Posts

marketing digital

Você investe ou torra dinheiro com Marketing Digital?

Foram incontáveis as vezes que pessoas entraram em contato comigo lamentando os pífios resultados com Marketing Digital. O perfil varia muito, indo de empreendedores autônomos até profissionais de empresas de grande porte. Mas, as reclamações são as mesmas: “Não consigo gerar leads”, “não vendo pela Internet” e “os anúncios nas redes sociais não estão dando retorno”. E, durante a conversa, eu entro no site e redes sociais dessas marcas e tudo fica muito claro.

O que acontece é que hoje, nesta era digital, na qual todos são usuários de redes sociais, todos se acham “especialistas”. As pessoas tendem a achar que podem, por conta própria, assumir o Marketing Digital de seus negócios ou das empresas nas quais atuam só porque “mexem no Facebook”.

É preciso conhecer como funciona o Marketing Digital

Usualmente, deparo-me com profissionais muito bons em suas áreas, conhecedores do negócio, do que oferecem. Especialistas mesmo, de alto nível. Entretanto, esse conhecimento técnico do setor não é suficiente para o Marketing. Muitas vezes, nem o próprio departamento de comunicação está realmente preparado para as funções, dada a complexidade e as mudanças constantes do Digital.

Em março, realizei um treinamento in company e vi um cenário que resume bem toda essa falta de profissionalização. A empresa tinha jornalistas produzindo muito conteúdo, mas sem técnicas de SEO. Dizia que precisava gerar leads, mas não oferecia nenhum tipo de material educativo para isso. E também reclamava do baixo engajamento nas redes sociais, mas não respondia um comentário sequer. Assustador, mas uma realidade em diversos negócios.

O Marketing Digital não faz milagres. Um trabalho intuitivo (amador), não vai gerar resultados. Se você está fazendo anúncios nas redes sociais sem o devido conhecimento ou orientação, só vai torrar dinheiro. E se está fazendo Marketing Digital (afinal, todo mundo faz!) sem nenhum tipo de estratégia e inteligência por trás, também só verá seu dinheiro ir pelo ralo.

Avalie se não é o caso de contar com ajuda profissional. E, enfim, começar a investir em Marketing Digital.

Almir Rizzatto é jornalista e pós-graduado em Comunicação Empresarial, Relações Públicas e Marketing. É fundador da agência RZT Comunicação, palestrante, instrutor, consultor e especialista em Marketing Digital. Através da RZT, oferece soluções para profissionais liberais e empresas de todos os portes, além de cursos como os de Marketing Digital e SEO.

Contatos:

Site: http://www.rztcomunicacao.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/RZTComunicacao
Youtube: https://www.youtube.com/RZTComunicacao
E-mail: almir@rztcomunicacao.com.br
Telefones: (11) 5051-8142 e 99628-1733

*Imagem: divulgação

eventos no facebook

Veja 5 dicas para divulgar eventos no Facebook com sucesso

Atualmente, os eventos no Facebook são uma forma bem estratégica de marketing. A mídia social criada por Mark Zuckerberg é uma das mais acessadas no Brasil. Em 2018, o Facebook atingiu a marca de 127 milhões de usuário mensais (veja mais aqui). Aplicando as técnicas corretas, promover um evento na plataforma pode atrair um número significativo de pessoas qualificadas para a atividade que sua empresa está divulgando nas redes sociais.

Mas, antes de criar um evento no Facebook, é preciso saber quais estratégias usar, para que a página chame a atenção das pessoas certas e gere engajamento.

Veja a seguir 5 maneiras de divulgar seu evento nessa rede social para que a atividade tenha visibilidade e presença.

Confira 5 dicas de como promover eventos no Facebook

1) Faça otimização: para garantir uma boa visibilidade, é necessário colocar as palavras-chave certas na descrição do evento. Considere quais termos o seu público-alvo pode pesquisar na barra de pesquisa e insira no texto. Além disso, escolha uma categoria relevante ao criar a página e marque, caso se aplique, a opção “adequado para crianças”, para ampliar a audiência.

2) Publique atualizações com frequência: faça postagens regulares no evento, para estimular a curiosidade e o engajamento entre os interessados. Diga como está a preparação do acontecimento, forneça prévias de quem vai participar ou dos assuntos que serão abordados, entre outros.

Divulgue, ainda, as atualizações na página principal da empresa. Dessa forma, aumentará a chance da participação de mais pessoas.

