Posts

marketing-relacionamento

Marketing de Relacionamento: 3 estratégias para fidelizar seus clientes

O Marketing de Relacionamento é aquele empenho que a marca tem para conquistar o cliente a ponto de transformá-lo em fã e até em defensor de seus produtos. Mas este tipo de ação vai além deste objetivo. É uma estratégia que envolve a construção da marca, fidelização, disseminação e criação de autoridade no mercado.

E para aplicar o Marketing de Relacionamento existem diversas formas que foram facilitadas graças à internet. Você pode contar com metodologias do Marketing Digital, Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo para isso. E como ferramentas, blog, mídias sociais e email marketing.

Mas, antes de começar as ações de Marketing de Relacionamento, é importante que você conheça a sua audiência. Aqui, voltamos em um assunto que abordamos diversas vezes: segmentação do público. Não adianta fazer uma campanha geral se não vai conseguir agradar a uma parte dos consumidores. Portanto, é preciso pensar em diferentes estratégias para cada perfil.

Após dividir o seu público de acordo com o perfil de cada um, você pode usar estas ferramentas online para trabalhar com o Marketing de Relacionamento:

Blog

Os conteúdos postados no blog da empresa podem abordar assuntos que sejam de grande utilidade para o consumidor, como informações, dúvidas e algumas questões sobre produtos e serviços. Estes esclarecimentos aproximam o cliente da marca e passam mais credibilidade e confiança, aumentando as chances dele buscar cada vez mais pelo o que a marca tem a oferecer.

Mídias Sociais

Estas são as ferramentas mais poderosas para aproximar clientes e empresas. Estar presente no Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn e outras já não é mais uma estratégia, mas uma obrigatoriedade para as marcas se relacionarem com seus consumidores.

Para se aproximar dos clientes por meio das redes sociais, é essencial divulgar por meio delas materiais de interesse, responder aos comentários e tirar as dúvidas dos consumidores o mais rápido possível. Demorar para dar um retorno pode passar a impressão de descaso por parte da marca e afasta o consumidor.

Email Marketing

Esta ferramenta é uma das melhores para personalizar a mensagem para cada tipo de perfil do público. Pelo Email Marketing é possível criar diversas campanhas para o Marketing de Relacionamento, como:

  • Oferecer conteúdos relevantes para o consumidor;
  • Enviar campanhas e consolidação da marca, apresentando os benefícios que a empresa leva para o cliente;
  • Oferecer promoções, descontos e outras vantagens;
  • Ações pós-venda, como pesquisas de satisfação para saber a opinião dos clientes;
  • Oferecer novos produtos.

Estas são algumas das ferramentas e campanhas que podem ser utilizadas para o Marketing de Relacionamento. Muitas marcas já o praticam, mas é importante estar atento a um detalhe: só funciona bem se você conhece o perfil dos seus clientes e sabe atender às suas necessidades.

Por isso, estude o seu público, monte as melhores estratégias e aposte no Marketing de Relacionamento. Mantenha um contato saudável e positivo com o seu cliente para estabelecer uma relação duradoura. Afinal, já sabemos que a fidelidade é um dos fatores de sucesso das vendas.

Com informações do blog Resultados Digitais

Artigo: Aprenda a ser feliz e ter disposição para os desafios da vida

*Por Eunice Brito

Vivemos numa era em que muitas pessoas se relacionam de forma virtual ou se isolam, com medo de se entregar ou fazer a troca humana com os outros. Esse modelo “fast” nos afasta de nossa essência e da possibilidade de nos conhecer melhor.

Temos pressa para alcançar nossos objetivos, metas e resultados, incluindo a imagem do ser humano perfeito, que gera autocobrança e exigência nos relacionamentos. Então, pergunto: a que preço nos lançamos na corrida do sucesso, considerando apenas os valores materiais? Como ficamos na relação conosco mesmo e com o outro? Que planeta estamos alimentando para as futuras gerações?

Este artigo é fruto de pesquisas que pensam o ser humano na sua integridade, considerando os aspectos material, espiritual e relacional. Quando falo em espiritual não destaco nenhuma seita ou religião, apenas a dimensão espiritual presente em todos os seres vivos.

