Posts

IGTV

IGTV: como usar a nova plataforma do Instagram em seu negócio

A nova ferramenta do Instagram, IGTV, foi lançada no dia 2 de junho, durante um evento em São Francisco, nos Estados Unidos, para comemorar a marca de 1 bilhão de usuários no aplicativo.

De acordo com o presidente executivo e um dos fundadores da rede social, Kevin Systrom, uma das propostas do recurso é que os vídeos sejam feitos na vertical, diferentemente das outras plataformas, que priorizam o formato horizontal.

Além disso, a recém-lançada funcionalidade do Instagram visa concorrer com o YouTube, maior plataforma de compartilhamento de vídeos atualmente.

Neste artigo, apresentaremos as principais características do recurso e daremos dicas de como você pode aproveitá-lo em seu negócio.

Onde encontrar o IGTV

Se você já tem o Instagram baixado em seu celular, é possível encontrá-lo na própria interface do aplicativo. Ele está no canto superior direito, acima dos stories e ao lado do Direct, na tela inicial. Também há a opção de fazer o download da funcionalidade em um app separado.

Características do IGTV e como usá-lo

Quem possui a conta verificada ou com alcances maiores na rede social, consegue fazer vídeos de até 1 hora. Para os demais usuários, o tempo fica limitado a 10 minutos, com no mínimo 15 segundos de duração.

Para postar conteúdo no IGTV, é preciso fazer o upload do seu arquivo. A funcionalidade ainda não permite gravar vídeos diretamente, apenas assisti-los.

O Instagram criou um manual para orientar a produção audiovisual na nova plataforma. Para acessá-lo e conferir mais detalhes, clique aqui.

A rede social também possibilita que você gerencie os vídeos pelo seu desktop. No perfil de cada conta, tem a aba “IGTV”.

Os vídeos precisam estar na vertical e devem ter resolução de até 4K (4000 pixels na horizontal e 2000 na vertical).

As transmissões também são segmentadas. O usuário tem a opção de ver conteúdo das categorias “Para você”, “Seguindo”, “Popular” e “Continuar assistindo”.

Para criar um canal, é preciso selecionar o ícone de engrenagem localizado na interface do recurso, no canto inferior direito. Em seguida, é só clicar em “Criar canal” e agir conforme as instruções que vão aparecer.

O que você pode produzir para o IGTV

O Instagram está se tornando uma das redes sociais mais promissoras da atualidade. De acordo com a empresa Bloomberg, o aplicativo pode render US$ 100 bilhões ao Facebook. Então, vale a pena investir na plataforma. Confira algumas dicas:

Produza conteúdo original: não publique vídeos repetidos no recurso, como materiais que já tenham sido postados em seu canal no YouTube. Invista em um conteúdo diversificado, que seu público queira ver e você ainda não teve como divulgar em outros locais.

Faça entrevistas: esse formato é interessante na nova plataforma, já que ela tem uma duração maior e os vídeos não são apagados.

Divulgue tutoriais: se sua empresa vende algum tipo de produto ou serviço, postar conteúdos de “Do It Yourself” e dicas de como utilizar a mercadoria, também podem atrair seu público.

Apresente seu trabalho: aproveite para mostrar sua expertise, além das vantagens e características do que você faz ou vende.

Desenvolva webinars: esse tipo de seminário é muito adequado nesse ambiente, pois você já tem o público-alvo inscrito no seu perfil na rede. Você também pode inserir links para landing pages nos vídeos.

Responda dúvidas: o espaço é propício para sanar as dúvidas mais frequentes dos seus clientes. Aproveite que a plataforma não exclui o conteúdo e conquiste seu público esclarecendo questionamentos deles.

Agora que você já conhece o IGTV, que tal experimentar a ferramenta? Ela pode ser uma ótima fonte para fidelizar e conquistar ainda mais clientes.

Fontes: Rock Content; Mateada; Dose de Marketing; Inforce

pesquisa por voz

Pesquisa por voz: como aplicar em sua estratégia de marketing

Com certeza você já deve ter visto alguém usar a pesquisa por voz do Google. Muito popular entre os adolescentes, esse recurso tem conquistado por ser mais rápido e prático que a digitação. Além de apresentar resultados com agilidade, algo bem valorizado atualmente.

Uma pesquisa realizada pela Voice Labs em 2017 mostrou que há 33 milhões de dispositivos de voz em circulação no mundo. E esse número tende a crescer, com os avanços que o Google tem feito. A empresa Gartner fez um levantamento no ano passado e verificou que pesquisas por conversação se tornarão ainda mais populares num período de 5 a 10 anos.

