de conteúdo vai chamar a atenção e despertar o interesse das pessoas em conferir melhor o tema na transmissão.

Está mais confiante agora? Então, comece a planejar agora mesmo seu webinar e prepare-se para a audiência que ele vai receber.

Com informações da Rock Content

company page

Company page do LinkedIn: dicas para melhorar sua página

Ter uma Company page no LinkedIn é fundamental para dar mais visibilidade à sua empresa em uma das redes que mais cresce no mundo. No Brasil, já são mais de 29 milhões de usuários que usam a plataforma para ampliar seu networking profissional.

Toda empresa que quer ser bem vista no mercado possui uma company page no LinkedIn. Com apenas algumas atitudes, é possível ampliar as possibilidades de sua companhia se destacar nessa rede social.

Por que ter uma company page?

Com uma company page, você consegue gerenciar anúncios para sua empresa, obter dados relacionados aos seus seguidores e também conquistar uma aproximação maior com seu público-alvo, ao mostrar atualizações do seu negócio de uma forma direta.

O que é necessário para ter uma company page?

Para ter uma company page no LinkedIn, é preciso cumprir alguns requisitos, como: ter um perfil profissional e considerado “intermediário” ou “campeão”; ser ativo na plataforma e ter várias conexões; seu cargo na empresa deve estar informado na seção “Experiência” e possuir um e-mail corporativo com domínio próprio, para ser adicionado na conta.

Como melhorar a sua company page?

Agora que você já percebeu a importância de ter uma company page na rede social de negócios, confira as dicas para deixá-la mais profissional e com mais visibilidade no mercado.

Deixe sua equipe interligada na rede: fomentar a relação com seus funcionários é uma maneira de aumentar a exposição orgânica da sua empresa. Sempre que possível, sua equipe deve divulgar conteúdo da sua companhia, seja em seu feed de notícias ou em grupos. Essa estratégia pode deixar um link clicável do seu grupo dentro do perfil de cada colaborador.

Trabalhe na melhora do SEO: há SEO (Search Engine Optimization) nas company pages do LinkedIn, por isso é importante estar sempre atento com as palavras-chave que você seleciona na descrição da sua empresa, além de verificar se o conteúdo é relevante para seu público.

Potencialize sua URL: ao criar uma company page, é gerado automaticamente uma URL (Uniform Resource Locator), isto é, um link, que possui um código numérico padrão. A URL também conta como fator para ser encontrada na plataforma, então, é aconselhável personalizá-la. Para isso, entre nas configurações do LinkedIn, clique em “perfil de público” e crie uma URL com o nome da sua empresa, se possível.

Anuncie: com uma company page, é possível criar anúncios na rede, que ajudam na promoção do seu negócio. Além disso, o LinkedIn fornece dados que possibilitam uma segmentação mais específica, em comparação com outras redes sociais. É possível saber cargos, empresas onde trabalham, ramos de atuação, entre outros.

Fique atento às métricas: como em toda rede social, é recomendável analisar as métricas da sua página. Avalie a quantidade de visualizações dos posts, dos cliques e o engajamento nas últimas postagens. Com esses resultados, você consegue checar as preferências do seu público.

Incentive o acesso: no seu site ou blog, insira botões de redes sociais, para estimular o acesso dos visitantes à sua company page. Também é aconselhável colocar o endereço da sua página em cartões de visita, em assinaturas de e-mail, entre outros.

Viu como é simples ter uma company page no LinkedIn? A rede social cresce a cada dia e se tornou essencial para quem quer ter mais visibilidade no mercado, além de possibilitar mais contatos profissionais e ser um canal para aquisição de clientes.

Com informações do Resultados Digitais

Imagem: divulgação

certificação própria

Certificação própria: saiba mais sobre o recurso que torna sua empresa uma referência no mercado

Promover uma certificação própria está tornando-se uma das estratégias de inbound marketing que mais chamam a atenção no mercado atualmente. Muitas empresas de grande porte, como a Microsoft, por exemplo, desenvolvem cursos para seu público e, dessa forma, conquistam cada vez mais autoridade no seu ramo de negócios.