Os aprendizados da vida fazem com que nos dividamos para atender as necessidades, os papéis e as funções em que nos colocamos. Estas partes, às vezes, se encontram e conversam entre si, mas em outras convivem dialogando em oposição. Estas dinâmicas nos afastam de quem somos em essência.

O desafio aqui é reunir ou estabelecer o diálogo consciente com todas as partes que coexistem dentro de nós, buscando sentir a paz interior. E, assim trabalhar pela paz nas relações e no todo.

A paz pressupõe a aceitação de todas as sensações, pensamentos e sentimentos pessoais. Tomar consciência de nós mesmos nos leva ao caminho de fazer as escolhas da vida de forma mais consciente, buscando o contato com a integridade e a harmonia interna. Desta forma, somos nossos próprios tomadores de decisões, ao invés de decisões baseadas em padrões aprendidos.

Os padrões aprendidos podem ser interessantes se realmente estiverem alinhados com a nossa integridade e harmonia enquanto pessoas. A integridade e a harmonia de nosso ser têm como ponto de partida a autoestima, a percepção e a consciência que temos de nosso Eu, da essência que mora dentro de nós e que, mesmo com todas as experiências, continua integro em nós.

Algumas teorias denominam esta parte de Self, centro interior, etc. O importante é saber que existe esta Luz que nos impulsiona à vida e nos diz que somos a manifestação da força Universal e, portanto, merecemos Amor.

Quando conseguimos nos conectar com a expressão desta força, sentimos alegria e disposição para enfrentar os desafios da vida. Conseguimos, ainda, responder aos eventos e circunstâncias de forma consciente, ao invés de nos tornar reativos aos fatos e situações. Enfim, tornamo-nos autorresponsáveis por tudo que chega ou acontece na nossa trajetória.

*Eunice Brito é Psicóloga, Consultora, Coach, fundadora da Semilla Treinamento Empresarial e uma das organizadoras da Formação no Modelo de Validação Humana Virginia Satir (www.virginiasatir.com.br) no Brasil. Site: www.semilla.com.br

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fone: (11) 5051-8142

Artigo: 5 passos para uma comunicação clara nos relacionamentos

*Por Maria Emilia M. Oliveira

Como podemos nos comunicar de uma forma amorosa, direta e confiável? Como criar um contexto seguro para dar e receber informações de maneira congruente?

Com base no principio de que as pessoas têm valor e o que elas falam também tem valor, Virginia Satir, grande mestra e terapeuta da década de 1960, criou um processo para ajudar todos a se sentirem mais conectados, confiantes, confiáveis e próximos ao se relacionarem. Essencialmente, é um processo de construção da autoestima.

Ajuda diretamente os grupos a melhorar sua comunicação e a sua validação.  Assim, os membros do grupo experimentam o seu envolvimento interna e externamente, mudando sua temperatura com eles e entre eles. Esse processo chama-se Leitura de Temperatura.

Seu procedimento é simples e pode ser útil para casais, ou grupos, seja familiar, de empresa, em um curso ou em uma escola.

Surgiu da necessidade de clarear e desintoxicar situações problemáticas, observando como os membros de um grupo se sentam para compartilhar seu tempo juntos.

A Leitura de Temperatura dá a todos uma oportunidade de ter voz quanto a sua satisfação e insatisfação em um contexto leve e de responsabilidade mútua.

Recomenda-se fazer a Leitura de Temperatura por meia hora a cada dia, para que os assuntos chaves emerjam e para que todos se acostumem com o processo.

E quais são os passos da Leitura de Temperatura?

1) Apreciação e Entusiasmo

Ao iniciar uma conversa ou uma reunião de grupo, abrimos com uma rodada de apreciações, partindo de uma frase simples: “Eu quero compartilhar o meu apreço por…”. Elogiar é o primeiro passo, pequenas mensagens de amor, relato de algo que aconteceu e que nos tocou. Conectados com o coração, ultrapassamos nossos medos e a vergonha de nos expor. E, assim, encontramos o que é bonito e forte em cada um, deixando o amor disponível para todos.

Somos pessoas de muitos lados, muitas faces, muitas vozes. Virginia Satir dizia “quero que você fique entusiasmado com a pessoa que você é. Apaixone-se por si mesmo”.  E completava: “a minha esperança é que possamos criar realidades lindas e curativas. Toda pessoa é um milagre. E acredito que reconhecer uma competência é sempre saudável”.

