Posts

conteúdo para blog

Veja 5 dicas de criação de conteúdo para blog

Criar conteúdo para blog exige planejamento e pesquisa. Os posts precisam ser direcionados ao público-alvo e devem atender suas dúvidas e problemas. Ao publicar temas importantes para a audiência, a página terá muitos acessos e seu negócio atingirá as expectativas.

No entanto, muitos têm dificuldades ao criar materiais para seus blogs. Onde pesquisar? Como buscar fontes? O que postar? Para te ajudar nesse processo, separamos 5 dicas de como procurar conteúdo relevante.

Confira 5 dicas de como pesquisar conteúdo para blog

Aprenda a montar seu plano editorial de uma vez por todas. Veja abaixo 5 formas de buscar conteúdo:

1) Conheça sua persona: antes de começar a pesquisar, é preciso que você defina sua audiência. Você pode entrevistar seus clientes antigos, assim como criar, no Google Docs (acesse aqui), um questionário que te auxilie a estruturar um público-alvo, e depois divulgá-lo em suas redes sociais.

Ao estabelecer as características da persona, ficará mais fácil filtrar o conteúdo que você vai pesquisar.

2) Veja quais são as tendências: você precisa estar atento às novidades que acontecem relacionadas ao seu negócio, para que consiga aproveitá-las no seu conteúdo. Assim, seu público vai gostar e seguirá seu blog com mais atenção e fidelidade, já que as principais tendências são informadas por você.

Uma das formas de verificar o que está em alta, é acessar o Google Trends (conheça aqui), assim como assinar o Google Alerts (veja aqui), para receber notícias dos assuntos das palavras-chave que você selecionou.

3) Analise sua concorrência e inspirações: outra dica é sempre checar o que seus concorrentes estão postando. Veja como eles publicam, quais assuntos fazem mais sucesso entre os seguidores deles etc. Dessa forma, você pode avaliar como fazer um conteúdo ainda melhor. Vale também acompanhar páginas que são referências para o seu negócio, assim como influencers da área que você atua.

4) Aproveite datas comemorativas: pesquise datas que se relacionam com o nicho do seu blog e faça conteúdo a partir delas. Assim, você monta seu cronograma editorial de todos os meses, se guiando com base nos eventos.

5) Pergunte ao público: saber o que sua audiência gosta de ver e ler é essencial. Os stories, por exemplo, são ótimas opções para lançar questões à sua persona. Faça posts descontraídos, buscando esse tipo de ajuda.

Conteúdo para blog: conclusão

Viu como há diversas maneiras de planejar conteúdo para blog? Ao saber dessas dicas, você estará mais preparado para planejar seus posts e, assim, sua página agradará muito mais a audiência, aumentando sua autoridade no meio em que atua.

*Fontes: Mateada; We.digi

*Imagem: divulgação
 

 

link building

Link Building: conheça 5 erros que você deve evitar

O Link Building é uma das estratégias mais utilizadas em marketing digital. Ao trabalhar de forma inteligente com links, seu site pode conseguir um bom rankeamento em motores de busca, como o Google.

A prática de conquistar links de qualidade possibilita que você obtenha autoridade na internet. Dessa forma, sua página conseguirá mais tráfego e, consequentemente, um número maior de leads.

Entretanto, é preciso ficar atento para não atingir o efeito contrário. Quando se usa erroneamente o recurso, o Google entende que seu site está burlando as regras. Assim, o website cairá nos resultados das páginas de busca, o que prejudicará o SEO (Search Engine Optmization), ficando longe do público-alvo.

Nosso artigo mostra quais são os erros mais comuns ao aplicar Link Building, com o objetivo de fazer você evitá-los.

Veja quais são os equívocos mais praticados com Link Building

Se você está começando agora a divulgar seu site ou ainda tem muitas dúvidas sobre a prática de Link Building, confira a seguir quais são os erros mais frequentes, que acabam com o rankeamento das páginas:

1) Ir atrás de links sem qualidade: no início do processo de divulgação de um site ou blog, muitos acabam procurando por links de páginas com pouca audiência ou de baixa qualidade. O ideal, é que você estabeleça essas parcerias com websites que já tenham uma boa autoridade no meio, para que o Google entenda que seu site também é importante.

