empreender como jornalista

Empreender como jornalista: experimente a sensação de liberdade!

Há 11 anos, resolvi empreender como jornalista. Joguei para o alto um cargo cobiçado de editor numa multinacional, com salário atrativo e benefícios que hoje talvez nem existam mais. Por quê? Eu não estava mais feliz e queria realizar o sonho de ter meu negócio próprio.

A maioria me achou louco. Um ou outro, corajoso. Para mim, sinceramente, não importava. Até porque eu estava cercado de colegas jornalistas e a nossa classe não é incentivada a empreender. Tanto é verdade que, nos meus cursos, muitos alunos saem com uma nova visão profissional, uma perspectiva até então inimaginável.

CURSOS: conheça todos os treinamentos da Escola Digitalista
AGENDA: veja as datas das próximas turmas presenciais
CURSOS ONLINE: confira nossos treinamentos em formato EAD
GRÁTIS: cadastre-se para receber dicas, artigos, e-books e outros materiais

Na faculdade, aprendi que eu poderia trabalhar basicamente em duas frentes: num veículo de comunicação ou numa agência. Sempre trabalhar para alguém, enriquecer alguém, me garantir na CLT. Não tive aulas sobre empreendedorismo, por exemplo. Pelo que percebo, é assim até hoje. E essa visão tacanha, subalterna, sempre me incomodou.

Ali, em 2006, com 27 anos, depois de atuar 7 anos em redação e ter aprendido muito, eu estava decidido a mudar. E, então, na sala do meu apartamento, montei a RZT Comunicação. Éramos em cinco: eu, um computador, uma impressora, uma linha telefônica e vontade de vencer.

Verdade que não sou um bom exemplo de como fazer essa transição de empregado a empresário. Comecei a pensar mais seriamente na minha empresa só no mês de aviso prévio. Pedi demissão sem ter nenhum cliente e com recursos financeiros que me bancariam durante poucos meses, caso o início fosse trágico. Uma insanidade que eu não enxergava, talvez pela certeza que eu tinha, no meu íntimo, que daria tudo certo.

Empreender como jornalista: independência e liberdade

Conquistei meu espaço, consegui clientes, errei, aprendi, enfim, a caminhada tem (e sempre terá) altos e baixos. Faz parte do jogo. Mas a independência e a liberdade que empreender proporciona me encantaram desde o início.

Hoje, me dou ao luxo de selecionar as empresas que eu quero que a RZT Comunicação atenda. Já cheguei ao ponto de “demitir” clientes com os quais não havia mais sentido nem tesão de trabalhar. E abrimos mão de quem tem ideais com os quais não compactuamos. Isso é ter liberdade de escolha!

O que construí nesses mais de 10 anos não foi para uma empresa que pode, a qualquer momento, me incluir num passaralho, mesmo com anos de boa contribuição. O que venho construindo é para o MEU negócio, e isso ninguém vai tirar de mim.

Ter um negócio próprio no Brasil e mantê-lo saudável, ano a ano, é difícil, mas ser empregado também não é fácil. A vantagem ao empreender é que o sucesso dessa caminhada só dependerá de uma pessoa: você.

E eu recomendo essa experiência a todos os colegas jornalistas. Pode ser, como foi para mim, um bom caminho sem volta.

CURSOS: conheça todos os treinamentos da Escola Digitalista
AGENDA: veja as datas das próximas turmas presenciais
CURSOS ONLINE: confira nossos treinamentos em formato EAD
GRÁTIS: cadastre-se para receber dicas, artigos, e-books e outros materiais

 

0 comentários

Faça seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *