Posts

Artigo: 5 pilares para se relacionar bem com chefes e colegas de trabalho

Falar de relacionamento interpessoal inclui tanto a vida pessoal quanto a profissional. Neste segundo âmbito, a situação se torna mais complicada, porque não escolhemos as pessoas com quem vamos trabalhar, seja um chefe, um parceiro, um cliente e até mesmo aqueles que são liderados.

E mesmo que haja uma afinidade com as pessoas do ambiente profissional, é preciso que todos estejam alinhados para um bom trabalho em equipe. Para a Master Coach Silvia Bez, esta relação em particular pode se tornar ainda mais delicada.

“A convivência entre os colaboradores, às vezes, não é tão simples, devido à existência de diversas opiniões, crenças, valores e culturas com as quais precisamos lidar”, afirma a especialista.

E para que este relacionamento se torne mais leve e viável, Silvia apresenta cinco pilares essenciais para manter a paz no convívio profissional:

Autoconhecimento: esse pilar é um dos principais diferenciais nas relações, pois conhecer a si é o primeiro passo para lidar com questões emocionais que comprometem os relacionamentos interpessoais.

“O autoconhecimento nos permite analisar o impacto que causamos nos outros, além de termos claro quais são as características que nos incomodam e, assim, possibilitar nos preparamos para lidar com elas”, afirma a Master Coach.

O autoconhecimento permite mediar com maior assertividade os possíveis conflitos de personalidades nos relacionamentos com os membros da equipe.

Empatia: é a arte de analisar determinada situação pelo mesmo ângulo de outra pessoa que também esteja envolvida.

Mais do que a preocupação ou a conscientização da necessidade de se identificar com o outro, está relacionada com a comunicação assertiva e a compreensão das motivações dos outros.

“A pessoa empática está conectada com quem ela se comunica. Ela capta informações que vão muito além do que é falado e identifica emoções e expressões corporais significativas em seu interlocutor”, explica Silvia.

Ser empático é, antes de tudo, ser um bom ouvinte, excelente observador e ter um interesse legítimo em ajudar o outro.

Assertividade: assertividade é a habilidade de uma comunicação clara, franca e respeitosa.

“Com ela é possível construir relacionamentos saudáveis, mas é preciso ouvir, falar, expressar vontades, opiniões e dificuldades de maneira que não seja agressiva com o próximo.”

Ética: é o conjunto de princípios e valores morais que conduzem o comportamento humano dentro da sociedade.

Empresas seguem os padrões éticos sociais, aplicando-os em suas regras internas, visando o bom andamento dos processos de trabalho, o alcance de metas, objetivos e para criar bons relacionamentos interpessoais.

Um bom profissional deve seguir tanto os padrões éticos da sociedade quanto as normas e regimentos internos da organização em que trabalha.

A ética profissional proporciona ao indivíduo um exercício diário e produtivo de honestidade, comprometimento, confiabilidade, entre tantos outros valores, que balizam o seu comportamento e as tomadas de decisões em suas atividades.

“A grande recompensa por se ético é ser reconhecido, não só pelo seu trabalho, mas também por sua conduta”, completa Silvia.

Pode-se ter muito autoconhecimento, ser altamente empático, assertivo e cordial.  Mas, se não há ética, não é possível manter relacionamentos equilibrados.

Cordialidade: ser gentil, simpático e solicito é ser cordial com as pessoas. É demonstrar consideração pelo próximo, pela equipe e com quem se relaciona.

“Cordialidade é aquele ‘bom dia’ entusiasmado e sincero de quando chegamos ao trabalho, é abrir uma porta para um colega com as mãos ocupadas, é dizer ‘obrigado’ olhando nos olhos das pessoas. São as pequenas gentilezas do dia a dia que farão a nossa companhia pessoal ser desejada e tornarão a nossa presença agradável para os que nos cercam”, finaliza a Master Coach.

A cordialidade desinteressada, que se oferece por iniciativa própria, sem esperar nada em troca, é um facilitador do bom relacionamento no ambiente de trabalho.