2) Comprar e vender links: ainda é muito comum esse tipo de prática na internet. No entanto, essa atitude é facilmente identificada pelo Google e derruba sua posição no rankeamento da empresa.

3) Criar blogs para conseguir links: se você já pensou em fazer blogs, para conquistar links para seu site principal, trate de esquecer essa ideia. A não ser que eles tenham outros objetivos e sejam atualizados com conteúdo constante. Caso não seja esse o caso, o Google reconhece com facilidade e não te coloca numa boa posição.

4) Promover seu site em comentários: ao citar seu site na seção de comentários de outras páginas, é preciso tomar cuidado. Se o Google entender que a divulgação foi sem contexto, ele faz seu website cair no rankeamento, por considerar isso um spam.

5) Não linkar para outros sites: antigamente, se pensava que colocar links de outras páginas prejudicava o SEO. Porém, é o oposto: colocar links de sites com autoridade eleva seu posicionamento no Google.

Fique atento a estes deslizes e evite cometê-los. Assim, seu site conseguirá conquistar uma boa relevância na internet e atrair público e leads.

*Fontes: Flammo; Inovação Web

*Imagem: divulgação

 

Google My Business

Google My Business: veja dicas para otimizar seu negócio

Com o Google My Business, as pessoas mudaram sua forma de procurar pelas empresas. Antigamente, era comum consultar listas telefônicas ou buscar por panfletos, quando se precisava achar algum serviço. Hoje, somente com o nome da companhia é possível extrair diversas informações, como: telefone, endereço, site e mais dados específicos do local.

Segundo um levantamento realizado pelo Net MarketShare, aproximadamente 80% das buscas feitas na Internet são realizadas no Google. Logo, se sua empresa estiver registrada no site e for bem otimizada, os negócios podem aumentar muito.

Um estudo realizado pelo Think with Google mostrou que mais de 50% dos consumidores que fazem uma pesquisa local vão até o estabelecimento no mesmo dia. Isso indica o quão importante é para seu empreendimento figurar nas buscas.

Neste artigo, apresentamos como otimizar informações no Google My Business, para que sua empresa conquiste melhores resultados.

Como otimizar seu Google My Business

Agora que você já percebeu a importância de estar bem posicionado no Google My Business, confira como fazer a otimização de sua empresa na ferramenta:

Crie uma conta: o primeiro passo é ir até o Google My Business e criar uma conta do seu negócio.

Preencha as informações: coloque os dados como nome da empresa, telefone, endereço, horário de funcionamento, entre outros. É importante que as informações estejam iguais às anunciadas no seu site. Além disso, verifique se elas estão corretas e batem com o que existe atualmente no seu trabalho.

Faça a verificação: após a criação da conta, o Google enviará um código para sua empresa. Esse procedimento é necessário para que sejam liberadas todas as funcionalidades do serviço.

Personalize seu painel: muitas companhias não preenchem esta parte, achando que só os primeiros dados bastam. No entanto, é preciso continuar as próximas etapas e otimizar seu Google My Business.

Informe as categorias e os atributos da sua empresa: depois de checar novamente se seus dados básicos estão corretos, acrescente as categorias e os atributos do seu negócio.

Ao inserir as categorias, pense nas palavras-chave que estão relacionadas com seu empreendimento. Seja específico nesse tópico. Consulte aqui as mais de 2000 categorias existentes.

Em relação aos atributos, preencha com informações mais claras dos serviços oferecidos e disponíveis na sua empresa. Pense nas possíveis perguntas que seus clientes podem fazer e tente respondê-las nestes tópicos da melhor forma. Por exemplo: se você possui um restaurante, informe a disponibilidade de wi-fi e se crianças são aceitas.

Coloque fotos: uma pesquisa da Synup revelou que postagens com fotos conseguem 35% mais cliques do que publicações sem imagens no Google My Business. A ferramenta recomenda que sua empresa tenha uma foto atualizada de perfil e capa e um vídeo mostrando seu estabelecimento.