A certificação própria tem o objetivo de qualificar seus clientes e ainda melhorar o posicionamento da sua empresa. Mas, antes de investir nesse recurso, é preciso estudar quais são seus benefícios e suas principais características.


O que é uma certificação própria?

É um documento que comprova a capacidade de alguém em relação a determinado tema. Ao produzir certificações, a empresa se coloca como uma líder em sua área. Quando você informa que está produzindo cursos sobre um determinado assunto, seu público vai te considerar como um profissional desse nicho, já que você é capaz de transmitir conhecimento a outros, tornando-se uma referência no mercado.

Desta forma, sua empresa atrai cada vez mais interessados em obter uma certificação emitida pelo seu grupo, para mostrar que aprendeu aquele tema com uma companhia que virou referência no segmento.

Esse tipo de estratégia torna-se uma ação de marketing lucrativa e garante um bom ROI (Retorno sobre Investimento) para a empresa, pois implantar esse tipo de iniciativa não gera gastos financeiros muito altos, em comparação com o retorno que vai dar ao negócio.

A certificação própria traz inúmeros benefícios à sua empresa, como: ajuda a desenvolver seu mercado; posiciona sua empresa como referência e como líder na sua área; auxilia a firmar seu negócio e ainda dissemina sua marca.

Empresas que usam certificação própria

Muitos grupos empresariais renomados já perceberam a tendência no mercado das certificações próprias e já usam o recurso. Conheça alguns casos:

Microsoft: uma das maiores fornecedoras de infraestrutura básica de ciência da informação, quem obtém um certificado dessa empresa ganha credibilidade e destaque na área de informática. Atenta a essas necessidades, a Microsoft passou a oferecer o MVA (Microsoft Virtual Academy), uma plataforma de e-learning, onde tem vários cursos livres para qualificação profissional.

Quanto mais usuários conseguem as certificações, mais a Microsoft trabalha e é reconhecida pelos seus cursos, o que ajuda na divulgação da sua marca.

Hubspot: com mais de 21 mil clientes em aproximadamente 90 países, a empresa desenvolveu a Hubspot Academy, que disponibiliza certificações para quem realiza seus cursos. Hoje, a plataforma possui 14 especializações diferentes, em vários idiomas.

No Brasil, os cursos da Hubspot chegam a ser considerados critérios de eliminação em processos seletivos na área de marketing, tamanha a notoriedade que a empresa ganhou na área.

A empresa também aumenta sua quantidade de leads quando solicita o cadastro dos interessados em obter suas certificações.

Crie sua certificação própria

Antes de implantar esse recurso, é necessário saber qual seu público-alvo, o que é interessante ser ensinado e que sua empresa entenda, qual será a linguagem utilizada e qual será o método de avaliação empregado para que os interessados obtenham o certificado. Feito isso, já é possível planejar o conteúdo da sua certificação.

Caso a sua empresa já use estratégias de marketing de conteúdo, você pode aproveitar os materiais para elaborar suas aulas.

O indicado é que sua empresa utilize uma plataforma de EAD para gerenciar os certificados, já que o objetivo é gerar muitos por mês. Ao usar esse tipo de sistema, ele gerencia o curso e os certificados automaticamente.

Promova sua certificação

Utilize os mesmos canais de divulgação que sua empresa já trabalha, como site, blog, redes sociais, e-mail marketing, entre outros. No entanto, vale a pena investir em uma comunicação mais forte, como anúncios pagos, para dar destaque ao seu curso e atrair um número maior de interessados.
Outro fator importante é que sua companhia precisa ter um marketing de conteúdo consolidado para lançar a certificação, para garantir o domínio de todo o planejamento que a nova ação precisa.