A última conferência anual Google I/O, realizada em maio, revelou que seu assistente pessoal, uma espécie de evolução do Google Now, fará ligações sozinho, sob o comando do usuário. Tecnologias assim indicam que algumas práticas, como a pesquisa por voz, vão ser ainda mais comuns. Então, é preciso estar preparado e verificar adaptações.

Mas, como usar a pesquisa por voz no marketing? Neste artigo você vai descobrir como essa ferramenta faz operações e quais as maneiras de aplicá-la na sua estratégia.

Entenda o funcionamento da pesquisa por voz

Desde que o algoritmo de ranqueamento Hummingbird sofreu uma atualização, em 2013, o Google passou a entender melhor as consultas dos usuários. Antes, ele considerava apenas as palavras-chave. Mas, agora ele também interpreta a intenção da busca. Isso indica que vai aparecer nas pesquisas o que é mais relevante para a pessoa, se considerar o que ela procura e o motivo.

O Google também já vinha percebendo que as pesquisas por voz costumam conter palavras de questionamento, como “quais”, “quando”, “onde”, entre outras. Estas expressões são mais usuais nas conversas, em momentos que o usuário está dirigindo, por exemplo.

Além disso, quando alguém usa este recurso, geralmente utiliza palavras-chave de cauda longa, mais extensas. Nesta atualização, os algoritmos aperfeiçoaram o entendimento em linguagem natural.

Como fazer a otimização de pesquisas por voz

Com o crescimento dos assistentes pessoais como Google Assistant, Siri, da Apple, Alexa, da Amazon, Cortana, do Windows, entre outros, que usam a voz como comando, muitas empresas estão precisando adaptar suas estratégias de marketing.

Para começar, você deve entender como o seu público pensa e de que forma ele pode elaborar uma pergunta mais natural em relação ao seu negócio.

Um programa que auxilia nessa questão é o “Answer the Public”. Ao inserir uma palavra-chave no software, ele apresenta diversas perguntas naturais que as pessoas podem fazer sobre aquele termo.

Outros aplicativos interessantes para essa finalidade são: Google Search Console; Question Samurai e StoryBase.

De quais formas a otimização pode ser feita

Ao compreender o funcionamento da pesquisa por voz e como sua audiência pode pensar, é preciso colocar em prática sua otimização. Conheça algumas maneiras para realizá-la:

Crie ou atualize seu FAQ: se você ainda não tem uma página de perguntas frequentes, chegou a hora de fazer uma. Caso já tenha, atualize com questões que podem ser feitas de forma natural pelas pessoas.

Faça um cadastro do seu site no Google Meu Negócio: segundo o Google, as pesquisas com a expressão “perto de mim” tiveram um aumento de 130%.
Isso indica que é comum usar a pesquisa por voz quando se quer fazer ou comprar algo numa região próxima. Então, é interessante se cadastrar nesta plataforma.

Deixe seu site responsivo: como as buscas por voz são feitas por dispositivos móveis, na maioria dos casos, é aconselhável deixar sua página adaptada para a versão mobile. Dessa forma, o público não sentirá dificuldades em achar as informações que precisa e continuará a acessar seu website.

Apareça nos featured snippets: os cartões com respostas que surgem no topo da página de resultados do Google são chamados de featured snippets. Alguns assistentes de voz leem mais estas caixas ou mostram este resultado na tela do celular da pessoa. Então, vale investir na otimização do seu conteúdo.

Agora que você viu como as pesquisas por voz estão em crescimento e aprendeu maneiras de aparecer nestas buscas, chegou a hora de incrementar este plano em sua estratégia de marketing.

Fontes: Neil Patel; Rock Content; MKT Virtual; Agência Mestre 

 

 

posts de blog

Posts de blog: conheça 9 maneiras de reciclar seu conteúdo em vários formatos

Para conquistar mais audiência, muitas empresas estão investindo em posts de blog, atualizando constantemente seu conteúdo. Entretanto, manter essa frequência de produção pode não atingir a qualidade esperada.

O que fazer nesses casos? Uma maneira de aproveitar seu material e não perder público, é reciclar os textos. Ao elaborar um post, tente usufruir dele o máximo possível, convertendo-o em formatos variados, para atrair a atenção de grupos distintos. Dessa forma, o alcance será maior e há grandes chances de aumentar o número de leads para seu negócio.

Dicas para transformar seus posts de blog em outros formatos

Com conhecimento dos vários tipos de conteúdo e criatividade, é possível usar o mesmo material de um post de blog e aplicá-lo em outros meios. Veja 9 dicas de como fazer esse processo e onde você pode reciclar seus textos:

Crie informativos por e-mail: canais tradicionais em qualquer empresa, os e-mails são uma ótima forma para enviar informativos aos seus clientes mais fiéis. Mande mensagens com o conteúdo do seu post, adequando ao formato, e convide o leitor a ler mais sobre o assunto no seu blog, inserindo o link do texto.