Você pode estimular o compartilhamento de fotos dos clientes que visitam sua empresa. É possível, ainda, utilizar estas imagens como foto de perfil, indo na aba “Fotos marcadas do seu negócio”.

Peça avaliações aos seus clientes:
de acordo com um levantamento feito pela Bright Local, 90% dos consumidores leem avaliações antes de efetuar uma compra. Por isso, é importante que seu público faça avaliações do seu estabelecimento, para que os próximos clientes se sintam estimulados em ir até o espaço.

Para pedir esse tipo de análise, envie um link para seus consumidores. Vá até o Maps e busque pelo nome da sua empresa. Selecione seu negócio e clique na opção de menu, que fica na parte superior esquerda. Aperte o botão “Compartilhar ou Inserir Mapa”. Depois, escolha “Copiar Link” e compartilhe a URL com seu cliente.

Responda as avaliações:
mesmo que alguns comentários sejam negativos, é importante para o posicionamento do seu negócio que todas as avaliações sejam respondidas. Isso desperta interesse no seu público, conforme mostrou um estudo.

Atenda seu público pelas mensagens: pode ser que seu cliente esteja com alguma dúvida que não esteja listada no Google My Business. Então, ative o recurso de mensagens da ferramenta, para que seu consumidor consiga te enviar perguntas. Para fazer isso, é só clicar em “Habilitar Mensagens”, no painel da plataforma.

Divulgue posts da sua marca: crie conteúdo do seu negócio e publique no Google Posts, uma funcionalidade lançada em 2017. Nesse recurso, você pode comunicar algum evento que vai acontecer, novidades da sua empresa, comunicar avanços, entre outros.

Monitore seus clientes: é relevante acompanhar estatísticas do seu negócio, pelo Google My Business Insights. A funcionalidade permite que você veja como seu público está localizando sua empresa; em quais áreas eles vivem; os horários que costumam ligar, entre outros.

O Google My Business é uma ferramenta gratuita que ajuda a impulsionar a audiência do seu negócio. Depois de ver como usá-la, que tal criar sua conta e otimizá-la imediatamente?

Fontes: Neil Patel; Google; More Leads

extensões do Google Chrome

10 extensões do Google Chrome que auxiliam seu negócio

As extensões do Google Chrome facilitam a navegação dos usuários de muitas formas. Hoje em dia, utilizar as ferramentas disponíveis dos navegadores é essencial para ter uma produtividade melhor, inclusive no ambiente de trabalho.

De acordo com um levantamento realizado pela Global Stats, 65% das pessoas que acessam internet usam o Google Chrome. No Brasil, o número aumenta para 85%.

Ele é preferido por muitos devido às suas praticidades: se adapta em qualquer smartphone; permite fácil acesso a e-mails e análises, além de ser mais veloz, em comparação com outros navegadores. Todas essas características são procuradas por quem precisa de recursos que auxiliam na organização de trabalhos ou projetos, inclusive na área de marketing.

Para baixar as extensões do Google Chrome, você só precisa acessar o Chrome Web Store. Neste artigo, vamos mostrar quais são as mais indicadas para você e seu negócio.

Extensões do Google Chrome: as mais recomendadas para você ter

Abaixo, estão listadas 10 extensões que vão contribuir com sua rotina de trabalho. Quando começar a usá-las efetivamente, você não conseguirá mais ficar sem elas:

– Save to Pocket: essa ferramenta permite que você salve artigos, vídeos, imagens ou páginas completas, para que consiga verificar depois. Ela ainda possibilita a separação dos assuntos por categorias. Clique aqui  para instalá-la.

Evernote Web Clipper: possibilita captura de telas e edição de imagens de acordo com suas necessidades. Com aproximadamente 4,5 milhões de usuários, é o caderno de notas virtual mais famoso que existe. Para baixá-lo, clique aqui.