Estes cinco pilares no dia a dia trazem melhorias nos relacionamentos, não apenas profissionais, mas em todos os âmbitos da vida. Passe a praticá-los e veja a diferença que fará nos ambientes que frequenta. Estes são elementos fundamentais para criar relações valiosas.

Sobre Silvia Bez

É palestrante motivacional, especialista em vendas e marketing pessoal, além de Master Coach. Em seu trabalho, sempre foca o lado humanista. Com um portfólio de palestras com mais de 30 mil pessoas, também oferece serviços de treinamentos, seminários, workshops e coaching pessoal e profissional.

Possui mais de 30 anos de experiência em cargos de liderança em empresas como Banco Bradesco, Ponto Frio, Ambev, Lopes Consultoria, entre outras.

Formada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e pela IAC (International Association of Coaching), é autora dos livros “7 Passos para se apaixonar pelo que faz”, “5 Passos para Fortalecer sua Memória” e “Paixão em Vender – 5 Segredos do Vencedor”.

Site: www.silviabez.com.br

Atendimento à imprensa:

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142

Artigo: Para ter sucesso, é preciso se aventurar no desconhecido

*Por Silvia Bez

Ao longo da vida nos acomodamos e criamos nosso próprio refúgio. Ficamos acostumados com a rotina e conformados com o estilo de vida e sempre os mesmos resultados, seja no ambiente familiar, social ou profissional. Isto é o que chamamos de “zona de conforto”.

A maioria das pessoas deseja cuidar melhor da alimentação, fazer exercício físico, deixar para trás o que não faz bem ou melhorar o que traz benefícios. Iniciar algo novo e trabalhar nas mudanças necessárias para transformar suas vidas.

Entretanto, atitudes tão simples se mostram difíceis de fazer e falhamos na hora de executá-las. Por que isso acontece? A resposta é simples: qualquer mudança nos tira da zona de conforto.

A vida moderna é extremamente dinâmica e precisamos nos adaptar às frequentes mudanças. Isso é desconfortável e nos causa insegurança e ansiedade, mas é necessário. Precisamos estar dispostos e nos preparar para os desafios que aparecem todos os dias.

É claro que estas rápidas mudanças nos causam insegurança. As relações sociais, profissionais e comerciais vivem em constante instabilidade e novidades surgem o tempo todo. E para aprender a lidar com esta situação, precisamos nos aventurar no desconhecido.

Encarar o desconhecido nos comporta o risco de perder o controle da situação e, ao sair da nossa zona de conforto, entraremos em um terreno que não dominamos. Por isso, a tendência natural é a de continuarmos na mesmice do dia a dia, mergulhados em uma situação que controlamos.

Nossa mente e desenvolvimento pessoal estão diretamente relacionados com o poder de abandonarmos o conhecido, habitual a automático. Precisamos ter confiança, arrojo e determinação para crescer e aproveitar ao máximo as oportunidades que a vida nos oferece.

Enquanto estiver dentro de sua zona de conforto, não estará crescendo nem aprendendo coisas novas. Fará as mesmas coisas de sempre, e, desse modo, irá conseguir somente o que sempre teve.

Portanto, para obter o crescimento pessoal você precisa ter atitudes que não está habituado, mas que são fundamentais para a mudança que deseja. Reflita sobre suas conquistas e perceba que resultados diferentes e significativos só aconteceram quando você fez algo novo. O novo assusta, mas é o que te levará ao sucesso.

Lembre-se sempre desta frase, de Steve Blank, escritor e empreendedor de grande sucesso: “Grandes empreendedores estão confortáveis em estarem desconfortáveis”. Por isso você precisa abandonar a sua “zona de conforto” se quiser crescer de verdade.

*Silvia Bez é palestrante motivacional, especialista em vendas e marketing pessoal, além de Master Coach. Em seu trabalho, sempre foca o lado humanista. Formada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e pela IAC (International Association of Coaching), é autora dos livros “Paixão em Vender – 5 Segredos do Vencedor”, “7 passos para se apaixonar pelo que faz” e “5 Passos para fortalecer sua Memória”. Site: www.silviabez.com.br

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142

smiling businesswoman at interview in office

Postura profissional: 12 dicas para aprimorá-la

Já que a primeira impressão é a que fica, é melhor estar sempre preparado para mostrar uma boa postura profissional e pessoal. Não apenas as roupas, mas atitudes e a linguagem corporal também dizem muito sobre você.