Segundo Eva Wieprecht, professora da Formação no modelo Satir de Validação Humana, há uma escola que usa as apreciações como um ritual diário e o desempenho melhorou muito.

2) Novas informações

Este passo é o momento de compartilhar qualquer informação que for relevante para o grupo ou para a pessoa.  Por exemplo: horário de inicio e fim dos trabalhos; previsão de intervalos; onde ficam os banheiros; restaurantes mais próximos.  Ou: “vou chegar mais tarde após o jantar”; “vou sair mais cedo esta manhã”; ”por favor, chame o técnico para o conserto da máquina; vou ficar com os amigos”; etc. Informações são bem apreciadas quando divididas.

3) Preocupações e ansiedades

Muitas vezes, para não parecermos inadequados, não falamos das nossas preocupações e elas se transformam num monstro que ninguém sabe o que é.

Questões que clareiam problemas começam por “quando”, “o que”, “como”, e “onde”. Por exemplo: “Quando você saiu ontem parecia chateado. Você está bem agora?”.

4) Reclamações com recomendações                        

Quem colocar um problema ou fazer uma reclamação deve fazê-lo sugerindo possíveis soluções ou recomendações. Assim, eu me torno a serviço da construção da equipe.

Por exemplo: “Eu fico ressentido quando você não me responde ao celular”. “Eu agradeço se você verificar mais vezes se ele está ligado”.

5) Esperanças e desejos

Neste passo, as pessoas são convidadas a compartilhar suas esperanças na vida e, muitas vezes, só o fato de expressá-las já é uma grande ajuda para cada um.

Por exemplo: “Espero que possamos estar mais tempo juntos neste final de semana”.  “Eu lidero o processo e vocês lideram o conteúdo”.

A intenção de Virginia Satir sempre foi ajudar as pessoas a terem mais responsabilidades pelas suas próprias preocupações internas e reclamações, através deste processo simples de compartilhamento e retificação e, assim, serem suportes uns para os outros.

Ela verdadeiramente encorajava as pessoas a responder ao outro e comunicar-se de uma maneira congruente. Afinal, para Virginia Satir, “as pessoas têm valor e o que elas falam também tem valor”.

*Maria Emilia M. Oliveira é especialista em Psicologia Transpessoal e Constelação Familiar Sistêmica. Também faz parte do grupo da Formação no Modelo de Validação Humana Virginia Satir (www.virginiasatir.com.br).

Atendimento à imprensa:

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142

Artigo: 5 pilares para se relacionar bem com chefes e colegas de trabalho

Falar de relacionamento interpessoal inclui tanto a vida pessoal quanto a profissional. Neste segundo âmbito, a situação se torna mais complicada, porque não escolhemos as pessoas com quem vamos trabalhar, seja um chefe, um parceiro, um cliente e até mesmo aqueles que são liderados.

E mesmo que haja uma afinidade com as pessoas do ambiente profissional, é preciso que todos estejam alinhados para um bom trabalho em equipe. Para a Master Coach Silvia Bez, esta relação em particular pode se tornar ainda mais delicada.

“A convivência entre os colaboradores, às vezes, não é tão simples, devido à existência de diversas opiniões, crenças, valores e culturas com as quais precisamos lidar”, afirma a especialista.

E para que este relacionamento se torne mais leve e viável, Silvia apresenta cinco pilares essenciais para manter a paz no convívio profissional:

Autoconhecimento: esse pilar é um dos principais diferenciais nas relações, pois conhecer a si é o primeiro passo para lidar com questões emocionais que comprometem os relacionamentos interpessoais.

“O autoconhecimento nos permite analisar o impacto que causamos nos outros, além de termos claro quais são as características que nos incomodam e, assim, possibilitar nos preparamos para lidar com elas”, afirma a Master Coach.

O autoconhecimento permite mediar com maior assertividade os possíveis conflitos de personalidades nos relacionamentos com os membros da equipe.

Empatia: é a arte de analisar determinada situação pelo mesmo ângulo de outra pessoa que também esteja envolvida.

Mais do que a preocupação ou a conscientização da necessidade de se identificar com o outro, está relacionada com a comunicação assertiva e a compreensão das motivações dos outros.