Dicas de como oferecer sua certificação

Você pode cobrar pelo curso oferecido, mas se sua empresa disponibilizar gratuitamente, haverá mais chances de atrair um público diversificado, que não pensava em realizar um curso antes, devido aos preços.

Além disso, não cobrar pela certificação é uma forma de promover sua marca, ampliando o canal de divulgação e marketing, assim como gera um aumento no seu número de leads.

Veja a certificação como mais uma forma de gerar leads

A certificação pode ser um ótimo canal para aquisição de leads, pois cada pessoa que passa por sua certificação é um potencial influenciador ou decisor na compra do seu serviço ou produto. Elas podem ser consideradas meio e até fundo de funil, tudo depende de como você produzir o conteúdo do seu curso.

Investir em uma certificação própria é uma ótima ideia para ganhar mais autoridade no mercado, além de ser uma estratégia econômica para sua empresa. O que acha de começar a produzir uma para seu negócio?

Com informações da Contentools

Imagem: divulgação

conteúdo em áudio

Conteúdo em áudio: benefícios desta ferramenta de marketing

O conteúdo em áudio está cada vez mais ganhando espaço nas estratégias de marketing das empresas. Podcasts, audiobooks e posts narrados, são exemplos desse formato que é tendência no mercado.

Por vários motivos, algumas pessoas preferem ouvir o conteúdo, em vez de ler. O artigo a seguir mostra os benefícios dessa ferramenta e os motivos que a estão tornando um dos melhores artifícios para levantar a audiência do seu site ou blog.

Por que conteúdo em áudio é tendência?

Uma pesquisa realizada pelas empresas Edison Research e Triton Digital, a Infinite Dial 2018, verificou que 44% das pessoas que vivem nos Estados Unidos já ouviram ao menos um podcast, um crescimento em comparação aos anos anteriores. Em 2016, esse valor foi de 36%, enquanto que, em 2017, 40%.

A pesquisa analisou, ainda, o interesse das pessoas por podcasts e audiolivros. O resultado foi surpreendente e positivo no que se refere ao número de usuários destes tipos de mídias.

Com relação aos locais que as pessoas ouvem conteúdo em áudio, a pesquisa obteve esses dados:

49% escutam em casa;
22% no carro ou no caminhão;
11% no trabalho;
4% no transporte público;
4% na academia;
3% durante uma caminhada;
7% outros.

Benefícios do conteúdo em áudio para o marketing da sua empresa

Há várias vantagens em produzir esse tipo de conteúdo para o seu site ou blog. Confira alguns motivos para aplicar esse formato em sua estratégia:

– Acessibilidade: o conteúdo em áudio é acessível para pessoas com deficiência visual ou com dificuldade para enxergar. São melhores opções do que os softwares de leitura de tela, pois oferecem mais entonação e emoção ao texto. Os demais programas ainda não disponibilizam estes benefícios e transmitem as informações de forma robótica.

– Conveniência: devido à falta de tempo do dia a dia, muitas pessoas acabam não conseguindo ler todas as matérias que querem, seja por estarem dirigindo, ou fazendo alguma atividade doméstica, entre outros. Com o conteúdo em áudio, é possível ouvir e realizar qualquer outra tarefa ao mesmo tempo, como se exercitar na academia, lavar a louça etc.

– Pessoalidade: o áudio também tem a vantagem de cativar e dar mais emoção às pessoas, algo que um texto não faria com tanta intensidade, por exemplo. Essa característica aproxima ainda mais o ouvinte da empresa e pode gerar um maior engajamento em relação à marca.

Quais conteúdos podem ser produzidos?

Os materiais mais produzidos são: podcasts, posts narrados e audiobooks. Saiba os aspectos e as vantagens de cada um deles:

– Podcast: costuma ter regularidade em suas postagens. Eles são uma forma de estar constantemente em contato com o seu público. Pautas simples, como um episódio para responder as dúvidas de seus clientes, por exemplo, são temas que podem agradar os usuários. É preciso investir na qualidade técnica dos áudios, pois os consumidores desse tipo de conteúdo costumam ser exigentes.