Uma boa dica é criar sempre conteúdo atemporal em seu site, porque mesmo que tenham passado meses da publicação, o assunto ainda é relevante e poderá ser reutilizado, sem a necessidade de elaborar outros textos.

– Use as mídias sociais: compartilhe nas redes sociais trechos do seu post no blog. Você pode até fazer uma arte com uma frase retirada dele. Publique-a junto com o link que direciona para o texto original.

Citações e perguntas que façam referência ao conteúdo também podem ser mais atrativas e compartilháveis para o público que navega nessas plataformas.

Algumas ferramentas podem te auxiliar nesta reciclagem de conteúdo nas redes sociais, entre elas, se destacam: Social Inbox; Buffer; ClickToTweet e o Revive Old Post, do WordPress.

– Utilize outros blogs: você pode estabelecer parcerias com sites que tenham um tráfego maior e divulgar o conteúdo do seu post, após a publicação dele na sua página. É interessante que o autor deste portal inclua uma tag com seu artigo, para que o Google reconheça a postagem do seu endereço eletrônico como a original.

Procure por blogs confiáveis, pois o Google condena material duplicado e websites convidados que buscam por backlinks.

Transforme o conteúdo para o SlideShare: coloque as informações do seu post como apresentações no SlideShare. Esse canal é bem parecido com o PowerPoint e é muito utilizado, podendo alcançar diferentes públicos.

Ao postar o material nele, você pode incorporá-lo até mesmo em seus posts, assim como acontece com vídeos, favorecendo o compartilhamento.

Produza vídeos: é um dos formatos prediletos das pessoas atualmente e dão visibilidade à empresa. Com eles, você pode transformar os posts de entrevistas com especialistas e textos instrutivos, por exemplo, em um vídeo.

Além disso, criar conteúdo audiovisual não é mais tão caro. Com câmeras de celular, como as do iPhone, você consegue elaborar materiais de qualidade, sem precisar gastar muito.

– Converta os posts em e-books: são um tipo de material muito aguardado pelos leads, que querem acessar informações gratuitamente, em que o único custo seja fornecer alguns dados ao site.

Eles são uma forma de aumentar sua lista de contatos e ajudam a conquistar clientes. Reúna os posts que abordam o mesmo assunto, escreva uma introdução, conclusão e junte tudo em um e-book, que você pode criar no PowerPoint.

– Faça arquivos de checklists: se você desenvolve posts com conselhos sobre determinado tema, uma ideia interessante é transformá-los em checklists para seus leitores.

Desenvolva modelos de PDF com estas listas, que possam incentivar o seu público a tomar atitudes. São uma maneira de ampliar sua lista de e-mails também, assim como os e-books.

Elabore podcasts: você pode usar alguns tópicos do seu blog e acrescentar informações adicionais deles em podcasts. Uma das ferramentas que ajudam nesse processo de criação é o Odiongo, que faz a conversão dos seus posts em material de áudio.

– Planeje webinars: um formato que reúne pessoas em um determinado período e que atrai novos clientes. Se você cita diversas pessoas em seus posts de blog, uma sugestão é chamá-las para uma transmissão ao vivo, em que elas possam discorrer sobre aquele mesmo tema, mas de uma forma mais dinâmica.

Você não precisa converter seus posts de blog em todos os formatos citados, dê prioridade aos que mais domina. Agora, é só reutilizar seu conteúdo de forma criativa e conquistar variados públicos.

Com informações da Hubspot

company page

Company page do LinkedIn: dicas para melhorar sua página

Ter uma Company page no LinkedIn é fundamental para dar mais visibilidade à sua empresa em uma das redes que mais cresce no mundo. No Brasil, já são mais de 29 milhões de usuários que usam a plataforma para ampliar seu networking profissional.

Toda empresa que quer ser bem vista no mercado possui uma company page no LinkedIn. Com apenas algumas atitudes, é possível ampliar as possibilidades de sua companhia se destacar nessa rede social.

Por que ter uma company page?

Com uma company page, você consegue gerenciar anúncios para sua empresa, obter dados relacionados aos seus seguidores e também conquistar uma aproximação maior com seu público-alvo, ao mostrar atualizações do seu negócio de uma forma direta.

O que é necessário para ter uma company page?

Para ter uma company page no LinkedIn, é preciso cumprir alguns requisitos, como: ter um perfil profissional e considerado “intermediário” ou “campeão”; ser ativo na plataforma e ter várias conexões; seu cargo na empresa deve estar informado na seção “Experiência” e possuir um e-mail corporativo com domínio próprio, para ser adicionado na conta.