“A pessoa empática está conectada com quem ela se comunica. Ela capta informações que vão muito além do que é falado e identifica emoções e expressões corporais significativas em seu interlocutor”, explica Silvia.

Ser empático é, antes de tudo, ser um bom ouvinte, excelente observador e ter um interesse legítimo em ajudar o outro.

Assertividade: assertividade é a habilidade de uma comunicação clara, franca e respeitosa.

“Com ela é possível construir relacionamentos saudáveis, mas é preciso ouvir, falar, expressar vontades, opiniões e dificuldades de maneira que não seja agressiva com o próximo.”

Ética: é o conjunto de princípios e valores morais que conduzem o comportamento humano dentro da sociedade.

Empresas seguem os padrões éticos sociais, aplicando-os em suas regras internas, visando o bom andamento dos processos de trabalho, o alcance de metas, objetivos e para criar bons relacionamentos interpessoais.

Um bom profissional deve seguir tanto os padrões éticos da sociedade quanto as normas e regimentos internos da organização em que trabalha.

A ética profissional proporciona ao indivíduo um exercício diário e produtivo de honestidade, comprometimento, confiabilidade, entre tantos outros valores, que balizam o seu comportamento e as tomadas de decisões em suas atividades.

“A grande recompensa por se ético é ser reconhecido, não só pelo seu trabalho, mas também por sua conduta”, completa Silvia.

Pode-se ter muito autoconhecimento, ser altamente empático, assertivo e cordial.  Mas, se não há ética, não é possível manter relacionamentos equilibrados.

Cordialidade: ser gentil, simpático e solicito é ser cordial com as pessoas. É demonstrar consideração pelo próximo, pela equipe e com quem se relaciona.

“Cordialidade é aquele ‘bom dia’ entusiasmado e sincero de quando chegamos ao trabalho, é abrir uma porta para um colega com as mãos ocupadas, é dizer ‘obrigado’ olhando nos olhos das pessoas. São as pequenas gentilezas do dia a dia que farão a nossa companhia pessoal ser desejada e tornarão a nossa presença agradável para os que nos cercam”, finaliza a Master Coach.

A cordialidade desinteressada, que se oferece por iniciativa própria, sem esperar nada em troca, é um facilitador do bom relacionamento no ambiente de trabalho.

Estes cinco pilares no dia a dia trazem melhorias nos relacionamentos, não apenas profissionais, mas em todos os âmbitos da vida. Passe a praticá-los e veja a diferença que fará nos ambientes que frequenta. Estes são elementos fundamentais para criar relações valiosas.

Sobre Silvia Bez

É palestrante motivacional, especialista em vendas e marketing pessoal, além de Master Coach. Em seu trabalho, sempre foca o lado humanista. Com um portfólio de palestras com mais de 30 mil pessoas, também oferece serviços de treinamentos, seminários, workshops e coaching pessoal e profissional.

Possui mais de 30 anos de experiência em cargos de liderança em empresas como Banco Bradesco, Ponto Frio, Ambev, Lopes Consultoria, entre outras.

Formada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e pela IAC (International Association of Coaching), é autora dos livros “7 Passos para se apaixonar pelo que faz”, “5 Passos para Fortalecer sua Memória” e “Paixão em Vender – 5 Segredos do Vencedor”.

Site: www.silviabez.com.br

Atendimento à imprensa:

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142

Artigo: Por networking de qualidade, seja interessante (e não interesseiro)

*Por Silvia Bez

De maneira resumida, networking é uma forma de criar e alimentar uma rede de relacionamentos, com o objetivo de ajudar e aprender com o próximo, estabelecer trocas e buscar oportunidades de negócios para ambas as partes. E, para que isso dê certo na vida profissional e pessoal, a comunicação é um elemento fundamental.

Entretanto, essa arte de criar uma rede vem ganhando outras faces, que distorcem as ideias e o princípio inicial. Muito profissionais cometem erros na formação do networking porque focam somente no interesse e deixam de estabelecer uma ligação vantajosa para ambos.

No verdadeiro networking se estabelece um relacionamento real. Não basta entregar cartões de visita ou um catálogo de produtos e serviços para apenas fazer negócios. É preciso demonstrar o desejo de criar uma relação de confiança e apoio das duas partes. De que adianta ter milhares de pessoas nas redes sociais se houver apenas interesse comercial e uma ligação superficial?

Portanto, invista de maneira inteligente na formação de seu networking e, em breve, terá muita gente com quem negociar de maneira prazerosa e satisfatória.

Veja algumas considerações que lhe ajudarão a tornar sua rede de relacionamentos mais consistente, de modo que trará grandes resultados em sua vida pessoal e profissional:

Apenas distribuir cartões não levará a nada: Quantas vezes paramos para organizar nossas coisas e percebemos que estamos cheios de cartões, panfletos e folders? E, na maioria das vezes, nem nos lembramos de quem recebemos aquele material.

Por isso, quando receber um cartão ou um folheto, faça uma observação, algo que o ajudará a lembrar daquela pessoa. Lembre-se que fazer networking não é apenas construir uma lista de contatos.

Equilibre qualidade x quantidade: A qualidade dos seus contatos e relacionamentos está diretamente ligada a um networking bem realizado.

Um ponto importante para não perder a qualidade na comunicação é ter controle na quantidade de contatos que você administra. Quanto maior for a sua rede de relacionamentos, menores serão as chances de estabelecer relações de qualidade com as pessoas.

Por isso, cuide muito bem da administração desse binômio “qualidade x quantidade”.

Aplique a lei da reciprocidade: Ter um networking não significa ser interesseiro e, sim, interessante e interessado. Seja uma fonte de recursos para as pessoas com quem você se relaciona e proporcione elementos de valor aos que interagem com você.

Outro ponto importante é sempre retribuir a ajuda que receber de alguém. Lembre-se que, embora muitos não cobrem isso, as pessoas sempre buscam reconhecimento.

Ajude de boa vontade: Sempre que ajudamos alguém, seja com informação, indicação ou aprendizado, não devemos fazê-lo esperando algo em troca. Tenha sempre a certeza de que o universo se incumbirá de nos dar de volta muito mais do que aquilo que ofertarmos a alguém. Portanto, ajude sempre de boa vontade e faça a roda da prosperidade girar.

Essas dicas são a base para você iniciar um networking poderoso. Invista de maneira inteligente, focando na qualidade da sua rede de relacionamentos.  E lembre-se sempre de ser interessante, e não interesseiro.

*Silvia Bez é palestrante motivacional, especialista em vendas e marketing pessoal, além de Master Coach. Em seu trabalho, sempre foca o lado humanista. Formada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e pela IAC (International Association of Coaching), é autora dos livros “7 passos para se apaixonar pelo que faz” e “5 Passos para fortalecer sua Memória”. Site: www.silviabez.com.br

Sobre Silvia Bez

É palestrante motivacional, especialista em vendas e marketing pessoal, além de Master Coach. Em seu trabalho, sempre foca o lado humanista. Com um portfólio de palestras com mais de 30 mil pessoas, também oferece serviços de treinamentos, seminários, workshops e coaching pessoal e profissional.

Possui mais de 30 anos de experiência em cargos de liderança em empresas como Banco Bradesco, Ponto Frio, Ambev, Lopes Consultoria, entre outras.

Formada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e pela IAC (International Association of Coaching), é autora dos livros “7 Passos para se apaixonar pelo que faz” e “5 Passos para Fortalecer sua Memória”.

Site: www.silviabez.com.br

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142

Artigo: Desenvolver a empatia ajuda nos relacionamentos e na carreira

*Por Silvia Bez

A empatia é uma das habilidades mais comentadas ultimamente. Na vida pessoal, saber se colocar no lugar do outro ajuda a manter a saúde dos relacionamentos. No trabalho, essa característica é cada vez mais valiosa, já que é fundamental para o trabalho em equipe.

Na teoria, parece ser simples, mas a empatia vai além da preocupação e conscientização da necessidade de se identificar com o outro. Ela está relacionada com a comunicação assertiva e as motivações alheias.

A pessoa empática está conectada com quem se comunica. Ela capta informações que ultrapassam o que se é falado e identifica emoções e expressões faciais de seu interlocutor. Para praticar essa habilidade, é preciso, antes de tudo, saber ouvir e observar.

Entretanto, cuidado: não confunda esse conceito com “simpatia”, que surge de maneira natural e espontânea. A empatia exige treino. É preciso desenvolver a capacidade de se colocar no lugar da outra pessoa com a finalidade de compreendê-la.