Com os podcasts, sua empresa pode conquistar parcerias, anunciantes e ainda receber convites para participar de outros podcasts.

– Post narrado: recurso geralmente utilizado em blogs, costumam disponibilizar a narração do artigo na página do texto. Esse formato ainda é pouco usado no Brasil e sua aplicação pode surpreender seu público, aumentando, assim, o envolvimento dele a sua marca.

– Audiobook: geralmente são ebooks convertidos em áudio, com um conteúdo mais aprofundado que os posts. Eles mantêm as pessoas informadas e especializadas sobre determinado assunto, em ocasiões em que elas não conseguem ler.

Em expansão no mercado e com um custo financeiro menor do que produzir vídeos, o conteúdo em áudio pode gerar bons resultados para o marketing de conteúdo da sua empresa. Que tal investir nesse formato?

Com informações da Rock Content

Imagem: Divulgação

 

segurança de sites

Segurança de sites: como garantir sem grandes investimentos

Após o texto sobre a velocidade de carregamento, o assunto desta vez é a segurança de sites. Como os pequenos negócios podem garantir a confiabilidade da sua página sem grandes investimentos?

A preocupação com a segurança de sites deveria ser constante para os pequenos empreendimentos, mas são poucos os que têm esta visão de negócio.

Geralmente, muitas empresas sequer dedicam atenção ao assunto, quanto mais investimentos. O fundamental é as organizações entenderem a importância de manter um site seguro.

Dificuldade para implementar a segurança de sites

As pessoas só compreendem a importância da segurança de sites quando algo acontece. Muitos não fazem o backup regular e, por isso, correm o risco de perder todos os arquivos.

Entre os critérios que dificultam a implementação da segurança de sites em pequenas empresas é o desconhecimento do tema. Quem não conhece, não se importa.

Mas, não se preocupar com o tema pode causar danos ao negócio e a sua presença digital.

Empresas como Google, Facebook e outros ignoram e penalizam sites infectados.

Como manter a segurança de sites sem investir muito

Um bom caminho a seguir é terceirizar o processo de tecnologia. Antes de pensar no negócio em si, tenha em mente que a terceirização é primordial para o sucesso da futura pequena empresa.

Seu negócio precisa de uma presença digital consistente para alcançar novos clientes, além de falar com os atuais.

Para isso, é preciso atentar-se a três fatores que exigem segurança: hospedagem do site, desenvolvimento e manutenção. Confira a seguir:

– Segurança de hospedagem: procure hospedar seu site em locais que minimizem riscos e resolvam algum problema de forma rápida e eficaz. Não escolha servidores que deleguem a tarefa para você.

– Segurança de desenvolvimento: os profissionais por trás do desenvolvimento de sites e lojas virtuais devem conhecer muito de segurança para evitar possíveis brechas que levem a ataques.

– Segurança de manutenção: é preciso monitorar e executar rotinas consistentemente. Utilize soluções gratuitas como, por exemplo, o plugin WP Care. Este plugin informa se há alguma vulnerabilidade de segurança na versão utilizada.

* Com informações do Apiki Blog

velocidade de carregamento do site

Descubra porque a velocidade de carregamento do site é fundamental

A velocidade de carregamento do site deve ser uma preocupação constante de qualquer negócio, principalmente dos menores. Entenda o porquê este processo é tão importante para o sucesso da empresa.

Quem tem um pequeno negócio busca visibilidade no mundo digital e, para isso, é preciso ter em mente, ao menos, dois fatores fundamentais: o ranking do Google e a popularização do acesso à internet via celular.

No primeiro caso, é importante saber que o bom desempenho da página é um dos fatores considerados pelo Google para melhor posicionar o site na lista de buscas, auxiliando, assim, a estratégia de SEO.