– Hashtest: ao postar uma foto no perfil do Instagram da sua empresa, sempre se gasta um tempo verificando quais hashtags usar. Com esta extensão, você não precisa investir muitos minutos nessa análise. Ela testa automaticamente a qualidade das hashtags que você quer aplicar, em tempo real, mostrando quais delas têm um melhor desempenho. Faça o download aqui.

– Boomerang: recurso que auxilia no gerenciamento do fluxo de e-mails. Com ele, você pode controlar e agendar suas mensagens, para que seu público tenha mais chances de ler e te responder. Para fazer a instalação, acesse aqui.

– Buzzsumo: esta extensão proporciona uma análise de como um conteúdo é executado. É uma ótima ferramenta para fazer benchmarking, pois realiza uma leitura do engajamento da página escolhida. Para baixá-la, clique aqui.

– Todoist: é um gerenciador de tarefas, que permite a organização das suas atividades, com base na metodologia Getting Things Done. Este método consiste na criação de listas de atividades, divididas de acordo com a ordem de importância. Faça o download aqui.

– LastPass: essa ferramenta gerencia suas senhas, de forma prática e segura. Ela fornece uma senha mestra, da própria extensão. Desta forma, mesmo que você perca a senha de alguma conta, você continua tendo acesso a ela. Faça a instalação aqui.

– Mailtrack para Gmail e Inbox: no WhatsApp, é possível saber quando alguém já visualizou sua mensagem. Com essa extensão, você também saberá quando alguém já viu seu e-mail. Além disso, ela avisa quando as mensagens foram lidas, mesmo que não tenham sido respondidas ainda. Faça o download aqui.

– Google Keep: outra ferramenta de organização muito útil. Com ela, você registra suas tarefas em post its virtuais, que podem ser visualizados na área de trabalho do Windows. Também funciona em dispositivos móveis. Para baixá-la, clique aqui.

– Session Buddy: já aconteceu de você estar navegando na internet e de repente a energia elétrica acaba? Você perde toda a sua pesquisa, não é? Com essa extensão, isso não acontece mais. Ela resgata as abas que estavam abertas, mesmo após a reinicialização do computador.  Para aplicá-la em seu navegador, clique aqui.

Viu só como as extensões do Google Chrome podem dar mais praticidade ao seu dia a dia no trabalho? Faça a instalação delas agora mesmo e potencialize os resultados dos seus projetos.

Fontes: Neil Patel; Rock Content; WIS

pesquisa por voz

Pesquisa por voz: como aplicar em sua estratégia de marketing

Com certeza você já deve ter visto alguém usar a pesquisa por voz do Google. Muito popular entre os adolescentes, esse recurso tem conquistado por ser mais rápido e prático que a digitação. Além de apresentar resultados com agilidade, algo bem valorizado atualmente.

Uma pesquisa realizada pela Voice Labs em 2017 mostrou que há 33 milhões de dispositivos de voz em circulação no mundo. E esse número tende a crescer, com os avanços que o Google tem feito. A empresa Gartner fez um levantamento no ano passado e verificou que pesquisas por conversação se tornarão ainda mais populares num período de 5 a 10 anos.

A última conferência anual Google I/O, realizada em maio, revelou que seu assistente pessoal, uma espécie de evolução do Google Now, fará ligações sozinho, sob o comando do usuário. Tecnologias assim indicam que algumas práticas, como a pesquisa por voz, vão ser ainda mais comuns. Então, é preciso estar preparado e verificar adaptações.

Mas, como usar a pesquisa por voz no marketing? Neste artigo você vai descobrir como essa ferramenta faz operações e quais as maneiras de aplicá-la na sua estratégia.

Entenda o funcionamento da pesquisa por voz

Desde que o algoritmo de ranqueamento Hummingbird sofreu uma atualização, em 2013, o Google passou a entender melhor as consultas dos usuários. Antes, ele considerava apenas as palavras-chave. Mas, agora ele também interpreta a intenção da busca. Isso indica que vai aparecer nas pesquisas o que é mais relevante para a pessoa, se considerar o que ela procura e o motivo.

O Google também já vinha percebendo que as pesquisas por voz costumam conter palavras de questionamento, como “quais”, “quando”, “onde”, entre outras. Estas expressões são mais usuais nas conversas, em momentos que o usuário está dirigindo, por exemplo.

Além disso, quando alguém usa este recurso, geralmente utiliza palavras-chave de cauda longa, mais extensas. Nesta atualização, os algoritmos aperfeiçoaram o entendimento em linguagem natural.

Como fazer a otimização de pesquisas por voz

Com o crescimento dos assistentes pessoais como Google Assistant, Siri, da Apple, Alexa, da Amazon, Cortana, do Windows, entre outros, que usam a voz como comando, muitas empresas estão precisando adaptar suas estratégias de marketing.

Para começar, você deve entender como o seu público pensa e de que forma ele pode elaborar uma pergunta mais natural em relação ao seu negócio.

Um programa que auxilia nessa questão é o “Answer the Public”. Ao inserir uma palavra-chave no software, ele apresenta diversas perguntas naturais que as pessoas podem fazer sobre aquele termo.

Outros aplicativos interessantes para essa finalidade são: Google Search Console; Question Samurai e StoryBase.

De quais formas a otimização pode ser feita

Ao compreender o funcionamento da pesquisa por voz e como sua audiência pode pensar, é preciso colocar em prática sua otimização. Conheça algumas maneiras para realizá-la:

Crie ou atualize seu FAQ: se você ainda não tem uma página de perguntas frequentes, chegou a hora de fazer uma. Caso já tenha, atualize com questões que podem ser feitas de forma natural pelas pessoas.

Faça um cadastro do seu site no Google Meu Negócio: segundo o Google, as pesquisas com a expressão “perto de mim” tiveram um aumento de 130%.
Isso indica que é comum usar a pesquisa por voz quando se quer fazer ou comprar algo numa região próxima. Então, é interessante se cadastrar nesta plataforma.

Deixe seu site responsivo: como as buscas por voz são feitas por dispositivos móveis, na maioria dos casos, é aconselhável deixar sua página adaptada para a versão mobile. Dessa forma, o público não sentirá dificuldades em achar as informações que precisa e continuará a acessar seu website.

Apareça nos featured snippets: os cartões com respostas que surgem no topo da página de resultados do Google são chamados de featured snippets. Alguns assistentes de voz leem mais estas caixas ou mostram este resultado na tela do celular da pessoa. Então, vale investir na otimização do seu conteúdo.

Agora que você viu como as pesquisas por voz estão em crescimento e aprendeu maneiras de aparecer nestas buscas, chegou a hora de incrementar este plano em sua estratégia de marketing.

Fontes: Neil Patel; Rock Content; MKT Virtual; Agência Mestre 

 

 

penalizacoes-google

Descubra quais são as penalizações do Google e como evitá-las

As empresas que desejam ter seus sites rankeados nos resultados de pesquisa devem entender que o buscador tem regras e, quando violadas, as páginas podem sofrer diversas penalizações do Google. Isso é feito para evitar que usuários e outros domínios sejam prejudicados.

Estas práticas que violam as regras do Google são denominadas Black Hat – más ações do uso de SEO. Elas podem ser duplicação de conteúdo, palavras-chave escondidas ou a demasiada repetição delas em um texto, camuflagem (quando o título fala sobre um tema e o artigo outro), spams, seo negativo, entre outros.

Para que nenhuma destas ações passem batidas, a ferramenta que vistoria e pune todas elas é o Googlebot. É fundamental que todos os sites estejam ligados a ele para que sejam sempre filtrados e participem dos resultados de busca.

Quando reconhece algum destes erros, o Googlebot aplica algumas punições, como fazer a página perder 30 posições no ranking de busca, desindexação da página do buscador ou até mesmo de todo o domínio.

Entretanto, os sites podem cometer algumas destas violações sem perceber. Por isso, existem algumas formas de saber se há algo errado com o seu domínio. Em um dos casos, você receberá uma mensagem explicando por que está sendo punido. Na maioria das vezes, o Googlebot não dá nenhuma explicação, apenas aplica a punição.

Se você não recebeu nenhum alerta e nota algo estranho, como a queda de tráfego em seu site, faça algumas análises:

– Pesquise no Google o endereço do seu site. Se ele aparece na busca, está tudo em ordem. Caso não apareça, é possível que você tenha desindexado manualmente o seu site por acidente.

– Confira se as palavras-chave são usadas corretamente em seus textos: no título, no início do texto, mas sem repeti-las demais.

– O Googlebot periodicamente faz atualizações sobre o seu sistema. O mau desempenho do seu site pode se dar pelo fato de não seguir as novas regras impostas pela ferramenta. Acesse estas informações para ficar dentro dos padrões definidos.

Se o seu site sofrer punições por ter cometido algumas das violações, é possível colocá-lo em ordem novamente. Primeiramente, confira o relatório de erros de rastreamento do Googlebot e veja se suas páginas possuem algum deles.

Atente-se também se não está sendo usada nenhuma técnica de black het, pois elas continuarão bloqueando o seu site para a filtragem do Google. Outro fator importante é revisar seus artigos e ver se eles são realmente do interesse do seu público-alvo. A queda no seu tráfego também pode ser por este motivo.

Depois de corrigir suas falhas, faça o pedido de reconsideração no Google.

Com informações do blog Marketing de Conteúdo

google-ranking

Rankeamento no Google: como aparecer nos primeiros resultados de busca

Muitos produtores de conteúdo que desejam aparecer entre os primeiros resultados das buscas recorrem a anúncios pagos. Entretanto, se esquecem de importantes elementos de rankeamento no Google que poderiam colocar a empresa em destaque sem mais investimentos.

Existem muitos fatores que podem colocar os sites em evidência. Quando um conteúdo é escrito da forma correta e o site está dentro dos padrões do Google, tem grandes chances de ser bem posicionado nas buscas. Veja 9 deles:

1- Tempo de domínio

Quanto mais tempo de registro o site tiver, maior ele será relevante para o Google e outros sites de busca.

2- Palavras-chave no domínio

Colocar a palavra-chave sobre a sua empresa no próprio endereço do site traz grandes chances dele ter destaque nos resultados do Google.

3- Palavra-chave no título dos artigos e outros textos

Como o Google pesquisa pelas palavras-chave, se elas estiverem no título das publicações, as chances de serem encontradas nas primeiras posições são maiores. Por isso, procure sempre colocar pelo menos uma delas na chamada de seus posts.

4- Velocidade de carregamento

O Google consegue calcular o tempo de carregamento de cada página indexada por meio de seu algoritmo (processos e fórmulas de computador que transformam as perguntas em respostas), tendo como base a codificação de HTML.

A dica aqui é ter páginas com estruturas de HTML simples e bem definidas para que tenham um carregamento rápido.

5- Conteúdo atualizado

Outro fator relevante para o Google é a atualização. Se a página não tem novos materiais publicados há muito tempo, ela tem menos chances de aparecer entre os primeiros resultados.

Manter o conteúdo do site atualizado é fundamental para que ele tenha relevância para o Google.

6- Tamanho da URL

Quanto menor a URL, melhor, mas existe também outro detalhe. Para ficar mais fácil de encontrar a sua página, é importante que seja uma URL amigável, ou seja, com as palavras principais no endereço, e não aqueles códigos com números e letras.

Uma URL amigável e curta aumenta as chances de rankear a sua página nos sites de busca.

7- Layout para mobile

É importante levar em consideração o número de acessos às plataformas digitais pelos aparelhos móveis (smartphones e tablets). Muitas vezes, a busca pode ser feita por eles e o Google vai levar em conta as páginas que se adaptam a estes meios.

Por isso, é fundamental ter um site adaptável para desktop e dispositivos móveis, assim, a sua página aparecerá em todos os meios de busca.

8- Comentários na página

O volume de comentários mostra que o conteúdo da página é interessante, já que tantas pessoas interagem.

Isso é um fator de grande relevância e ajuda a dar um bom posicionamento para a sua página no ranking das buscas.

9- Links na página

Ter links que direcionam para outros conteúdos de qualidade também é um grande diferencial que coloca sua página à frente. Quanto mais links, tanto de seu próprio site, quanto para outros, melhor pode ser a colocação.

Estes são alguns fatores que ajudam a rankear seu site no Google, mas existem muitos outros que podem ser usados. Coloque em prática estas dicas e veja sua página nos primeiros lugares dos resultados.

Com informações do AdNews

digital composite of marketing graphics with office background

Google define os canais mais usados pelo Marketing Digital

Atualmente existem diversas plataformas de comunicação para trabalhar o Marketing Digital. Nas redes sociais, por exemplo, os mais conhecidos são o Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn. E, de tempos em tempos, ouvimos sobre algo novo.

Pelo fato de existirem tantos meios, o Google definiu alguns padrões para serem utilizados no Google Analytics e que passaram a ser adotados por muitas empresas.

Veja quais são estes padrões definidos pelo Google:

1- Tráfego Direto

Esse canal define os visitantes que entram em seu site diretamente, sem tê-lo encontrado em outra página. Isso significa que a pessoa já conhecia o site e digitou o endereço da sua empresa.

2- Pesquisa Orgânica

Os buscadores são as plataformas com o maior número de pesquisas orgânicas da internet.

Um fator interessante deste canal é que as pessoas já buscam por algo determinado e têm conhecimento sobre o que procuram.

3- Redes sociais

Um dos canais mais conhecidos, as redes sociais se tornaram essenciais para o trabalho de comunicação das empresas. Por esse meio é possível publicar conteúdos, receber comentários, respondê-los, atender solicitações, etc.

4- Email

O email foi uma das primeiras ferramentas de comunicação e continua sendo um dos canais mais utilizados pelas empresas, tanto interna, quanto externamente.

5- Referência

Enquanto o tráfego direto é definido pela visita de uma pessoa que já busca o site direto no servidor, o Google classifica como referência a navegação em sites a partir de outras páginas que disponibilizaram o link.

Desse modo, qualquer compartilhamento do link do seu site se torna também um canal de comunicação com a sua empresa. Outro ponto interessante é que a indicação do seu conteúdo é um critério de avaliação das ferramentas de busca e um bom influenciador para o seu SEO.

6- Mídia paga

Os anúncios pagos são ótimas soluções para aumentar a visibilidade da sua empresa nas pesquisas e alcançar mais pessoas.

Estes anúncios podem ser feitos no Facebook, no próprio Google e como banners em outros sites.

Você pode encontrar estas definições e outras informações do Google Analytics aqui.

Com informações do blog Resultados Digitais

ranking-imagens

Palavras-chave são muito importantes para rankear imagens no Google

O Google é o buscador de informações mais usado e isso vale para imagens também. Portanto, uma vez que ele funciona lendo, armazenando e criando um grande índice de conteúdo que encontra, a palavra-chave é fundamental para os sites serem encontrados em todos os formatos (tudo, imagens, notícias, vídeos, mapas, etc.).

Por isso, incluir a palavra-chave em suas imagens é muito importante para rankear o seu site. Isso faz com que o post seja encontrado facilmente, na aba geral, imagens, notícias e outras opções.

Abaixo explicamos melhor a importância deste processo:

  • Aparecer na página de resultados

Ao fazer uma busca, logo na aba “Todos”, o Google já pode oferecer resultados com miniaturas de imagens, vídeos ou mapas, se entender que aquela palavra-chave está relacionada ao audiovisual ou a algum tipo de localização.

  • Para melhorar o SEO da sua página

Entre os critérios de ranking de SEO, as imagens são fatores fundamentais.

Quando se trata de aplicar as boas práticas básicas de SEO para uma página, a imagem continua sendo um fator importante de rankeamento.

Portanto, quando você adota práticas para rankear bem a sua imagem, isso também favorece a otimização da página em que a imagem está inserida.

  • Gerar mais tráfego orgânico na página

Em geral, fotos, ilustrações, infográficos e outros tipos de imagens são mais atrativos do que as chamadas em texto. Rankear as imagens pode destacar a sua página nos resultados de busca.

Como ter uma boa imagem?