Para ser mais específica, vou exemplificar. Ao ser agressivo, mesmo com razão, você provocará na outra pessoa uma reação de defesa. Mas, se experimentar adotar uma postura mais humilde e compreensiva, possivelmente notará um comportamento mais tolerante por parte do interlocutor. Isso evita conflitos e mantém a manutenção do bom ambiente coletivo.

Veja outras situações nas quais é importante praticar a empatia:

  • Na comunicação assertiva com pessoas de seu convívio;
  • Em entrevistas de emprego;
  • Na liderança – assumindo o comando, delegando tarefas e conquistando o respeito de todos da sua equipe.

A arte da empatia conquista e preserva amizades e laços familiares. Também é um fator que pode aumentar o sucesso profissional. Com esta capacidade bem desenvolvida, você poderá descobrir o que incomoda e o que agrada aos seus clientes. Assim, conseguirá atendê-los melhor, pois entenderá as necessidades deles, o que pode gerar mais resultados em seu negócio.

*Silvia Bez é palestrante motivacional, especialista em vendas e marketing pessoal, além de Master Coach. Em seu trabalho, sempre foca o lado humanista. Formada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e pela IAC (International Association of Coaching), é autora dos livros “Paixão em Vender – 5 Segredos do Vencedor”, “7 passos para se apaixonar pelo que faz” e “5 Passos para fortalecer sua Memória”. Site: www.silviabez.com.br

Assessoria de imprensa:

Juliana Fernandes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
redacao1@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142

Artigo: O que aprendi sobre como alcançar a felicidade

*Por Erik Penna

A vida é feita de partidas, chegadas, pausas, recomeços e vivemos sempre em busca da felicidade.

Como consultor, me relaciono com diversas pessoas de áreas e universos diferentes, além dos contatos sociais do dia a dia, do relacionamento com minha família e amigos. Desta forma, compartilho com vocês a seguir cinco das minhas maiores descobertas na vida:

1) Discernimento e fidelidade

Aprendi a discernir bem que nem tudo o que eu acho maravilhoso eu quero para a minha vida.

Descobri que, mesmo achando uma Ferrari linda, não quero este carro na minha garagem. Mesmo admirando o castelo do rei, não quero morar lá. E mesmo encontrando mulheres lindas e maravilhosas pelos mais variados lugares, não as quero na minha vida, afinal, analisando os prós e contras do que significaria cada escolha, cheguei à conclusão que nenhuma delas me tornaria mais feliz do que sou com minha esposa e família.

2) A saudade é o combustível do amor

Meu trabalho sempre me fez viajar bastante e, após cada partida, eu me tornava mais saudoso das pessoas que amo. Por isso, fazia de cada chegada momentos intensos.

Não permita que a rotina o torne míope a tal ponto de não mais perceber o quão importante e essenciais são as pessoas que fazem parte da sua vida. Faça valer a pena cada momento ao lado de quem você ama.

3) Não alimente suas fraquezas

Certa vez escutei estas palavras de um homem muito espiritualizado. Portanto, se percebo que algo pode me fazer cair em tentação, nem começo. Se beber um copo de álcool o fará pior, nem tome o primeiro gole. Se uma pessoa o fará trair a quem você ama, não responda a mensagem, não retorne a ligação, não marque um encontro. Se alimentar a fraqueza, ela vai se tornar mais forte do que você e isso poderá gerar um arrependimento irreversível.

Não permita que uma simples aventura de alguns minutos devaste a vida das pessoas ao seu redor.

4) Valorize as conquistas e esteja sempre alerta

Muitas vezes, nos deixamos levar por atitudes que o mundo nos induz a tomar, mas que no fundo, não é o que realmente queremos. Podemos desejar a melhora contínua, mas valorizar as conquistas obtidas dá a consciência de felicidade.

Valorize o que você já tem! Não me refiro apenas a bens materiais, mas à saúde, ao trabalho, à sua família etc.

5) Justiça e honestidade

Não, eu não sou perfeito, o ser humano não é completamente perfeito. Seja o mais justo e honesto possível com todas as pessoas, pois dos homens é possível esconder algo, mas eu creio que nada adianta, já que o acerto final será sempre entre você e Deus. Viva a vida, seja grato!