Já o segundo ponto a ser lembrado é que a qualidade da internet móvel no Brasil ainda é ruim. Apesar disso, em 2016, 94,6% dos internautas brasileiros usavam a rede pelo aparelho.

Mas não são só estes os pontos a serem observados. Há outros motivos para investir na velocidade de carregamento do site, entre eles:

– Com a sociedade cada vez mais veloz, os usuários não têm tempo, nem paciência para esperar o site carregar;

– Está comprovado: sites mais rápidos, geram mais negócios;

– O Facebook (principal rede social do momento) tem uma política para penalizar sites lentos;

– Cada segundo de velocidade a mais será um ponto positivo a seu favor.

Como verificar a velocidade de carregamento do site?

Desde 2017, o Google oferece uma ferramenta chamada PageSpeed Insights que leva em consideração dados reais de todo o mundo para analisar a performance das páginas.

Estas informações têm como base um relatório de experiência dos usuários do navegador próprio do Google, o Chrome.

A ferramenta tem 3 pontuações:

De 0 até 59 pontos;
De 60 até 79 pontos e
De 80 pontos ou mais.

Além de pontuar, as páginas são classificadas em 3 cores: vermelho, amarelo e verde, respectivamente e recentemente receberam 3 nomes: ruim, média e boa.

Para finalizar, é preciso recapitular: sites com velocidade de carregamento rápida geram benefícios para o negócio e, por isso, o trabalho de performance deve ser uma constante.

A competitividade do negócio está atrelada à velocidade da página na internet. Lembre-se: o usuário não tem tempo de esperar que ela carregue.

Com informações do Apiki Blog

frequência de postagens

Marketing de conteúdo: a importância da frequência de postagens no blog

O tema do texto de hoje é a frequência de postagens no blog. Apesar de algumas pessoas pensarem ao contrário, a página ainda é uma das principais ferramentas na estratégia de marketing de conteúdo. Desta forma, manter a periodicidade de posts é fundamental.

Entre os principais benefícios que o blog pode trazer para o negócio estão: atrair tráfego de qualidade, gerar interesse e mais conversões, ganhar mais destaque nos buscadores, estabelecer um relacionamento mais próximo e saudável com o público, informar e doutrinar a audiência, ser um guia para o potencial consumidor no funil de vendas, entre outros.

No entanto, muitas empresas acabam subestimando o valor do blog e deixam de atualizar o conteúdo. Para conquistar sucesso com esta ferramenta é preciso tempo e dedicação. Os resultados são duradouros, mas é preciso determinação para alcançá-los.

Ao iniciar um blog, você tem que ter em mente que o projeto requer tempo para escolher uma pauta com conteúdo relevante, criar os textos e manter a regularidade na publicação.

Não há nada mais frustrante na internet, do que acessar um blog e não encontrar um conteúdo no dia e horário de costume.

Se você deixar de publicar e o seu leitor não encontrar aquilo que busca mais de duas vezes, dificilmente ele voltará a acessá-lo.

O acúmulo de tarefas e a falta de tempo podem ser barreiras para atualizar o blog, mas estes fatores devem ser levados em consideração ao traçar o planejamento inicial.

Veja 4 motivos para manter a frequência de postagens do blog

1. Relacionamento próximo: ao postar com frequência, você criará identificação com o seu público. Mas, é preciso que a presença esteja atrelada à relevância. Poste conteúdos úteis para sua audiência.

Ao entregar um conteúdo de relevância, você cria no leitor o hábito de acompanhar seu material. E este material precisa ser apresentado com linearidade, para que o público se sinta prestigiado.

2. Visibilidade: ao usar o blog, você utiliza as técnicas de SEO e, assim, atinge naturalmente as melhores posições no ranking de resultados das pesquisas, alcançando mais visibilidade, tráfego e resultados. Mas, para isso, é preciso ser constante com as postagens.