3) Use hashtags: é interessante divulgar o acontecimento em outras redes sociais, como o Instagram e o Twitter. Nessas plataformas, o uso dessa estratégia é essencial. Crie hashtags oficiais do evento, com o que será lançado ou o local onde ocorrerá, por exemplo.

4) Convide amigos: muitas pessoas começam a prestar atenção em algo quando colegas estão comentando ou participando. Por isso, é importante enviar convites do evento para diversas pessoas da sua rede de contatos, para que o acontecimento tenha mais visibilidade na rede social.

5) Promova o evento:
faça do acontecimento um anúncio, para que mais pessoas tenham oportunidade de conhecer. Dessa forma, é possível, ainda, segmentar o público desejado para que fique sabendo do evento.

Agora que você aprendeu como divulgar eventos no Facebook, coloque em prática as dicas e aumente a visibilidade do acontecimento na rede social. Assim, você terá mais probabilidade de fechar negócios e ampliar o número de clientes.

*Fontes: Agora Pulse; Sympla

*Imagem: divulgação

 

twitch

Twitch: conheça a plataforma de streaming que está conquistando a internet

O Twitch (conheça aqui) é uma rede social de streaming ao vivo, isto é, transmissões em tempo real. Antigamente, a plataforma era voltada exclusivamente para pessoas que jogam online. Mas, nos últimos anos, o site abriu espaço para outros conteúdos e agora é uma das mídias sociais que mais atrai visitantes no mundo.

De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa StreamElements, o Twitch domina esse mercado e alcançou no terceiro trimestre de 2018 cerca de 2,5 bilhões de horas assistidas, com 750 milhões de espectadores mensais (saiba mais aqui).

Com tantos acessos, a rede social de streaming ao vivo está chamando a atenção de empresas e produtores de conteúdo, que estão interessados em diversificar suas atuações na internet.

Conheça a seguir mais sobre o Twitch e se destaque no mercado.

Confira 4 motivos para ter um canal no Twitch

1) Pouca concorrência: no Brasil, a plataforma ainda é pouco explorada. Como muitos conhecem somente a rede social pelo conteúdo de games, acreditam que não dá para ter outros gêneros. Mas, não só é possível, como já existe.

O canal Twitch de Romuald Fons (veja aqui) aborda alguns temas de SEO (Search Engine Optimization) em seus vídeos e tem milhares de visualizações. Dessa forma, é possível, ainda, ser um influencer em sua área, o que já não é tão simples de se conseguir no YouTube, por exemplo.

2) Monetização por publicidade: se você se tornar um parceiro do Twitch, os anúncios que forem exibidos em seu canal serão monetizados com facilidade. Em outras plataformas, como o YouTube, ganhar dinheiro com publicidade demanda um processo mais complicado, o que desanima muitos produtores de conteúdo.

3) Lucre com assinaturas: enquanto no YouTube você precisa de mais de 100.000 inscritos para cobrar assinatura, no Twicth você já pode cobrar desde o primeiro vídeo.

4) Mais proximidade com o público: por ter o diferencial de promover transmissões ao vivo, os vídeos costumam ter mais interações com os seguidores, o que ajuda na conquista e fidelização do público.

Atraia visitantes para seu canal no Twitch

Para chamar visitantes para seu novo canal, é preciso investir em conteúdo patrocinado em outras redes sociais, como o Facebook Ads, por exemplo.

Se você já tem um canal no YouTube, direcione seus inscritos para o Twitch. Divulgue também em seu blog e, caso tenha um número razoável de seguidores, é interessante, ainda, mandar e-mails marketing, para atrai-los à plataforma.
Agora que você conhece um pouco mais dessa rede social de streaming, crie seu canal e se diferencie dos concorrentes com essa tendência mundial.

*Fontes: MailRelay; TecMundo

*Imagem: divulgação

redes sociais

Confira 5 tipos de conteúdo que as pessoas mais gostam nas redes sociais

Para sua empresa se destacar nas redes sociais, é preciso saber do que o público-alvo mais gosta de consumir na internet. Dessa forma, o conteúdo chamará a atenção do usuário e aumentará as possibilidades de engajamento. Isso dará mais visibilidade à página, que ganhará mais audiência e, consequentemente, clientes.

Separamos a seguir 5 tipos de conteúdo que mais se destacam nas redes sociais de uma forma geral.