Como melhorar a sua company page?

Agora que você já percebeu a importância de ter uma company page na rede social de negócios, confira as dicas para deixá-la mais profissional e com mais visibilidade no mercado.

Deixe sua equipe interligada na rede: fomentar a relação com seus funcionários é uma maneira de aumentar a exposição orgânica da sua empresa. Sempre que possível, sua equipe deve divulgar conteúdo da sua companhia, seja em seu feed de notícias ou em grupos. Essa estratégia pode deixar um link clicável do seu grupo dentro do perfil de cada colaborador.

Trabalhe na melhora do SEO: há SEO (Search Engine Optimization) nas company pages do LinkedIn, por isso é importante estar sempre atento com as palavras-chave que você seleciona na descrição da sua empresa, além de verificar se o conteúdo é relevante para seu público.

Potencialize sua URL: ao criar uma company page, é gerado automaticamente uma URL (Uniform Resource Locator), isto é, um link, que possui um código numérico padrão. A URL também conta como fator para ser encontrada na plataforma, então, é aconselhável personalizá-la. Para isso, entre nas configurações do LinkedIn, clique em “perfil de público” e crie uma URL com o nome da sua empresa, se possível.

Anuncie: com uma company page, é possível criar anúncios na rede, que ajudam na promoção do seu negócio. Além disso, o LinkedIn fornece dados que possibilitam uma segmentação mais específica, em comparação com outras redes sociais. É possível saber cargos, empresas onde trabalham, ramos de atuação, entre outros.

Fique atento às métricas: como em toda rede social, é recomendável analisar as métricas da sua página. Avalie a quantidade de visualizações dos posts, dos cliques e o engajamento nas últimas postagens. Com esses resultados, você consegue checar as preferências do seu público.

Incentive o acesso: no seu site ou blog, insira botões de redes sociais, para estimular o acesso dos visitantes à sua company page. Também é aconselhável colocar o endereço da sua página em cartões de visita, em assinaturas de e-mail, entre outros.

Viu como é simples ter uma company page no LinkedIn? A rede social cresce a cada dia e se tornou essencial para quem quer ter mais visibilidade no mercado, além de possibilitar mais contatos profissionais e ser um canal para aquisição de clientes.

Com informações do Resultados Digitais

Imagem: divulgação

certificação própria

Certificação própria: saiba mais sobre o recurso que torna sua empresa uma referência no mercado

Promover uma certificação própria está tornando-se uma das estratégias de inbound marketing que mais chamam a atenção no mercado atualmente. Muitas empresas de grande porte, como a Microsoft, por exemplo, desenvolvem cursos para seu público e, dessa forma, conquistam cada vez mais autoridade no seu ramo de negócios.

A certificação própria tem o objetivo de qualificar seus clientes e ainda melhorar o posicionamento da sua empresa. Mas, antes de investir nesse recurso, é preciso estudar quais são seus benefícios e suas principais características.


O que é uma certificação própria?

É um documento que comprova a capacidade de alguém em relação a determinado tema. Ao produzir certificações, a empresa se coloca como uma líder em sua área. Quando você informa que está produzindo cursos sobre um determinado assunto, seu público vai te considerar como um profissional desse nicho, já que você é capaz de transmitir conhecimento a outros, tornando-se uma referência no mercado.

Desta forma, sua empresa atrai cada vez mais interessados em obter uma certificação emitida pelo seu grupo, para mostrar que aprendeu aquele tema com uma companhia que virou referência no segmento.

Esse tipo de estratégia torna-se uma ação de marketing lucrativa e garante um bom ROI (Retorno sobre Investimento) para a empresa, pois implantar esse tipo de iniciativa não gera gastos financeiros muito altos, em comparação com o retorno que vai dar ao negócio.

A certificação própria traz inúmeros benefícios à sua empresa, como: ajuda a desenvolver seu mercado; posiciona sua empresa como referência e como líder na sua área; auxilia a firmar seu negócio e ainda dissemina sua marca.

Empresas que usam certificação própria

Muitos grupos empresariais renomados já perceberam a tendência no mercado das certificações próprias e já usam o recurso. Conheça alguns casos:

Microsoft: uma das maiores fornecedoras de infraestrutura básica de ciência da informação, quem obtém um certificado dessa empresa ganha credibilidade e destaque na área de informática. Atenta a essas necessidades, a Microsoft passou a oferecer o MVA (Microsoft Virtual Academy), uma plataforma de e-learning, onde tem vários cursos livres para qualificação profissional.