*Erik Penna é palestrante motivacional, especialista em vendas com qualificação internacional, consultor e autor dos livros “A Divertida Arte de Vender”, “Motivação Nota 10” e “21 soluções para potencializar seu negócio”. Saiba mais sobre motivação e vendas em: www.erikpenna.com.br

Sobre o palestrante motivacional Erik Penna

É palestrante motivacional, especialista em vendas com qualificação internacional e consultor. Possui MBA em Gestão de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas, pós-graduação em Administração e Marketing pela Universidade Paulista e graduação em Economia pela Universidade de Taubaté.

Aborda nas palestras ensinamentos baseados nas experiências vivenciadas por ele durante a sua carreira como executivo de vendas, professor, escritor, motivador de equipes e gestor corporativo. É autor dos livros “A Divertida Arte de Vender”, “Motivação Nota 10”, “21 soluções para potencializar seu negócio” e coautor dos livros “Gigantes das Vendas” e “Gigantes da Motivação”.

Site: www.erikpenna.com.br

Atendimento à imprensa

Patrícia Arantes  RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
patricia@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 / 99873-6008

Artigo: 10 segredos para ter um relacionamento dos sonhos

*Por Bibianna Teodori

Você tem se perguntado por que algumas relações vão à falência, enquanto outras são felizes e harmoniosas?

Tendo visto a relação dos meus pais naufragar, sempre me perguntei como um casal pode ser feliz. Como deve ser e como não deve ser? Quais são os segredos de um relacionamento dos sonhos?

Assim, procurei as respostas nos relacionamentos dos meus amigos, clientes, em pesquisas e, sobretudo, em meu coração e em minhas experiências.

A boa notícia é que estas qualidades não devem necessariamente ser talentos naturais. São as competências que podem ser aprendidas e desenvolvidas.

Confira abaixo a lista das 10 principais qualidades das pessoas que têm ou já tiveram grandes relações.

1) Conseguem  deixar o passado para trás

Relacionamentos acabam e, às vezes, são experiências muito difíceis. Mas, a coisa mais importante é entender que não é preciso etiquetar-se para o que viveu nas relações no passado. Você pode ir pra frente.

As pessoas grandiosas nos relacionamentos conseguiram perdoar o precedente parceiro e desejar-lhe felicidade. Quando iniciamos um novo relacionamento, não sabemos se a pessoa atual não é a mesma de antes. E estas pessoas vivem a nova relação sem usar a anterior como exemplo e não deixam que isto atrapalhe o próprio futuro.

2) Entendem o equilíbrio de dar e receber

Sabem que cada relacionamento sólido tem um equilíbrio em dar e receber. Por muito tempo, tive dificuldade em dar muito de mim mesma. Em minhas relações anteriores, não fiz outra coisa que não tenha sido dar esperando conquistar o amor e não pensava me sentir merecedora de receber. Isto tem raízes no meu passado e na minha família. Procuro trabalhar o amor para mim mesma até quando todas as células do meu corpo entendam que em uma relação feliz tem sempre respeito recíproco e o equilíbrio entre doar e receber.

3) Sabem quando precisam de espaço

Algumas pessoas se anulam quando entram num relacionamento. Tenho certeza de que você conhece muitas mais pessoas deste tipo e a maioria provavelmente mulheres. Ou talvez tenha acontecido com você mesmo. As pessoas que se anulam no relacionamento deixam de ver os amigos, a família ou fazer as coisas que amam. Esta é a dependência afetiva e falta de equilíbrio. Um relacionamento pede espaço e solidariedade entre as duas pessoas. É preciso um momento para que façam algo sozinhos, para si, e recarregar as baterias. Importante é que o seu parceiro tenha a mesma liberdade.

4) Algumas pessoas aprendem a comunicação de jeito autêntico

A comunicação autêntica é uma habilidade que deve ser praticada diversas vezes. Não se pode chegar naturalmente às pessoas que não a conseguem senti-la com a pureza de uma criança ou têm medo de falar deles mesmos e expressar as exigências do outro. Dizer aquilo que você pensa pode ser amedrontador, mas não tanto como se você sujasse tudo, segurando dentro de si pensamentos e emoções sem expressá-las.