Veja 5 dicas de conteúdo mais populares nas redes sociais

1) Posts de “Como fazer”: publicações com títulos de “Como fazer” despertam muita atenção do público. As pessoas se sentem interessadas devido ao caráter de utilidade pública do material. Geralmente, esse tipo de conteúdo apresenta o problema e mostra como resolver a situação, como uma espécie de tutorial.

2) Publicações com “Por que”: este tipo de material, com títulos como “Por que fazer determinada ação”, por exemplo, costuma atiçar a curiosidade das pessoas, que querem descobrir os motivos apresentados pela publicação.

3) Conteúdos motivadores: publicações que disseminam informações úteis e, ao mesmo tempo, provocam uma identificação no consumidor, com um teor motivador, também são populares nas redes. Os posts podem ser dicas de produtos ou serviços da sua empresa, por exemplo, mostrando como eles estão relacionados com os valores do nicho em que você atua.

4) Listas: publicações com indicações de itens em uma ordem específica, com rankings e dicas, fazem sucesso entre as pessoas. Os posts precisam mostrar diferentes pontos de vista sobre um mesmo tópico, com conclusões rápidas e dinâmicas. O texto precisa ser breve, para que a leitura seja rápida, mas ao mesmo tempo abrangente. Se tiver imagens e gifs, fica ainda melhor para o público, que consumirá um material leve.

5) Vídeos: os usuários de internet adoram ver vídeos. Uma pesquisa realizada pelo Comitê Gestor da Internet (veja aqui) de 2018, mostrou que metade dos brasileiros acessam músicas e vídeos pela web. É um tipo de conteúdo que pode ser consumido facilmente e consegue engajar muito. Eles precisam ser dinâmicos, para atrair a atenção das pessoas, que procuram materiais cada vez mais curtos e informativos.

Com essas dicas de conteúdo, fica mais fácil fazer um planejamento editorial, para conquistar ainda mais clientes.

*Fontes: Post Digital; Pense Avanti

*Imagem: divulgação

vender pela internet

Quer vender pela internet? Então pare de pensar só em vender!

Vender pela Internet é o desejo de praticamente todas empresas e profissionais liberais nesta era cada vez mais digital. Entretanto, a ânsia de querer conquistar clientes através de site e redes sociais, por exemplo, faz muitos adotarem as estratégias erradas.

Como vender pela internet

Em primeiro lugar, é fundamental atrair as pessoas certas para o seu negócio. E como fazer esse processo de atração? Através de conteúdo qualificado, agregando valor para o público. Sem isso, não conquistamos a tão falada e cobiçada “autoridade” no universo digital. E, sem autoridade, dificilmente fazemos vendas.

Pense comigo: você contrataria um pacote de 10 sessões de Coaching de um coach que o único conteúdo que ele posta nas redes sociais é sobre vendas e o valor do processo?

Por outro lado, qual a chance de você fechar com um profissional que produz conteúdo, escreve artigos, grava vídeos, disponibiliza e-books e oferece webinários gratuitos? Imagino que a tendência é você optar por este segundo coach, desde que, claro, se identifique com o que leu e assistiu.

Gerar autoridade e se relacionar com os leads são passos fundamentais para vender pela internet. Quando essas etapas são bem realizadas, a venda é consequência. E acredite: com bem menos esforço.

Almir Rizzatto é jornalista e pós-graduado em Comunicação Empresarial, Relações Públicas e Marketing. É fundador da agência RZT Comunicação, palestrante, instrutor, consultor e especialista em Marketing Digital. Através da RZT, oferece soluções para profissionais liberais e empresas de todos os portes, além de cursos como os de Marketing Digital e SEO.

Contatos do jornalista especialista em Marketing Digital Almir Rizzatto

Site: http://www.rztcomunicacao.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/RZTComunicacao

Youtube: https://www.youtube.com/RZTComunicacao

E-mail: almir@rztcomunicacao.com.br

Telefones: (11) 5051-8142 e 99628-1733

Para conferir mais artigos do jornalista especialista em Marketing Digital Almir Rizzatto, clique aqui.

*Imagem
: divulgação

marketing internacional

5 dicas de como aplicar o Marketing Internacional no seu negócio

Muitas empresas almejam estender sua atuação para outros países. Porém, é preciso analisar se o seu negócio está preparado para o Marketing Internacional. Antes de se lançar no mercado exterior, é necessário realizar uma série de estudos, com o objetivo de verificar se vale a pena investir fora do país de origem.