Quanto mais usuários conseguem as certificações, mais a Microsoft trabalha e é reconhecida pelos seus cursos, o que ajuda na divulgação da sua marca.

Hubspot: com mais de 21 mil clientes em aproximadamente 90 países, a empresa desenvolveu a Hubspot Academy, que disponibiliza certificações para quem realiza seus cursos. Hoje, a plataforma possui 14 especializações diferentes, em vários idiomas.

No Brasil, os cursos da Hubspot chegam a ser considerados critérios de eliminação em processos seletivos na área de marketing, tamanha a notoriedade que a empresa ganhou na área.

A empresa também aumenta sua quantidade de leads quando solicita o cadastro dos interessados em obter suas certificações.

Crie sua certificação própria

Antes de implantar esse recurso, é necessário saber qual seu público-alvo, o que é interessante ser ensinado e que sua empresa entenda, qual será a linguagem utilizada e qual será o método de avaliação empregado para que os interessados obtenham o certificado. Feito isso, já é possível planejar o conteúdo da sua certificação.

Caso a sua empresa já use estratégias de marketing de conteúdo, você pode aproveitar os materiais para elaborar suas aulas.

O indicado é que sua empresa utilize uma plataforma de EAD para gerenciar os certificados, já que o objetivo é gerar muitos por mês. Ao usar esse tipo de sistema, ele gerencia o curso e os certificados automaticamente.

Promova sua certificação

Utilize os mesmos canais de divulgação que sua empresa já trabalha, como site, blog, redes sociais, e-mail marketing, entre outros. No entanto, vale a pena investir em uma comunicação mais forte, como anúncios pagos, para dar destaque ao seu curso e atrair um número maior de interessados.
Outro fator importante é que sua companhia precisa ter um marketing de conteúdo consolidado para lançar a certificação, para garantir o domínio de todo o planejamento que a nova ação precisa.

Dicas de como oferecer sua certificação

Você pode cobrar pelo curso oferecido, mas se sua empresa disponibilizar gratuitamente, haverá mais chances de atrair um público diversificado, que não pensava em realizar um curso antes, devido aos preços.

Além disso, não cobrar pela certificação é uma forma de promover sua marca, ampliando o canal de divulgação e marketing, assim como gera um aumento no seu número de leads.

Veja a certificação como mais uma forma de gerar leads

A certificação pode ser um ótimo canal para aquisição de leads, pois cada pessoa que passa por sua certificação é um potencial influenciador ou decisor na compra do seu serviço ou produto. Elas podem ser consideradas meio e até fundo de funil, tudo depende de como você produzir o conteúdo do seu curso.

Investir em uma certificação própria é uma ótima ideia para ganhar mais autoridade no mercado, além de ser uma estratégia econômica para sua empresa. O que acha de começar a produzir uma para seu negócio?

Com informações da Contentools

Imagem: divulgação

conteúdo em áudio

Conteúdo em áudio: benefícios desta ferramenta de marketing

O conteúdo em áudio está cada vez mais ganhando espaço nas estratégias de marketing das empresas. Podcasts, audiobooks e posts narrados, são exemplos desse formato que é tendência no mercado.

Por vários motivos, algumas pessoas preferem ouvir o conteúdo, em vez de ler. O artigo a seguir mostra os benefícios dessa ferramenta e os motivos que a estão tornando um dos melhores artifícios para levantar a audiência do seu site ou blog.

Por que conteúdo em áudio é tendência?

Uma pesquisa realizada pelas empresas Edison Research e Triton Digital, a Infinite Dial 2018, verificou que 44% das pessoas que vivem nos Estados Unidos já ouviram ao menos um podcast, um crescimento em comparação aos anos anteriores. Em 2016, esse valor foi de 36%, enquanto que, em 2017, 40%.

A pesquisa analisou, ainda, o interesse das pessoas por podcasts e audiolivros. O resultado foi surpreendente e positivo no que se refere ao número de usuários destes tipos de mídias.

Com relação aos locais que as pessoas ouvem conteúdo em áudio, a pesquisa obteve esses dados:

49% escutam em casa;
22% no carro ou no caminhão;
11% no trabalho;
4% no transporte público;
4% na academia;
3% durante uma caminhada;
7% outros.

Benefícios do conteúdo em áudio para o marketing da sua empresa

Há várias vantagens em produzir esse tipo de conteúdo para o seu site ou blog. Confira alguns motivos para aplicar esse formato em sua estratégia:

– Acessibilidade: o conteúdo em áudio é acessível para pessoas com deficiência visual ou com dificuldade para enxergar. São melhores opções do que os softwares de leitura de tela, pois oferecem mais entonação e emoção ao texto. Os demais programas ainda não disponibilizam estes benefícios e transmitem as informações de forma robótica.