5) Aprendem a linguagem do amor do parceiro e a usam regularmente

Li o livro As Cinco Linguagens do Amor, de Gary Chapman. Aconselho muito a leitura a todos aqueles que querem melhorar as relações. Ele diz que existem cinco linguagens primárias do amor: as palavras das afirmações, o contato físico, a qualidade do tempo, os atos de amor e o se doar. Quando se entende a linguagem do amor do parceiro, é possível receber e ter suas exigências satisfeitas.

6) Dão risadas de si 

Às vezes é melhor ignorar os problemas e compartilhar um belo sorriso. Quando um dos dois está com raiva por algum motivo ou brigam, quebrar a atmosfera pesada com uma brincadeira ou algo assim é a coisa melhor a se fazer, para que tudo fique mais leve.

7) Criam falsas expectativas

Os nossos parceiros são seres humanos, assim como nós. Quem vive com algum, por pelo menos um mês ou algumas férias, pode perceber que isto é verdade. É injusto pretender falsas expectativas no próprio parceiro, porque todos têm defeitos, inseguranças e pontos a serem melhorados. Isto é o que os torna humanos, e é o que torna o relacionamento bonito.

8) Evitam criar proibições

A proibição é responsável por 90% dos problemas das relações, e evitá-la é um grande ato de cura. Projetamos nossas inseguranças em nossos parceiros sem perceber, porque nosso ego não consegue aceitá-los como são. Muitas vezes somos atraídos por pessoas com qualidades que queremos desenvolver em nós mesmos. No entanto, se não conseguimos desenvolvê-las, o relacionamento pode acabar nas críticas. Talvez quando você conheceu o seu parceiro, ele parecia divertido e espontâneo.  Mas, depois um tempo, teve a sensação de que ele tenha mudado e não seja o mesmo de antes. É importante entender que as relações são um meio para o crescimento.

9) Esperam e sonham coisas bonitas

As profecias se realizam se esperarmos que elas aconteçam. Precisam somente de um pouco de tempo. Se você espera que o seu relacionamento acabe, isto provavelmente acontecerá. Porque quando você acredita em algo no curso de um tempo muito longo, começa a agir da maneira como imagina que vai ser. É um mecanismo inconsciente que todos temos. Isto vale para a vida. Portanto, porque não sonhamos coisas bonitas para o nosso relacionamento? Acredite… É assim mesmo! Isto é possível.

10) Principalmente, se amam

Eles se amam. Amam o parceiro. Amam os outros. Sabem que são 100% completos e que seus parceiros os amam e os completam. Aprendem a fluir, a soltarem-se. Confiam no fluxo natural e espontâneo e, lentamente, se abrem para o grande e maravilhoso amor.

* Bibianna Teodori é Executive e Master Coach, idealizadora e fundadora da Positive Transformation Coaching. Autora do livro “Coaching para pais e mães – Saiba como fazer a diferença no desenvolvimento de seus filhos” e coautora de “Coaching na Prática – Como o Coaching pode contribuir em todas as áreas da sua vida”. 

www.bibiannateodoricoach.com.br

Sobre Bibianna Teodori

É Executive e Master Coach, idealizadora e fundadora da Positive Transformation Coaching. Autora do livro “Coaching para pais e mães – Saiba como fazer a diferença no desenvolvimento de seus filhos” e coautora de “Coaching na Prática – Como o Coaching pode contribuir em todas as áreas da sua vida”.

Possui larga experiência organizacional e trabalhou por mais de 20 anos como executiva de empresas italianas nas áreas de RH, gestão de mudanças, venda & marketing, unindo competências de liderança e transformação pessoal para aumento de desempenho.

Além da formação na Sociedade Brasileira de Coaching, com certificação pela BCI Behavioral Coaching Institute e pelo ICC International Coaching Council, fez Soul Coaching pela Denise Linn. Tem ainda certificações em Assessments Training (Disc – Motivadores – Axiologia – Valores – Psicologia Positiva), Assessment Traninig (Success Tools), Assessment Training (Universidade Quantum) e especializações em coaching de liderança e aplicado a vendas. É também palestrante internacional.

www.bibiannateodoricoach.com.br

Atendimento à imprensa:

Almir Rizzatto – RZT Comunicação
almir@rztcomunicacao.com.br
www.rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 | 99628-1733