O Marketing Internacional consiste no planejamento de ações de divulgação, pesquisa de mercado e promoção do seu negócio em outros países.

Para fazer uma atuação internacional, a empresa necessita avaliar diversas questões do mercado desejado.

Além disso, tenha certeza de que seu público nacional é fiel e consolidado, antes de tentar conquistar clientes internacionais. Esteja, ainda, com suas finanças organizadas, já que a economia mundial pode ter imprevistos ao longo do caminho.

Se você já fez essa análise e verificou que chegou a hora de expandir os horizontes do seu negócio, separamos a seguir 5 dicas de como aplicar o Marketing Internacional.

Veja 5 dicas para aplicar o Marketing Internacional na sua empresa

1) Faça uma pesquise da cultura local: estude os fatores culturais, sociais e políticos sobre a região de seu novo mercado. Aprenda também o idioma do país e faça o marketing de conteúdo com a língua nativa. Isso é importante para evitar que as pessoas não entendam sua mensagem, o que pode gerar gastos financeiros desnecessários. Analise, ainda, como os cidadãos se comportam nas redes sociais.

2) Realize adaptações: veja se sua marca pode se adaptar a um novo tipo de público. Observe quais são as demandas daquele novo mercado e aja de acordo com a região.

3) Estude as regras do país: verifique quais são os impostos e as taxas que precisam ser pagas. Veja, ainda, as leis que você precisa obedecer para estar conforme a legislação do país. Caso você desrespeite algo, podem acontecer processos judiciais e prejudicar a reputação da sua empresa.

4) Repita estratégias que deram certo: avalie quais ações tiveram resultados positivos em seu país de origem e invista nas estratégias que podem ser utilizadas no novo mercado. Porém, faça um estudo sobre a cultura local antes, para ver se o público nativo vai aceitar da mesma forma.

5) Faça a segmentação das campanhas: é preciso investir em campanhas para públicos específicos, da mesma forma que você faz em seu mercado de origem. Assim, seu negócio terá mais visibilidade no novo país.

Se seu negócio está preparado para ser lançado no mercado externo, não hesite em promovê-lo em outros países. Estude essas dicas e, se houver demanda, chegou a hora de estender seus horizontes internacionais.

*Fontes: Hotmart; MKT Sem Segredos

*Imagem: divulgação

 

marketing digital

Você vem (realmente) usando o Marketing Digital ou está se sabotando?

Se você está insatisfeito com os resultados do Marketing Digital em seu negócio, este artigo pode ser um alento. Isso porque o conteúdo abaixo fará você refletir sobre ações e estratégias que são fundamentais para ter sucesso. É comum empreendedores entrarem em contato comigo na RZT Comunicação, agência da qual sou fundador, e lamentarem: “Eu tenho um site, redes sociais, mas não consigo atrair leads, não vendo. O que estou fazendo de errado?”.

E então, quando faço algumas perguntas básicas, fica muito claro que o nível de maturidade digital é raso. Ou seja, as ações adotadas, muitas delas intuitivas (amadoras), realmente não surtirão efeito. Nunca. Um caso típico do barato sai caro.

 

Veja abaixo se você se identifica com algumas situações ligadas ao Marketing Digital

 

Site: sua marca tem apenas uma página institucional? Erro grave!

Hoje as pessoas querem consumir conteúdo. Um site com somente informações sobre a empresa, equipe e serviços, por exemplo, é coisa do passado. O público quer saber o que a marca pensa, ler artigos, ver valor no que a empresa vende. E o conteúdo é uma forma fantástica de atrair leads, aumentar engajamento e vender.

Artigos: você produz conteúdo para web da mesma forma como escreveria para um jornal? Erro grave!

É fundamental que os textos elaborados para seu blog tenham SEO. De forma resumida, SEO é um conjunto de técnicas para que o conteúdo ganhe bom posicionamento orgânico nos buscadores, como o Google. Então, se você está escrevendo sobre dicas na hora de contratar um coach, essa expressão precisa ser explorada, de diversas formas, no seu texto. Só assim seu material irá aparecer no Google quando alguém pesquisar por “dicas na hora de contratar um coach”.

Conteúdo “aberto”: você produz os chamados materiais ricos, como e-books e videoaulas, e os deixa disponíveis sem necessidade de cadastro? Erro grave!