– Conveniência: devido à falta de tempo do dia a dia, muitas pessoas acabam não conseguindo ler todas as matérias que querem, seja por estarem dirigindo, ou fazendo alguma atividade doméstica, entre outros. Com o conteúdo em áudio, é possível ouvir e realizar qualquer outra tarefa ao mesmo tempo, como se exercitar na academia, lavar a louça etc.

– Pessoalidade: o áudio também tem a vantagem de cativar e dar mais emoção às pessoas, algo que um texto não faria com tanta intensidade, por exemplo. Essa característica aproxima ainda mais o ouvinte da empresa e pode gerar um maior engajamento em relação à marca.

Quais conteúdos podem ser produzidos?

Os materiais mais produzidos são: podcasts, posts narrados e audiobooks. Saiba os aspectos e as vantagens de cada um deles:

– Podcast: costuma ter regularidade em suas postagens. Eles são uma forma de estar constantemente em contato com o seu público. Pautas simples, como um episódio para responder as dúvidas de seus clientes, por exemplo, são temas que podem agradar os usuários. É preciso investir na qualidade técnica dos áudios, pois os consumidores desse tipo de conteúdo costumam ser exigentes.

Com os podcasts, sua empresa pode conquistar parcerias, anunciantes e ainda receber convites para participar de outros podcasts.

– Post narrado: recurso geralmente utilizado em blogs, costumam disponibilizar a narração do artigo na página do texto. Esse formato ainda é pouco usado no Brasil e sua aplicação pode surpreender seu público, aumentando, assim, o envolvimento dele a sua marca.

– Audiobook: geralmente são ebooks convertidos em áudio, com um conteúdo mais aprofundado que os posts. Eles mantêm as pessoas informadas e especializadas sobre determinado assunto, em ocasiões em que elas não conseguem ler.

Em expansão no mercado e com um custo financeiro menor do que produzir vídeos, o conteúdo em áudio pode gerar bons resultados para o marketing de conteúdo da sua empresa. Que tal investir nesse formato?

Com informações da Rock Content

Imagem: Divulgação

 

blog da empresa

3 dicas para aumentar o número de leitores do blog da empresa

Quando o assunto é o blog da empresa, a primeira pergunta que vem à cabeça é: será que o meu tipo de negócio precisa mesmo de um blog?

Com exceção dos blogueiros independentes, que já entraram no mercado com a intenção de divulgar seu trabalho, as empresas poderiam apenas se contentar com o site institucional. Afinal de contas, manter o blog da empresa requer muito empenho.

Para alcançar o chamado sucesso na rede, a empresa precisa contar com uma boa estrutura, design agradável, navegabilidade amigável e carregamento ultra veloz.

Além, é claro, de um conteúdo atualizado, de qualidade, relevante, que seja constante, tenha uma identidade, e se comunique de forma clara.

Mesmo demandando tanto trabalho, a resposta para a pergunta inicial deste texto é: sim, o blog da empresa é de extrema importância. Pois, é através deste canal que se pode estabelecer um contato e um relacionamento direto com os clientes.

O caminho para conseguir alcançar um número satisfatório de leitores, que vão ler e interagir com os materiais, não é nada fácil, mas é possível.

Lembre-se que é através do blog da empresa que você conseguirá aplicar as técnicas de marketing de conteúdo, para atrair e engajar potenciais interessados na sua marca.

Confira abaixo as 3 dicas que vão fazer o maior sucesso no blog da empresa:

1. O seu conteúdo tem que ser digital

O conteúdo dever ser pensado e feito exclusivamente para o ambiente digital. A forma como as pessoas se comunicam mudou, principalmente com a popularização da internet.

Atualmente, o público quer rapidez, praticidade e facilidade, mas não abre mão da qualidade e da relevância do conteúdo. Foque no canal de comunicação e nas preferências do seu público. Deixe sua veia literária para outras ocasiões.

O objetivo do blog da empresa tem que ser comunicar, informar, interagir e acima de tudo, engajar.

O texto precisa ser fluido. Por isso, as frases têm que ser curtas e os parágrafos não devem ter mais do que 3 ou 4 palavras. Sempre busque simplificar o texto e não use expressões rebuscadas.

2. Utilize os métodos PAS e AIDA no seu blog da empresa

Estratégias de conteúdo para chamar atenção do público, os métodos PAS e AIDA são ferramentas para aumentar o número de leitores do blog.

O método PAS consiste em chamar a atenção para o problema, explicar, identificar o porquê tratá-lo e apresentar uma solução.