Para rankear bem as suas imagens no Google, veja algumas dicas:

  • Use imagem de qualidade

Seja qual for o formato e o tipo da sua foto, é essencial que esteja com o foco bem ajustado e com uma boa resolução.

Outros detalhes a serem conferidos são os números e a palavras, caso estejam na imagem. Se for um gráfico ou fluxograma, certifique-se de que as cores estejam bem destacadas.

  • Estar dentro do contexto da página

A imagem deve estar junto com o texto e fazer sentido diante do tema que é abordado e em um tamanho adequado para que tudo tenha uma boa diagramação.

  • Direitos da imagem

Procure sempre usar imagens próprias. Caso use de outro lugar, certifique-se        de colocar os créditos de onde tirou. Isso evita futuros problemas.

Entretanto, há diversos bancos de imagem gratuitos, em que é possível usar as        imagens sem problemas. Também existem sites para comprá-las.

  • Carregamento rápido

Para um bom posicionamento nas buscas, a velocidade da página é um fator fundamental e com as imagens não é diferente.

Use sempre o mesmo código do tamanho da imagem original (geralmente é em pixels) para não alterar a qualidade.

  • Nome fácil do arquivo

Usar nomes em código, como “M0001.jpeg” nas imagens não vai te ajudar se quiser rankear seu site. Portanto, nomeie com as palavras-chave que deseja que sejam encontradas. Isso ajudará a colocar sua página em uma boa posição nos resultados de busca.

  • Possuir um bom texto alternativo

O texto alternativo é mostrado quando a imagem não carrega. Você deve tomar cuidado para que isso não aconteça, mas é importante para o rankeamento.

O texto alternativo deve ser assim:
<img src=”rankear-imagens.jpg” alt=”Importância de rankear imagens no Google” title=”Otimize suas imagens para rankear no Google”>

Preocupar-se com as imagens é tão importante quanto a utilização de SEO nos textos de sua página para um bom rankeamento no Google. Saiba usar corretamente as palavras-chave em seu site e garanta que ele seja encontrado em todas as formas de busca.

Com informações do blog Resultados Digitais

 

business, people and team work concept - close up of creative team with papers and gadgets meeting in office

Google inaugura espaço para trabalhar em São Paulo

Localizado na região da paulista, este é o primeiro campus do Google inaugurado no Brasil. O prédio é um projeto da empresa que já existe em outras cidades do mundo, como Londres, Varsóvia, Seul, Tel Aviv e Madri. A sede de São Paulo é a sexta do mundo e a primeira da América Latina.

O Campus em São Paulo está na Rua Coronel Oscar Porto, 70, no bairro do Paraíso. São mais de 2.600 metros quadrados, com seis andares. Os três primeiros com espaços de trabalho e salas de reunião voltados para startups. O objetivo deste projeto é abrigar 10 empresas que desenvolvam tecnologias e modelos de negócio, que receberão ajuda da rede de especialistas do Google todos os dias da semana, 24 horas por dia.

E mesmo quem não trabalha em uma startup, ou não fizer parte de alguma empresa selecionada, também poderá frequentar o campus. Isto porque é possível, por meio de cadastramento, ter acesso e passar o dia na parte aberta do prédio, o Campus Café. Lá o profissional remoto poderá realizar suas atividades, fazer networking, desestressar na sala de jogos e tomar um café. O Wifii é fornecido pelo Google e gratuito. Se precisar fazer uma ligação, existem cabines telefônicas reservadas, com tomada e internet.

Cafés e sanduíches são vendidos pelo Sofá Café, com espressos coados e outras bebidas de grãos torrados. Os adeptos em trabalhar nas cafeterias da região, agora têm um espaço mais apropriado para realizarem suas tarefas.

Todos os detalhes podem ser conferidos no site do Campus São Paulo. As startups que quiserem se tornar residentes do prédio já podem fazer a inscrição (clique aqui). As escolhidas serão anunciadas em agosto. Para o espaço de trabalho remoto, o prédio já está aberto e funciona de segunda a sexta, das 9h às 19h.

Com informações do site Tecnoblog