3. Interações: com a força das redes sociais, deixar de apresentar conteúdo pode te tornar invisível. Afinal, estar presente na lembrança do público é preciso, pois dessa forma você gera a interação e o engajamento.

4. Destaque: se você for na contramão das empresas que não acham necessidade de manter uma frequência de postagens, sua marca terá um diferencial em relação aos concorrentes. Você pode se tornar uma referência ou autoridade na área de atuação.

Após ler sobre os motivos para manter a frequência de postagens no seu blog, você deve estar se perguntando: mas, qual a média ideal então?

Não há uma receita definida de quantos posts devem ser feitos por dia/semana. Você precisa avaliar o seu público e entender o negócio. A frequência de postagens deve ser média, nem tanto, nem pouco.

Ofereça conteúdo de forma que não seja nem excessivo, nem ausente. Diversificar a forma e os tamanhos dos textos são boas dicas a serem seguidas.

Com informações do Mestre do Adwords

Imagem: divulgação

infraestrutura digital

Infraestrutura digital: veja 3 benefícios para pequenas empresas

Recentemente, mostramos como a infraestrutura digital é de extrema importância para pequenas empresas no artigo “5 motivos para as pequenas empresas contratarem uma agência digital”. Hoje, o nosso assunto também é voltado para este público, com o objetivo de indicar 3 benefícios que auxiliam a conquistar presença na internet.

Inicialmente, as pequenas empresas têm duas necessidades básicas: hospedagem de site e serviço de e-mail. Este raciocínio vem do fato de que, atualmente, é através da página, redes sociais e e-mails que as empresas conseguem conquistar novos clientes, além de manter e atender os atuais.

Como na maioria dos casos, os pequenos negócios quase não têm orçamento para divulgação. Por isso, quando a verba é pequena, é preciso usá-la com sabedoria. Se você não tem conhecimento técnico para lidar com estas situações, a sugestão é terceirizar o trabalho.

Infraestrutura digital para pequenas empresas: descubra 3 benefícios:

1- Hospedagem de site: completo, o WordPress é a melhor opção para hospedar o site. Através de vários plugins, a plataforma é flexível e oferece diversas soluções de infraestrutura digital para as pequenas empresas.

Ao optar por uma empresa que já possui uma infraestrutura consolidada, o pequeno empresário foca apenas no seu negócio e não se preocupa com questões técnicas como: atualização de sistema operacional, monitoramento de disponibilidade, entre outros.

É preciso saber que há vários tipos de hospedagem. Cabe a cada cliente analisar qual a necessidade do negócio para encontrar a melhor solução disponível.

2- E-mail: o e-mail é o principal meio de comunicação para as empresas. Sejam elas grandes ou pequenas.

A empresa pode optar por gigantes como o G Suite, do Google, ou o Office 365, da Microsoft. Mas, vale salientar que há outras soluções mais simples que podem atender diferentes necessidades.

As empresas de hospedagem de site, em sua maioria, oferecem o serviço de e-mails. Este fato ajuda a reduzir os custos da operação.

3- Presença digital: estar presente e ser engajado nas redes sociais ajuda a aumentar o tráfego para o site. Assim, cresce também o número de e-mails na caixa de entrada e a possível conversão de novos clientes.

O dono do pequeno negócio precisa focar no trabalho e deve, assim, terceirizar os assuntos que estão diretamente ligados à infraestrutura digital para pequenas empresas.

Na hora de escolher o provedor para hospedagem do site e o e-mail, analise todas as opções, pois o mercado oferece diversos modelos. Ao conhecer os diferenciais de cada um, priorize aquele que garantir a melhor relação custo-benefício.

Com informações do Apiki Blog

Imagem: divulgação

autoridade no marketing digital

Autoridade no Marketing Digital: descubra como ganhar esse status

Tornar-se uma autoridade no Marketing Digital é o desejo de muitos empreendedores. Afinal, quando uma marca ou profissional ganha esse status, passa a ser admirado, cobiçado e mais valorizado. Ou seja, é o sonho de praticamente todos.