Elaborar esses materiais é necessário, mas eles precisam ficar “fechados”. Ou seja, para que eu tenha acesso a um e-book que você produziu, preciso te entregar meu nome e e-mail, pelo menos. É uma troca. Você me fornece gratuitamente um conteúdo valioso e, em contrapartida, te ofereço meus contatos. Sem isso, você não gera leads, que é a base do Marketing Digital. E, consequentemente, diminui de forma significativa o potencial de vendas.

Redes sociais: você faz apenas posts orgânicos, sem destinar uma verba para anúncios? Erro grave!

O alcance orgânico vem despencando. Hoje, para você atingir até mesmo os curtidores da sua página, precisa pagar para o Facebook e o Instagram, por exemplo. Sem anúncios, os resultados tendem a ser pífios. E não adianta xingar Mark Zuckerberg ou culpar o Marketing Digital por isso.

Frequência de postagens: você publica “quando dá” nas redes sociais? Erro grave!

É fundamental se organizar e produzir conteúdo frequente. Entre ter uma página desatualizada ou não ter, fico com a segunda opção. É frustrante admirar uma empresa e ver que o último post foi no mês passado. Soa desleixo, arranha a imagem da marca. Não é isso que o público espera. Elaborar um calendário editorial ajuda na produção contínua.

Canais de atendimento: você só oferece telefone e e-mail como formas de contato? Erro grave!

Nesta era digital, o público quer atendimento online, em tempo real. Então, canais como WhatsApp, Messenger, chat e Skype são obrigatórios. Afinal, você quer facilitar ou dificultar a comunicação com potenciais clientes?

Viu como a questão não é “o Marketing Digital não funciona”? Na verdade, nada gera resultados se feito de forma errada. Se bem aplicado, de forma inteligente e estratégica, o Marketing Digital pode trazer resultados fantásticos para sua marca.

Autor do artigo: Almir Rizzatto é jornalista e pós-graduado em Comunicação Empresarial, Relações Públicas e Marketing. É fundador da agência RZT Comunicação, palestrante, instrutor, consultor e especialista em Marketing Digital. Através da RZT, oferece soluções para profissionais liberais e empresas de todos os portes, além de cursos como os de Marketing Digital e SEO.

company page

Company page do LinkedIn: dicas para melhorar sua página

Ter uma Company page no LinkedIn é fundamental para dar mais visibilidade à sua empresa em uma das redes que mais cresce no mundo. No Brasil, já são mais de 29 milhões de usuários que usam a plataforma para ampliar seu networking profissional.

Toda empresa que quer ser bem vista no mercado possui uma company page no LinkedIn. Com apenas algumas atitudes, é possível ampliar as possibilidades de sua companhia se destacar nessa rede social.

Por que ter uma company page?

Com uma company page, você consegue gerenciar anúncios para sua empresa, obter dados relacionados aos seus seguidores e também conquistar uma aproximação maior com seu público-alvo, ao mostrar atualizações do seu negócio de uma forma direta.

O que é necessário para ter uma company page?

Para ter uma company page no LinkedIn, é preciso cumprir alguns requisitos, como: ter um perfil profissional e considerado “intermediário” ou “campeão”; ser ativo na plataforma e ter várias conexões; seu cargo na empresa deve estar informado na seção “Experiência” e possuir um e-mail corporativo com domínio próprio, para ser adicionado na conta.

Como melhorar a sua company page?

Agora que você já percebeu a importância de ter uma company page na rede social de negócios, confira as dicas para deixá-la mais profissional e com mais visibilidade no mercado.

Deixe sua equipe interligada na rede: fomentar a relação com seus funcionários é uma maneira de aumentar a exposição orgânica da sua empresa. Sempre que possível, sua equipe deve divulgar conteúdo da sua companhia, seja em seu feed de notícias ou em grupos. Essa estratégia pode deixar um link clicável do seu grupo dentro do perfil de cada colaborador.

Trabalhe na melhora do SEO: há SEO (Search Engine Optimization) nas company pages do LinkedIn, por isso é importante estar sempre atento com as palavras-chave que você seleciona na descrição da sua empresa, além de verificar se o conteúdo é relevante para seu público.

Potencialize sua URL: ao criar uma company page, é gerado automaticamente uma URL (Uniform Resource Locator), isto é, um link, que possui um código numérico padrão. A URL também conta como fator para ser encontrada na plataforma, então, é aconselhável personalizá-la. Para isso, entre nas configurações do LinkedIn, clique em “perfil de público” e crie uma URL com o nome da sua empresa, se possível.