Listamos abaixo 12 dicas sobre como manter uma postura apropriada no ambiente profissional:

1- Aparência

Tudo o que pode ser visto em você e à sua volta contam. Objetos, mesa, seu escritório, etc. Atente-se também aos lugares que escolhe para marcar encontros e reuniões.

2- Aperto de mão

Inicie o encontro com um aperto de mão firme e confiante. Mas, cuidado para não apertar muito forte ou muito fraco.

3- Esteja aberto a conversas

Seja sorridente, descruze os braços e mantenha a postura alinhada.

4- Boa pronúncia

Fale em um tom adequado para o ambiente e com boa pronúncia, para que todos possam ouvi-lo bem e entendam seu discurso.

5- Ouça antes de falar

No discurso alheio é possível compreender os rumos para conduzir a conversa. Esteja atento.

6- Demonstre interesse com o cartão de visita

Não faça descaso e guarde cuidadosamente o cartão de visita que lhe foi entregue.

7- Seja gentil

No dia a dia da empresa, seja educado com todos os colaboradores. Para isso, comece usando palavras como “bom dia”, “por favor”, “com licença” e “obrigado”.

8- Estabeleça boas relações com todos no ambiente

É importante que seus colegas de trabalho saibam que podem contar com você. Por isso, estabeleça uma relação de confiança com todos eles.

9- Contenha-se com os objetos em sua mesa

Limite-se a uma foto pequena de família e amigos e pequenos itens para dar um toque pessoal em seu escritório. Objetos espalhafatosos não são recomendados para o ambiente de trabalho.

10- Limite a relação de intimidade com os colegas

Tenha uma boa relação com todos, mas não force uma amizade mais íntima com quem não lhe der abertura. No escritório, a relação com os colegas deve ser apenas profissional.

11- Evite telefonemas pessoais no escritório

Não é bem visto fazer ou atender telefonemas pessoais no trabalho. Além de atrapalhar suas tarefas, permite que todos saibam seus assuntos particulares.

12- Continue com a mesma postura fora do escritório

Manter a postura profissional fora do ambiente de trabalho consolida a impressão positiva sobre você ao longo do tempo.

Com informações do site Empregos 

 

students having discussion at school

5 dicas para construir uma boa imagem profissional

Cada detalhe conta para determinar a imagem que os chefes e colegas de trabalho terão uns dos outros. Por isso, atentar-se ao modo de como se portar no ambiente corporativo é muito importante para construir uma imagem profissional adequada. Veja abaixo cinco dicas:

 1 – Não olhar o celular o tempo todo

Pesquisas já apontaram que os aparelhos celulares estão diretamente ligados à queda de produtividade do profissional. Por isso, checar as atualizações muitas vezes durante o expediente pode transmitir uma imagem negativa. Use-o apenas para emergências no ambiente de trabalho.

2 – Chegue no horário

Muitas empresas não toleram atrasos. Por isso, esteja sempre antecipado para que consiga chegar no horário, mesmo que aconteça um imprevisto. E, caso perceba que o atraso será inevitável, avise seu chefe o quanto antes.

 3 – Estabeleça contato visual

Contato visual faz com que os outros confiem mais em você.  Pessoas que olham nos olhos enquanto conversam transmitem mais confiança, e isto é uma característica importante do mercado de trabalho.

 4 – Não demonstre nervosismo

 Nervosismo transparece falta de autoconfiança e isso faz com que os outros duvidem de seu potencial. Mantenha calma para desenvolver suas tarefas e, assim, conseguirá mostrar o seu potencial.

5 – Formule bem suas perguntas

A maneira como você questiona suas dúvidas demonstra muito sobre a sua personalidade. Formule bem sua pergunta e a formule-a de maneira inteligente.

Com informações do Universia