Mas, afinal, como se tornar uma autoridade no Marketing Digital? E por que isso é realmente tão necessário?

Para ficar mais claro, imagine a seguinte situação: você está buscando um curso online sobre como aumentar as vendas e se depara com duas opções.

A primeira é com um especialista que você já conhece, seja por acompanhá-lo nas redes sociais, pelas aparições na imprensa, pelos artigos dele que você adora ler ou pela recomendação de algum amigo.

A outra possibilidade é com um profissional que você nunca ouviu falar. Depois de pesquisar o nome dele na Internet, não achou quase nada. Pouquíssimo conteúdo, sem depoimentos de clientes, redes sociais desatualizadas…

Agora responda: de quem você compraria o curso? A resposta é óbvia.

E sua decisão está totalmente atrelada à autoridade, segurança e confiança que o especialista transmitiu a você. Ou seja, para chegar a esse nível de ser comprado, sem fazer esforço, o profissional precisou trabalhar sua imagem, sua marca. Só depois, então, começou a colher.

Para virar autoridade no Marketing Digital, comece pelo início

O caminho é claro, afinal, é o que normalmente se faz no mundo offline. Normalmente na carreira começamos fazendo um estágio – muitas vezes até sem ser remunerado – e, aos poucos, alcançamos novos cargos, passamos a ser reconhecidos e conquistamos melhores salários.

Só que, hoje em dia, com o boom do Marketing Digital, muitos querem encurtar o caminho. E até começar pelo final, sem querer cumprir a caminhada natural.

É comum entrarem em contato comigo na RZT Comunicação, agência que fundei em 2006, e falarem: “Almir, acabei de criar um e-book, um curso online, e agora quero vender. Quero ganhar dinheiro pela Internet!”. E então, quando vou pesquisar sobre o profissional ou a marca, não acho nada. Nem um site ou blog sequer! Talvez nem ele compraria seu próprio infoproduto.

Então, se você pensa em usar essa vitrine sensacional chamada Internet, tenha humildade ao começar. Não se iluda com histórias de quem fala que ganhou 6 ou 7 dígitos em um mês. Isso pode acontecer? Sim, pode, mas depende de uma série de fatores.

10 passos para a conquista da autoridade no Marketing Digital

1. Defina um nicho no qual você vai trabalhar. Quanto mais específico, melhor;

2. Defina a sua persona, ou seja, o perfil detalhado do seu cliente;

3. Profissionalize seus canais de comunicação (site, redes sociais, canal no YouTube…);

4. Crie estratégias para gerar leads;

5. Comece a produzir artigos com frequência, sempre com as técnicas de SEO;

6. Produza muitos vídeos, com conteúdo que realmente agregue valor para seu público;

7. Participe ativamente de grupos nos quais sua persona está presente;

8. Destine uma verba mensal para anúncios. Hoje não dá mais para sobreviver apenas de alcance orgânico nas redes sociais;

9. O mundo offline também ajuda a ganhar autoridade. Contrate uma assessoria de imprensa para aparecer na mídia, pois isso gera credibilidade. Antes, faça um Media Training;

10. Talvez você não tenha tempo para cuidar de tudo isso nem se sinta capacitado para fazer sozinho. Sem problemas, normal. Terceirize. Há agências, como a RZT Comunicação, e profissionais especializados nisso.

Formando uma base sólida, as chances de você ter sucesso no Marketing Digital são enormes. Boa caminhada!

Autor do artigo: Almir Rizzatto é jornalista e pós-graduado em Comunicação Empresarial, Relações Públicas e Marketing. É fundador da agência RZT Comunicação, palestrante, instrutor, consultor e especialista em Marketing Digital. Através da RZT, oferece soluções para profissionais liberais e empresas de todos os portes, além de cursos como os de Marketing Digital e SEO.