Anuncie: com uma company page, é possível criar anúncios na rede, que ajudam na promoção do seu negócio. Além disso, o LinkedIn fornece dados que possibilitam uma segmentação mais específica, em comparação com outras redes sociais. É possível saber cargos, empresas onde trabalham, ramos de atuação, entre outros.

Fique atento às métricas: como em toda rede social, é recomendável analisar as métricas da sua página. Avalie a quantidade de visualizações dos posts, dos cliques e o engajamento nas últimas postagens. Com esses resultados, você consegue checar as preferências do seu público.

Incentive o acesso: no seu site ou blog, insira botões de redes sociais, para estimular o acesso dos visitantes à sua company page. Também é aconselhável colocar o endereço da sua página em cartões de visita, em assinaturas de e-mail, entre outros.

Viu como é simples ter uma company page no LinkedIn? A rede social cresce a cada dia e se tornou essencial para quem quer ter mais visibilidade no mercado, além de possibilitar mais contatos profissionais e ser um canal para aquisição de clientes.

Com informações do Resultados Digitais

Imagem: divulgação

certificacao propria

Certificação própria: saiba mais sobre o recurso que torna sua empresa uma referência no mercado

Promover uma certificação própria está tornando-se uma das estratégias de inbound marketing que mais chamam a atenção no mercado atualmente. Muitas empresas de grande porte, como a Microsoft, por exemplo, desenvolvem cursos para seu público e, dessa forma, conquistam cada vez mais autoridade no seu ramo de negócios.

A certificação própria tem o objetivo de qualificar seus clientes e ainda melhorar o posicionamento da sua empresa. Mas, antes de investir nesse recurso, é preciso estudar quais são seus benefícios e suas principais características.

O que é uma certificação própria?

É um documento que comprova a capacidade de alguém em relação a determinado tema. Ao produzir certificações, a empresa se coloca como uma líder em sua área. Quando você informa que está produzindo cursos sobre um determinado assunto, seu público vai te considerar como um profissional desse nicho, já que você é capaz de transmitir conhecimento a outros, tornando-se uma referência no mercado.

Desta forma, sua empresa atrai cada vez mais interessados em obter uma certificação emitida pelo seu grupo, para mostrar que aprendeu aquele tema com uma companhia que virou referência no segmento.

Esse tipo de estratégia torna-se uma ação de marketing lucrativa e garante um bom ROI (Retorno sobre Investimento) para a empresa, pois implantar esse tipo de iniciativa não gera gastos financeiros muito altos, em comparação com o retorno que vai dar ao negócio.

A certificação própria traz inúmeros benefícios à sua empresa, como: ajuda a desenvolver seu mercado; posiciona sua empresa como referência e como líder na sua área; auxilia a firmar seu negócio e ainda dissemina sua marca.

Empresas que usam certificação própria

Muitos grupos empresariais renomados já perceberam a tendência no mercado das certificações próprias e já usam o recurso. Conheça alguns casos:

Microsoft: uma das maiores fornecedoras de infraestrutura básica de ciência da informação, quem obtém um certificado dessa empresa ganha credibilidade e destaque na área de informática. Atenta a essas necessidades, a Microsoft passou a oferecer o MVA (Microsoft Virtual Academy), uma plataforma de e-learning, onde tem vários cursos livres para qualificação profissional.

Quanto mais usuários conseguem as certificações, mais a Microsoft trabalha e é reconhecida pelos seus cursos, o que ajuda na divulgação da sua marca.

Hubspot: com mais de 21 mil clientes em aproximadamente 90 países, a empresa desenvolveu a Hubspot Academy, que disponibiliza certificações para quem realiza seus cursos. Hoje, a plataforma possui 14 especializações diferentes, em vários idiomas.

No Brasil, os cursos da Hubspot chegam a ser considerados critérios de eliminação em processos seletivos na área de marketing, tamanha a notoriedade que a empresa ganhou na área.

A empresa também aumenta sua quantidade de leads quando solicita o cadastro dos interessados em obter suas certificações.

Crie sua certificação própria

Antes de implantar esse recurso, é necessário saber qual seu público-alvo, o que é interessante ser ensinado e que sua empresa entenda, qual será a linguagem utilizada e qual será o método de avaliação empregado para que os interessados obtenham o certificado. Feito isso, já é possível planejar o conteúdo da sua certificação.