Já no AIDA você apresenta dados, fotos e gráficos relevantes já logo no início do texto, para depois engajar e despertar a vontade do leitor para descobrir mais.

3. Não se preocupe tanto com as palavras-chaves

Aqui não se trata de deixar as palavras-chave de escanteio. Pelo contrário. A ideia é mostrar que o conteúdo pode ser avaliado de várias formas e sob outros olhares, para abrir novas possibilidades.

Busque entender o seu potencial cliente, como ele pensa e o que ele deseja. Assim, o seu conteúdo poderá ser direcionado especificamente para o seu público ideal.

Com informações de Mestre do Adwords

Imagem: divulgação

storytelling

Storytelling: como usar essa arte para atrair o público

Na busca por produzir conteúdos cada vez mais interessantes, o storytelling se tornou uma opção interessante e efetiva para as marcas atraírem o público.

O processo de criação de uma campanha exige um plano bem elaborado e criatividade para envolver as pessoas de alguma forma. O storytelling é uma estratégia que tem trazido bons resultados e, por isso, é muito comum ver esse tipo de publicação em sites e nas redes sociais.

Mas, o que é storytelling?

Storytelling, em inglês, significa narrativa. Então, é uma técnica consiste em fazer artigo ou vídeo baseando-se em alguma história.

E está enganado quem pensa que só podem ser usadas histórias de roteiristas. Para fazer essa ação, a marca pode usar personagens de fatos reais, como um colaborador, familiar, amigo e até mesmo consumidor.

Quanto mais real a narrativa, mais pessoas vão se identificar com a campanha.

No entanto, antes de começar a produzir esse tipo de conteúdo, é preciso fazer a si algumas perguntas para te guiar e ajudar a construir uma ação bem elaborada e assertiva.

Para criar o roteiro da sua narrativa, você pode se basear em questões como:

  • O que contar?
  • Para quem falar?
  • Por que falar?
  • Como contar a história?

Além disso, você também deve seguir o planejamento, assim como já faz em outras estratégias:

  • O que o seu público deseja?

Uma história autêntica e conteúdo original com os quais consiga se identificar.

  • O que as pessoas procuram em suas pesquisas?

Conteúdos interessantes que esclareçam dúvidas e apresente soluções para seus problemas.

  • Qual o é objetivo?

Produzir materiais que, além de informações, compartilhem experiências por meio de histórias que envolvam o público e traga para a marca os resultados esperados.

Ou seja, antes de fazer um storytelling, qualquer que seja o formato, é preciso seguir um roteiro e seguir o passo a passo para que a narrativa não se perca e seja esclarecedora para o seu público.

Milhões de campanhas são postadas na internet todos os dias. Mas, para envolver os internautas de verdade, as marcas devem pensar em ações nas quais eles se identifiquem.

Experimente trabalhar com posts mais sensíveis, como os storytellings, para encantar o seu público também.

Com informações do blog Kissmetrics

Marketing de conteudo

3 maneiras para inovar na produção do Marketing de Conteúdo

Atualmente, grande parte das empresas trabalha com o Marketing de Conteúdo. Seja para promover sua imagem, produtos e serviços, ou para se relacionar com o cliente, se tornou fundamental produzir materiais que interessem aos consumidores e criem oportunidades de negócio.

Mas, assim como as outras estratégias de Marketing Digital, também é preciso inovar nas ações de Marketing de Conteúdo para se destacar entre a concorrência.

Confira 3 dicas para produzir Marketing de Conteúdo:

 1- Conteúdo para a formação da imagem da marca

Cada material publicado é uma parte importante para a formação da imagem da empresa. Por isso, é preciso fazer pesquisas e abordar temas que sejam interessantes tanto para o público, quanto para a estratégia da marca.

Depois de produzi-lo, é hora de decidir em quais canais divulgá-lo. Além do seu site ou blog, é interessante que ele apareça também nas redes sociais. Mas, aqui, vale aquela recomendação de investir esforços somente nas mídias em que o seu público-alvo realmente use.

2- Interatividade com os consumidores

Mais que apenas consumir informações, o público hoje busca poder interagir com as marcas, fazendo perguntas e dando opiniões. Formatos que permitem a participação dos internautas, como os webinars, são ótimos exemplos de conteúdo para criar esse diálogo. Você também pode usar Q&A integrados, enquetes e etc.

3- Reaproveite outros conteúdos

Além de produzir frequentemente novos materiais para a sua empresa, você também pode reaproveitar outros formatos que foram bem aceitos pelo público. Por exemplo, transcrever um vídeo para que o tema seja publicado em forma de artigo, ou abordar uma questão que faça parte de um eBook.