Caso a sua empresa já use estratégias de marketing de conteúdo, você pode aproveitar os materiais para elaborar suas aulas.

O indicado é que sua empresa utilize uma plataforma de EAD para gerenciar os certificados, já que o objetivo é gerar muitos por mês. Ao usar esse tipo de sistema, ele gerencia o curso e os certificados automaticamente.

Promova sua certificação

Utilize os mesmos canais de divulgação que sua empresa já trabalha, como site, blog, redes sociais, e-mail marketing, entre outros. No entanto, vale a pena investir em uma comunicação mais forte, como anúncios pagos, para dar destaque ao seu curso e atrair um número maior de interessados.
Outro fator importante é que sua companhia precisa ter um marketing de conteúdo consolidado para lançar a certificação, para garantir o domínio de todo o planejamento que a nova ação precisa.

Dicas de como oferecer sua certificação

Você pode cobrar pelo curso oferecido, mas se sua empresa disponibilizar gratuitamente, haverá mais chances de atrair um público diversificado, que não pensava em realizar um curso antes, devido aos preços.

Além disso, não cobrar pela certificação é uma forma de promover sua marca, ampliando o canal de divulgação e marketing, assim como gera um aumento no seu número de leads.

Veja a certificação como mais uma forma de gerar leads

A certificação pode ser um ótimo canal para aquisição de leads, pois cada pessoa que passa por sua certificação é um potencial influenciador ou decisor na compra do seu serviço ou produto. Elas podem ser consideradas meio e até fundo de funil, tudo depende de como você produzir o conteúdo do seu curso.

Investir em uma certificação própria é uma ótima ideia para ganhar mais autoridade no mercado, além de ser uma estratégia econômica para sua empresa. O que acha de começar a produzir uma para seu negócio?

Com informações da Contentools

Imagem: divulgação

vídeo marketing

3 dicas para ter sucesso na sua estratégia de vídeo marketing

As postagens no formato de vídeo marketing já não são mais novidade. Muitas marcas já adotaram esse formato para variar seu conteúdo e chamar a atenção do público. Entretanto, o maior desafio é fazer um material interessante e que se destaque em meio a tantos outros.

O conteúdo em vídeo vai além do texto. Ele pode, até mesmo, criar uma conexão com a audiência quando bem feito, devido à imagem, ao som, à música e outros elementos que o compõem.

Para criar vídeos que façam sucesso entre o público existem algumas técnicas.

Veja 3 dicas para criar um vídeo marketing de sucesso:

1- Use a sua personalidade

É preciso que o executivo responsável pela imagem da marca se expresse com  confiança nos vídeos para conquistar as pessoas.

Devem participar aqueles que representam a identidade da empresa. E o tom a ser usado também depende de como a marca se impõe no mercado.

Quando se trata de um ecommerce de roupas e sapatos, cabe à marca usar um tom mais descontraído para atrair o público-alvo. Por outro lado, se a empresa for uma consultoria financeira, por exemplo, deve fazer a produção de um modo mais sóbrio.

2- Faça um roteiro para o vídeo marketing

Seja qual for o tempo de duração do seu vídeo, é importante seguir um roteiro. Neste caso, não precisa ser nada extremante profissional, mas um guia para organizar o que será falado e quais palavras serão usadas.

Sem um roteiro, o vídeo pode ficar confuso e não agradar ao público. Por isso, coloque em um papel todos os elementos que precisam ser falados, em ordem que façam sentido. Para concluir, recapitule tudo o que foi falado antes.

3- Faça um calendário com a periodicidade das postagens dos vídeos

Entre os benefícios de postar conteúdo em formato de vídeo, destacamos dois. O primeiro é que, geralmente, o público entende melhor a sua mensagem por este meio. O segundo é quanto mais vídeos você postar, maior será o acesso no seu site e redes sociais, uma vez que é um material interessante.

E, devido ao volume de vídeos que sua equipe começar a produzir, é importante organizar a periodicidade da postagem, para que não sejam publicados em períodos muito curtos ou longos.

Defina a melhor periodicidade para a publicação dos vídeos. Leve em consideração o tempo que levam para ser produzidos, a disponibilidade de quem vai participar e os assuntos que serão abordados.

Existem muitas outras dicas para ter sucesso em suas campanhas de vídeo marketing. Essas são algumas estratégias fáceis e que podem ser colocadas em prática o mais rápido possível.

Com informações do blog Copyblogger