Assim, você publica de outras formas assuntos que trouxeram visibilidade para a sua marca e alcança outras pessoas.

Inovar nas estratégias de Marketing Digital é importante para a imagem da marca. Todos os dias, milhares de empresas tentam chamar a atenção do consumidor e, para serem reconhecidas, é necessário fazer ações que sejam realmente interessantes para o público.

Com informações do Mundo do Marketing

Artigo: Marketing de conteúdo e redes sociais revolucionam mundo das vendas

*Por José Ricardo Noronha

Levantamentos de instituições renomadas, que se dedicam ao estudo das realidades e tendências no fascinante mundo das vendas complexas, vêm trazendo dados cada vez mais substanciais sobre o crescimento de uma nova revolução. Trata-se da chamada “venda social”.

De forma bastante resumida, a “venda social” está umbilicalmente relacionada ao perfil do “novo cliente” no mundo das vendas de alta complexidade. Um cliente muito mais informado, exigente e reticente. E, algumas vezes, até arisco aos vendedores das antigas, que ainda não se deram conta de que hoje todos nós, vendedores, dispomos de inúmeros novos meios sociais para estabelecer conexões mais inteligentes com nossos clientes e prospects.

Venda social está, portanto, ligada à crucial tarefa de bem utilizarmos as redes sociais para construir diálogos mais próximos, customizados e efetivamente ligados às necessidades e desafios que nossos clientes têm enfrentado.

E está relacionada também à cada vez mais fundamental tarefa de fazer o bom uso dos meios sociais para pesquisar mais sobre nossos clientes, para criar novos canais de prospecção, utilizando, por exemplo, o LinkedIn com maior eficácia. Sem falar no compartilhamento de conteúdos que, de fato, sejam relevantes e atraentes para os públicos que são atendidos por nossas organizações.

Dentro deste conceito, podemos destacar o crescimento acelerado das estratégias de marketing de conteúdo. Empresas de diversos portes e indústrias têm dedicado esforços e investimentos cada vez mais substanciais na produção de bons conteúdos que sejam altamente orientados e focados nos problemas, desafios e oportunidades que são enfrentados pelos seus clientes e prospects.

Peço também sua especial atenção a outros dados importantes:

• Segundo a plataforma Influitive, 84% dos compradores no mundo das vendas consultivas (B2B) têm iniciado seus processos de compra a partir de recomendações;

• De acordo com o LinkedIn, 3 entre 4 compradores no mundo das vendas complexas confiam nas mídias sociais para se engajar com pares e amigos sobre suas decisões de compra;

• A consultoria Forrester estima que 1 milhão de profissionais de vendas consultivas deverão perder seus empregos até 2020 em virtude de clientes que irão privilegiar o processo de compra via e-commerce;

• No mundo das vendas inteligentes e da “venda social”, fazer bom uso de ferramentas como o LinkedIn para pesquisar mais sobre os prospects, de ferramentas de CRM para um melhor e mais disciplinado controle de todas as interações com nossos clientes e também de ferramentas de automação de marketing nunca foi tão essencial quanto agora.

Diante de tantos dados consistentes e até alarmantes, ofereço uma “dica de ouro” para você, que é líder ou profissional de vendas consultivas: inclua as habilidades e competências de mídias sociais e da chamada “venda social” ao ferramental de treinamento e capacitação dos seus colaboradores. O processo de vendas no mundo das vendas consultivas passará cada vez mais pela Internet e pelo emergente poder das recomendações.

Quem não dedicar muita atenção a estes pontos pode ficar para trás! Ou melhor: já está ficando!

* José Ricardo Noronha é vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Owen Graduate School of Management e é Professor dos MBAs da FIA. É autor dos livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”. www.paixaoporvendas.com.br

Sobre José Ricardo Noronha

É vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Tem como sonho e missão transformar a carreira e a vida de milhares de profissionais e os resultados de vendas de empresas através do compartilhamento de lições, experiências, dicas e da sua própria história de superação pessoal.

Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Vanderbilt University (Owen Graduate School of Management) e atua como professor dos Programas de MBA da FIA e também do Programa de Educação Continuada do Corretor de Imóveis do CRECI/SP.

Escreveu os livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”, que contam com a participação especial de experts como Gustavo Cerbasi, Robert Wong, Eugenio Mussak, Raul e James Hunter, entre outros. É considerado um dos 5 maiores palestrantes e professores de vendas do Brasil.

Site: www.paixaoporvendas.com.br | Blog: www.josericardonoronha.com.br

Atendimento à imprensa:

Almir Rizzatto – RZT Comunicação
almir@rztcomunicacao.com.br
www.rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 | 99628-1733